Rabanadas de New Orleans

Já pensou em comer rabanada com bacon, banana e passas! Rs, não é nojento, juro, é divino!
Vamos aproveitar a data comemorativa e compartilhar essa receita que experimentamos em New Orleans, em um bar chamado Ruby Slippers, que faz referência aos sapatinhos mágicos da Dorothy, do Mágico de Oz.
Faça sua rabanada normalmente, mas não polvilhe açúcar com canela. Já fizemos rabanada de várias formas, mas passar no ovo no final, separado do leite faz toda diferença.
Além dos ingredientes da rabanada, você precisa de fatias de bacon, passas, banana e maple syrup (ou calda de caramelo/ mel/ melado, o que vc preferir).
Segue a receita da rabanada pra quem não tem:

Ingredientes

  • 1 baguetes (ou pães de rabanada)
  • 0,5 litro de leite
  • 1 latas de leite condensado
  • 2 ovos grandes
  • Óleo pra fritar

Modo de preparo

  1. Em uma vasilha, misture o leite com o leite condensado.
  2. Em outra vasilha, coloque os ovos e bata até atingir aspecto uniforme. (Pode jogar uma canelinha também, caso seja fã);
  3. Mergulhe o pão na mistura do leite rapidamente, cuidado pra não molhar demais e desmanchar;
  4. Passe o pão no ovo batido.
  5. Frite em óleo quente até ficar dourado.
  6. Com um papel absorvente, retire o excesso de óleo de cada rabanada.

Daí é só fritar umas tiras de bacon.
Coloque no prato a rabanada, jogue a calda de sua preferencia por cima, jogue umas passas, coloque umas rodelas de banana e as fatias de bacon fritas… Voilà! Ela tem que ficar assim ó:
dsc_0460
Testou? Gostou? Não? Escreve pra gente e conta.
 

Onde comer na Chapada dos Veadeiros: Melhores restaurantes, bares e lanchonetes – By Silvia Oliveira

  Como explicamos no post que fizemos sobre um Roteiro na Chapada dos Veadeiros, as duas cidades bases para conhecer o parque são São Jorge e Alto Paraíso. As melhores opções de restaurantes ficam por lá, então dividimos nossas indicações pelas duas regiões. Esses foram os lugares que provamos e nossas avaliações. São Jorge Risoteria … Ler mais Onde comer na Chapada dos Veadeiros: Melhores restaurantes, bares e lanchonetes – By Silvia Oliveira

Maragogi

Com as piscinas naturais mais famosas do Alagoas, o mar de Maragogi parece uma pintura. O principal atrativo são as piscinas naturais que dependem das marés baixas para serem aproveitadas. Os catamarãs levam entre 20 e 30 minutos para chegar às piscinas naturais, e os passeios costumam permanecer lá uma hora e meia, então chegue com antecedência pra não perder o barco.
Não saia de casa se consultar a tábua de marés e saber se haverá piscinas naturais no dia e em que horário. Caso prefira, feche um passeio diretamente com as empresas de turismo que ficam oferecendo seu serviço na orla de Pajuçara, em Maceió. Os horários variam diariamente, porque a maré baixa ocorre com uma diferença de meia hora a 45 minutos a cada novo dia.
SUPER IMPORTANTE: Antes de ir à Maragogi, consulte a tábua de maré, clique aqui para o site. Para visitar as piscinas naturais, o ideal é pegar uma maré menor que 0.6.

Conhecida por ser a segunda maior barreira de corais do mundo, as piscinas ficam a 6km da praia. Com tamanha extensão, os corais abrigam uma rica fauna marinha que poderá ser vista nos mergulhos.
Vale lembrar que a maioria das piscinas naturais de Alagoas, não apenas Maragogi, possui um número limitado de visitantes por dia, fazendo com que as agências revezem as piscinas principais.
Aqui os passeios são feitos para uma quantidade maior de pessoas e acabam oferecendo um serviço menos pessoal, mas as piscinas compensam. Caso queira mais exclusividade e uma piscina não tão lotada, opte por visitar as outras piscinas, que não sejam as principais de maragogi, assim você terá um mergulho mais tranquilo e menos companhia.
O restaurante do Alto Cruzeiro fica na parte mais alta da cidade e possui uma vista panorâmica do mar, caso esteja com tempo, vá lá, nem que seja pra beber algo e apreciar a vista.

Onde comer em Maceió: Melhores restaurantes, bares e lanchonetes

Nós já fomos à Maceió algumas vezes e pudemos testar vários restaurantes por lá. Colocamos em azul os imperdíveis.

Comidas típicas

Pode ter certeza que o que não vai faltar nos cardápios Alagoanos é Frutos do mar, afinal, um Estado com território litorâneo tão grande não é de se impressionar que exista essa enorme variedade de pratos. Mas Alagoas também tem restaurantes que servem pratos de cozinhas regionais que agradam até os mais exigentes, não deixe de experimentar uma autêntica tapioca, iguaria típica nordestina!
Experimente o cuzcuz, carneiro, carne de sol, caldo de cana, receitas à base de nata e o búfalo (Se dirigir pelo interior, verá várias criações).

Camarão
Camarão com Pescadores

Horário médio dos restaurantes

Nos lugares de turismo do Brasil há o costume de receber cliente à qualquer dia e horário, então por mais que um esteja fechado, vai ter sempre algum restaurante aberto pra te receber durante o dia. Não vai passar aperto como na Europa pra comer não.

Restaurantes

Vamos separar os restaurantes por tipo de serviço:

Self-Service:

  • Bodega do Sertão (Tradicionalmente Nordestina)
    • Restaurante de comida típica nordestina, cuidadosamente decorado e ambientado no sertão. Até os funcionários ficam caracterizados de “Lampião” e “Maria Bonita”. Serve buffet à quilo e La carte e tem caldo de cana! Tem uma lojinha com produtos tradicionais na entrada e abre de 11:30 às 22h
    • Avenida Doutor Júlio Marques Luz, 62
    • Tel: (82) 3327-4446
    • http://www.bodegadosertao.com.br
  • Casa de Mainha
    • Comida tradicional nordestina servida como buffet livre ou à quilo. O mais interessante é que eles servem café da manhã, almoço e janta, então à qualquer hora que você chegar lá, vai ter comida servida. Fica na rua em frente a feirinha de Pajuçara.
    • Café da manhã, almoço e jantar – Domingo a Domingo de 7h às 21h
    • Engenheiro Demócrito Sarmento Barroca, 80 – Pajuçara
    • www.restaurantecasademainha.com
  • Sá Menina
    • Pratos à la carte com saladas, massas, grelhados, bebidas e destaque para torta de paçoca, em clima tranquilo.
  • Sueca Comedoria – Comida a quilo (Para almoços)

La Carte

  • DSC05725.JPGImperador dos Camarões
    • Imperdível! Já fomos nesse restaurante a mais de 5 anos atrás e está cada vez melhor. Aqui vocês encontra o verdadeiro “Chiclete de Camarão” – camarões ao molho de cinco queijos, especialidade da casa. Não deixe de experimentar esse prato, à menos que não goste de queijo ou camarão. Rs
  • Wanchako

    • Ceviche, polvo e mais em espaço peruano com paredes de tons quentes, cadeiras de fibras naturais e artesanato.
      Endereço: R. São Francisco de Assis, 93, Maceió – AL, 57045-690
  •  Churrascaria Grato
  •  Akuaba (baiano)
  • Carne de Sol do Picuí (Obviamente especializado em carne de sol rs)
  • O Peixarão
    • Falaram que não cobrariam couvert no dia que fomos e cobraram mesmo assim. Cobraram uma cerveja a mais também. Mas a comida é boa e o peixe frito é divino. A culinária brasileira regional de pescados diversos, caranguejo e chope, servida em salão e terraço aberto.

Massas:

  •  Maria Antonietta (Italiano – reservas são recomendadas)
  •  Pizzaria Armazém Guimarães
  • Cantina e pizzaria Massarella

Bares e Cerejarias:

  •  Cervejaria Alagoana
    • Petiscos e pratos fartos, chope espumoso e drinques variados, em clima tranquilo para bate-papo com amigos.
  •   Boteco Praia
  •  Divina Gula (Mineiro e Nordestino, ótimas cachaças de fabricação exclusiva – Um dos bares/restaurantes mais concorridos da cidade)

Lanches:

Para os melhores do TripAdvisor, clique aqui.

5 melhores sanduíches do mundo

Alguns historiadores afirmam que comer pão recheado com carnes e embutidos é um costume muito antigo, e que antes de Cristo já se faziam misturas de pão com carnes durante a celebração do Pessach – a páscoa judaica. Mas o nome sanduíche, que deriva da palavra inglesa sandwich, ficou famoso por causa de John Montagu, 4º Conde de Sandwich, uma pequena vila da Inglaterra. A ele é atribuída a invenção do sanduíche, porém essa afirmação nunca foi comprovada.
Antigo ou não, esse costume se espalhou por todo o mundo, que se encarregou de criar diversas variedades. Em nossas andanças pelo mundo já provamos alguns deles e fizemos uma seleção especial dos 5 melhores que provamos até hoje, e é claro, com as receitas pra você fazer em casa. Já fizemos alguns e não tem mistério, se adaptar alguns ingredientes fica mais fácil ainda.
Foi meio difícil classificar o melhor, e isso depende de gosto pessoal. Como amamos queijo, fizemos uma classificação um tantinho tendenciosa à esse maravilhoso ingrediente, mas fique tranquilo, tem sanduíche sem queijo também, para agradar à todos os gostos.

5# Chivito

chivito
O Uruguai se destaca na culinária pelo uso de cortes de carne macios e deliciosos. No Chivito, o sanduba mais típico do país, não seria diferente. Mas além da carne, ele leva muitos (muitos mesmo), outros ingredientes: O pão é recheado com carne, queijo, presunto, ovos e maionese, mas há variações que incluem salada e bacon, por exemplo, e costuma ser servido com batata frita.
Se quiser tentar fazer esse, clica aqui e veja a receita.

4# Philly Cheese Steak

thumb_600
O cheesesteak é chamado de Pilly Cheese Steak por ter sido criado na Filadélfia, onde se tornou um sanduiche regional e servido em vários fast-foods.
Imagina um sanduíche feito de várias camadas fininhas de beefsteak e um mar de queijo derretido em um longo pão hoagie.
O sanduíche foi originalmente criado sem queijo; Olivieri disse que o queijo provolone foi adicionado primeiramente por Joe “Cocky Joe” Lorenza, um gerente, e foi incorporado como parte da receita tradicional.
Cheesesteaks tornaram-se populares em restaurantes e carrinhos de comida em toda a cidade, com muitos locais sendo de propriedade independente. Variações de cheesesteaks são agora comuns em várias cadeias de fast food e muitos estabelecimentos fora da Filadélfia referem-se ao sanduíche como um “Cheesesteak de Philly.”
Quer tentar fazer? Clica aqui e olha o passo a passo.

3# Francesinha

Francesinha com batata
Principalmente no Porto, todo restaurante tradicional ou boteco serve pelo menos um tipo da Francesinha. Há versões com salada, frango no lugar do bife, vegetariana, sem ovo… E todas são divinas! Não se engane pelo seu nome delicado, ela tem cerca de 1200 calorias e é enoooorme!
A lenda diz que esse sanduíche foi criado por um morador do Porto que viveu na França.
Enquanto as Portuguesas vestiam-se de preto dos pés a cabeça, as parisienses usavam mini saias e roupas justas, servindo de inspiração na criação de um prato que fosse tão quente, gostoso e picante como elas. Um prato que chamou de Francesinha.
É um sanduíche saboroso e suculento recheado com carne, presunto, salsicha, linguiça, queijo, ovo… E coberta com um lençol de queijo e um molho à base de cerveja e uísque.
Nós já fizemos em casa e deu certo. Clica aqui e dá uma olhada na receita.

2# PoBoy

Po Boy
Um “Po-Boy” é um sanduíche tradicional de Nova Orleães, Luisiana. Ele é feito numa baguette de pão francês, e tem um recheio de carne. Os mais vendidos são os recheados com camarão, peixe ou ostras empanadas. O recheio leva também picles, molho picante, alface e maionese. O pão, no entanto, é o ingrediente mais importante: deve ter uma crosta crocante e um miolo macio.
Sim, ele é simples e é o nº2 do nosso ranking, porque o gostoso não precisa ser complicado 😛
Vá comprar uns camarões e fritar à milanesa, é facinho de fazer, clica aqui que tem a receita.

1# Casa Guedes

Casa Guedes

Esse talvez seja impossível reproduzir. Um de seus ingredientes principais é o queijo da serra da estrela e creio que a melhor forma de você provar um autêntico Sande da Casa Guedes seja seguindo para o Norte, atravessando o Atlântico, pedir para descer no Porto, em Portugal, e ir direto para a Praça dos Poveiros, 130. Pode ser um pouquinho longe, mas vale a pena.

O Sande é feito com aquele pão crocante que os Portugueses sabem bem como fazer, e recheado com pernil mergulhado no caldo do pernil com um molho escuro. A versão mais famosa tem o acréscimo do Queijo da Serra da Estrela no final, bem derretido, quase em textura de requeijão cremoso.

Nós fizemos um post falando só dele, clica aqui.

Sanduíches Bônus

Esses aqui nós também não podíamos deixar de fora, não entraram nos 5 por motivos diversos, mas merecem um destaque.

Sanduíche de Muffuleta

 
dsc_0765
O muffuletta é um pão grande, redondo, e um tanto achatado com uma textura resistente, em torno de 25 cm transversalmente. (ENORME)
Em 1906, Salvatore Lupo, dono da Central Grocery Co (New Orleans – Decatur Street), criou o tradicional sanduíche muffuletta é feito com o bolo de muffuletta e combinado com salada marinada, mussarela, salame, mussarela, presunto e provolone e azeite, muuuuito azeite!
É um sanduíche popular, originário entre os imigrantes italianos em New Orleans, Louisiana, utilizando o mesmo pão. Ele é servido frio e se comprado na Central Grocery, você provavelmente o comprará já embalado, pois a saída é tanta que eles adiantam a produção de pilhas e pilhas de sanduíches para o dia.

Shawarma

 
Shawarmafood
É um prato originalmente árabe, onde o pão sírio é recheado com fatias finas carne retiradas de um espeto vertical. Nesse espeto rotativo é colocado carnes de cordeiro ou frango, peru, bovina, vitela, búfalo, ou carnes mistas. No sanduba entra uns legumes e verduras também.
Há duas formas de comer: pode ser servido em um prato ou como um sanduíche. No prato, o Shawarma é normalmente consumido com tabule, fattoush, pão Taboon, tomate e pepino. Os molhos que combinam são tahine e hummus.
Uma delícia!

Eggs Cochon – Ruby Slipper

dsc_0459
6340812760_ab04be9a21_bNão tive como não comentar desse “sanduíche”. Ele não é do tipo que foi inventado e vários copiam, só comemos em um lugar, o Ruby Slliper, em New Orleans. O pão na verdade é um ‘Biscuit’, que são pãezinhos de farinha de trigo e fermento químico, como esses da foto aqui do lado.
Então imagina aqui comigo….eles pegam esse pão quentinho, recém assado, abrem, colocam por cima restos de carne de porco desfiada, bem suculenta feita com maçãs, e por cima disso tudo, ovos pochê e molho hollandaise. Confesso que foi uma das melhores coisas que já comi na vida.
Esse eu ainda não fiz, mas foi escrevendo a ultima frase acima que eu não resisti e decidi colocar a receita aqui no blog como meta para minha evolução culinária. 😛 Se vc fizer, me fala se deu certo?
Tá aqui o post falando só dele e a receita.

Falafel Kebab

Golden_Falafel
Falafel_ballsCom receita originária do Oriente Médio, o falafel é um um salgadinho, são bolinhos fritos de grão-de-bico ou fava moídos, normalmente misturados com condimentos como alho, cebolinha, salsa, coentro e cominho. Hoje, o falafel é consumido em todo o mundo.
Ele é consumido em pratos, acompanhando refeições, mas foi adaptado para sanduíche com o pão pita e homus (pasta de grão-de-bico), tahine (pasta de gergelim) e salada. Uma ótima alternativa para vegetarianos.
O falafel tornou-se popular entre os vegetarianos e vegans como uma alternativa à carne de alimentos de rua. Embora tradicionalmente considerado como “hambúrguer vegetariano”, o seu uso tem-se expandido à medida que mais e mais pessoas têm adotado uma dieta rica em proteína.
 
 
Prometemos 5 e te apresentamos 9. Que tal testar fazer um desses essa semana e mandar as fotos pra gente?

Eggs Cochon – Sanduíches pelo mundo

Ele não é do tipo que foi inventado e vários copiam, só comemos em um lugar, o Ruby Slliper, em New Orleans. O pão na verdade é um ‘Biscuit’. Então imagina aqui comigo….eles pegam esse pão quentinho, recém assado, abrem, colocam por cima restos de carne de porco desfiada, bem suculenta feita com maçãs, e por cima disso tudo, ovos pochê e molho hollandaise. Confesso que foi uma das melhores coisas que já comi na vida.
Esse não é tão fácil de ser feito, mas tentei reunir as receitas que acho que formam essa delícia.
Você vai precisar fazer:

  • Biscuit;
  • Carne de porco com maçã;
  • Ovos pochê;
  • Molho hollandaise.

Vamos por partes:


Biscuit

6340812760_ab04be9a21_bO grande segredo da sua massa, delicada e amanteigada, é seu pouco manuseio e a manteiga bem gelada, tanto quanto o buttermilk.
Aqui cabe uma explicação: “Buttermilk” é uma espécie de “soro de leite”, que na verdade é pouco entendido. Nos Estados Unidos é vendido em supermercados. No Brasil não temos, é só acrescentar vinagre branco ao leite. O mais importante é amassar tudo bem pouco para que os pedacinhos de manteiga ao assarem, tornem a massa leve e levemente “quebradiça”, desmanchando na boca quando comemos, pra isso, o ideal é que sempre seja servido quente. É possível fazer a receita inteira e congelar parte, para assar na hora que for comer (Congele a massa cortada em círculos separados, depois de congelados, coloque em saquinhos).
Pode usar o misturador de massas manual (parece uma meia-lua com 4 tiras de metal), ou até com as pontas dos dedos.

  • Rendimento: 24 biscuits com 4 cm de diâmetro
  • Tempo de preparo: 50 minutos

Ingredientes

  • 3-1/2 xícaras de farinha de trigo, peneiradas, com:
  • 1 colher e meia (sopa) de fermento em pó
  • 1 colher (chá) de bicarbonato de sódio
  • 1 colher de chá de sal
  • 1 colher de chá de açúcar
  • 1 tablete (200 grs) de manteiga sem sal, gelada, cortada em pedaços pequenos
  • 1-1/2 xícara de “buttermilk” gelado – ou leite integral gelado (Buttermilk: Coloque 1-1/2 xícaras de leite numa jarrinha e acrescente 1-1/2 colheres (sopa) de vinagre branco. Mexa com um garfo e deixe repousar por 30 minutos antes de utilizar. No caso de biscuits, deve ser primeiro gelado para o resultado ideal).

Opção: pode-se colocar 1/2 xícara de queijo parmesão ralado na hora, dentro da massa para realçar o sabor.

Preparo

Pré-aqueça o forno a 180° C.
Em uma tigela grande, misture a farinha peneirada com os ingredientes secos: o fermento, o bicarbonato de sódio, sal e açúcar.
Transfira 2 xícaras desses ingredientes para um processador. Acrescente a manteiga gelada cortada em pedacinhos e aperte o botão “pulsar” poucas vezes, por alguns segundos, até que a mistura pareça uma farofa, ainda com pedacitos de manteiga. Não processe mais do que isso.
(Alternativa para quem não tem processador): Pode acrescentar a manteiga diretamente na tigela com os ingredientes secos, utilizando o misturador manual de massas, ou até as mãos. (Neste último caso, esfarele com as pontas dos dedos). Com esse utensílio você vai amassando os pedacinhos de manteiga dentre os ingredientes secos, até que ela se incorpore parcialmente até ficar um pouco menor do que grãos de ervilha – a partir daí misture um pouco com as mãos e proceda como abaixo.
Volte essa mistura à tigela original, onde está o restante dos ingredientes secos, e com a mão esfarele mais um pouco essa mistura. PORÉM ainda terá a textura de farofa. Essa massa não pode ser completamente misturada. Neste ponto, acrescente o queijo parmesão, caso utilize.
Acrescente o leite integral ou o “buttermilk”, utilizando uma espátula de borracha, apenas para incorporar os ingredientes, sem mexer demais.
Coloque essa massa sobre uma superfície levemente enfarinhada. Com os dedos, misture delicadamente a massa – não é para ficar homogênea – deixe alguns pedacinhos de manteiga inteiros ainda – Enfarinhe a superfície de trabalho e com as mãos aperte a massa levemente até formar um círculo de cerca de 2 a 3 cm de espessura. Não manuseie demais a massa. Use cortador de biscoito redondo (eu usei um de 4 cm de diâmetro, mas pode usar maior – apenas resultará em menor número de unidades). Antes de cortar cada biscuit, “mergulhe” o cortador na farinha de trigo.
Coloque os biscuits sobre uma assadeira untada e enfarinhada. Pincele a superfície deles com leite. Se desejar, polvilhe açúcar cristal fininho.
Asse, por cerca de 20/25 minutos. Ou até enfiar um palito e sair limpo, e as bordas douradas.
Sirva em seguida. Devem ser sempre servidos quentes!

  • Para assar os congelados, disponha-os diretamente numa assadeira untada e enfarinhada, sem descongelar, e leve a forno moderado (pré-aquecido a 160 graus C ) por cerca de 35/40 minutos.
  • Eles servem tanto para recheios salgados quanto doces.
  • Caso não tenha cortador de biscoitos, corte em quadrados com uma faca de chef ; )

Fonte da receita de Biscuit: Helena Gasparetto


Carne de porco com maçã

  • Preparação: 15 m
  • Cozinhar: 8 h

Ingredientes

  • 6 maçãs com casca, coradas e cortadas em 8 pedaços
  • 1 grande cebola vermelha, grosseiramente picada
  • 1/4 colher de chá de canela em pó, ou a gosto
  • 3Kg de assado de carne de porco
  • 1/2 colher de chá de sal, ou a gosto
  • 1/2 colher de chá de pimenta preta moída, ou a gosto
  • 1 xícara de ‘cinnamon-flavored applesauce’*
  • 1/4 colher de chá de canela em pó, ou a gosto

Cinnamon-flavored applesauce

*Esse ingrediente não é achado no Brasil, então será necessário fazer ele também =/
Nos EUA se compra como nas imagens ao lado.

Ingredientes (Cinnamon-flavored applesauce)
  • 6 maçãs Macintosh, coradas e cortadas em quatro;
  • Suco de 1 limão, (cerca de 2 colheres de sopa);
  • 2 pedaços de 5cm de canela;
  • Pitada de sal
  • 1 a 2 colheres (sopa) de açúcar castanho claro (opcional)
Preparo (Cinnamon-flavored applesauce)

Em uma panela média, misture maçãs, suco de limão, canela e sal. Levar a ferver em fogo médio. Cubra, e cozinhe, mexendo ocasionalmente, até que as maçãs tenham cozido em um molho, 20 a 25 minutos. Usando um garfo, retire pedaços de casca de maçã do molho e descarte. Use imediatamente, ou armazene, refrigerado, em um recipiente hermético por até 1 semana.


Preparo da Carne de porco com maçã

Coloque as maçãs e cebola no fundo de um fogão lento, e polvilhe com 1/4 colher de chá de canela.
Esfregue o assado de porco com sal e pimenta, e coloque-o sobre a camada de maçãs e cebolas no fogão lento. Despeje a maçã sobre o assado, e poeira a parte superior com 1/4 colher de chá de canela.
Cozinhe no ajuste Alto por 8 horas. Sirva o assado com o molho, as maçãs e as cebolas.
Fonte


Ovos pochê

Ingredientes

· 1 ovo
· 1/2 litro de água
· Sal a gosto

Modo de fazer

Em uma panela ou frigideira funda, coloque a água e leve ao fogo alto. Quando as bolhas começarem a se desprender do fundo, abaixe o fogo. Cuidadosamente, quebre o ovo dentro de uma concha ou de uma xícara. Mexa a água com uma colher formando um rodamoinho e, sobre ele, despeje o ovo. Deixe cozinhar por quatro minutos ou até que comece a subir à superfície. Retire o ovo com a ajuda de uma escumadeira e coloque em um prato. Acrescente sal e sirva.


Molho Hollandaise

Ingredientes

Suco de 1 limão siciliano grande
3 gemas
250g de manteiga
3 c. de sopa de água
2 pitadas de sal
pimenta branca móida na hora

Modo de fazer

Corte a manteiga em pedaços e derreta no micro-ondas ou em banho -maria.
Junte a metade do suco de limão e a água numa pequena panela de fundo grosso, junte, sal, pimenta, as gemas de ovo leve a forno médio e mexa com o fouet, fazendo um 8, bem forte e sem parar durante 2 minutos.
Tire a panela do fogo, acrescente a manteiga pouco a pouco sem parar de mexer com o fuet até o molho ganhar corpo e ficar cremoso. Por último junte o resto do suco de limao.
Mantenha-o quente em banho-maria até a hora de usar, mas atenção a água do banho-maria não pode ferver, correndo o risco de talhar o molho. Deixe-a sempre morna.
Fonte: eucomosim


Eggs Cochon

Depois dessa trabalheira toda, abre o biscuit, põe a carne, põe o ovo e joga o molho. Não esquece daquela cebolinha ou qualquer verdinho pra dar uma vida.
Aposto que sabendo do trabalho que dá, quando você for visitar Nola, não vai deixar de experimentar um desses.
nola_eggs_cochon_ruby_slipper

Pernil com Queijo da Serra da Casa Guedes – Sanduíches pelo Mundo

A primeira vez que escrevi esse post foi em 2016, e já nessa época eu era fascinada pelo sande dessa casa. Quis o destino que um dia eu viessa cá morar e poder por pelo menos uma vez na semana, somar mais um à minha contagem de sandes do guedes comidos.

Sobre a Casa Guedes

Apesar de se chamar Casa Guedes, os irmãos César e Manuel Correia não possuem Guedes no nome. Há 30 anos atrás o real sr. Guedes vendeu essa antiga casa de pasto para eles, e naquela época o pernil já era o forte, mas segundo o Sr. César, era afiambrado e não cativava muito. Com isso eles foram obrigados a se adaptar para o sucesso, e acharam a fórmula perfeita, mas só em 2004 que ela caiu de vez nas graças do povo, quando eles serviam-as nas noites de sexta e sábado no Maus Hábitos. Depois de cair na boca do povo, a casa nunca mais ficou vazia.

Da última vez que eu perguntei ao Sr. César quantos pernis estavam saindo por dia, ele me informou que era uma média de 10. Os pães costumavam vir da Padaria Paulista, na Batalha, mas isso eu não confirmei se mantinha.

Em 2019 um grupo de brasileiros conseguiu comprar o direito de franquiar a Casa Guedes e leva-la para outros sítios, então esperem que já já eles se espalham por todo Portugal.

Sobre o sande

Mas esse post foi escrito com o objetivo de falar mais sobre esse sanduiche a fim de tentar reproduzi-lo em terras brasilis para quem não pode estar aqui o tempo todo. Mas esse talvez seja impossível reproduzir. Um de seus ingredientes principais é o queijo da serra da estrela e creio que a melhor forma de você provar um autêntico Sande da Casa Guedes seja seguindo para o Norte, atravessando o Atlântico, pedir para descer no Porto, em Portugal, e ir direto para a Praça dos Poveiros, 130. Pode ser um pouquinho longe, mas vale a pena.

Ok, existem vários sanduíches de pernil espalhados pelo mundo, mas acredite, esse é o melhor! Um tradicional bar da cidade que mais parece um botequim, mas com ambiente familiar, que acaba nos passando a sensação de que o pai te serve, a mãe cozinha, o filho cobra, a tia limpa…e por aí vai.

O Sande é montado na sua frente, o pernil fica inteirinho no balcão e é fatiado ali mesmo para cada sanduíche comprado, igual a imagem aqui em baixo. Acompanhar o preparo é indispensável à visita, além de divertida: o Sr César fatia o pernil, pega as fatias e mergulha no caldo do pernil com um molho escuro, e depois recheia aquele pão crocante que os Portugueses sabem bem como fazer.

O Sandes de Pernil com Queijo da Serra da Estrela é o mais famoso na casa, e sugiro fortemente que você peça ele, mas existem variações com embutidos, sem queijo, e outras. Em 2019 custava 4,50 Euros o de Pernil com queijo.

Peça com o espumante da casa, ou um fino (Chope).

Se você quiser tentar fazer, pode tentar substituir por outro queijo, mas eu, sinceramente, acho que é impossível achar um que combine tão bem quanto o queijo da Serra da Estrela.

casaguedes3

Pilly Cheese Steak – Sanduíches pelo Mundo

Philly Cheese Steak

O cheesesteak é chamado de Pilly Cheese Steak por ter sido criado na Filadélfia, onde se tornou um sanduiche regional e servido em vários fast-foods.
Imagina um sanduíche feito de várias camadas fininhas de beefsteak e um mar de queijo derretido em um longo pão hoagie.
A história sobre a criação é um pouco debatida, mas a versão mais famosa diz que por volta de 1930 Pat e Harry Olivieri (Fundadores da lanchonete de Pilly Cheese Steak mais tradicional da Filadélfia) possuíam um carrinho de cachorro quente e uma vez Pat fez um sanduíche novo usando carne picada com cebola grelhada pra ele, passou um taxista e pediu um igual. Após comer, o taxista sugeriu que eles parassem de vender hot-dog’s e vendessem apenas esse sanduíche. Eles assim fizeram e se tornaram tão populares que Pat abriu seu próprio restaurante que ainda funciona hoje como Pat’s King of Steaks.
O sanduíche foi originalmente preparado sem queijo; Olivieri disse que o queijo provolone foi adicionado primeiramente por Joe “Cocky Joe” Lorenza, um gerente, e foi incorporado como parte da receita tradicional.
Cheesesteaks tornaram-se populares em restaurantes e carrinhos de comida em toda a cidade, com muitos locais sendo de propriedade independente. Variações de cheesesteaks são agora comuns em várias cadeias de fast food e muitos estabelecimentos fora da Filadélfia referem-se ao sanduíche como um “Cheesesteak de Philly.”
Vamos ao que interessa, como fazer!

Ingredientes:

  • 1 cebola grande
  • Costela congelada ou Bife
  • OPCIONAL: cogumelos e 1/4 pimentão verde
  • 1 colher de sopa de azeite
  • Molho Inglês
  • Sal, pimenta e alho em pó
  • Queijo americano ou queijo Provolone
  • Pão baguete

Preparo:

  • Pique 1 cebola grande em pedaços longos e finos.
  • Cortar a costela ou flanquear o bife em finas fatias
  • OPCIONAL: Cortar cogumelos cortados em pedaços pequenos e 1/4 pimentão verde em pedaços longos)
  • Coloque uma panela em fogo médio.
  • Adicionar 1 colher de sopa de azeite
  • Adicione o bife e cebola (cogumelos e pimentão verde se você quiser)
  • Polvilhe 2 colheres de chá de molho Inglês na carne e cebolas.
  • Polvilhe uma quantidade generosa de sal, pimenta e alho em pó nos bifes e cebolas
  • Fritar até cozinhar
  • Uma vez feito adicionar 3 pedaços de queijo americano ou queijo Provolone para carne de topo e legumes (Lá o queijo é deixado em líquido)
  • Colher em um pão de baguete macio longo, que eles chamam de hoagie

Tem que ficar assim ó:thumb_600

Po Boy Louisiana – Sanduíches pelo Mundo

Um “Po-Boy” é um sanduíche tradicional de Nova Orleães, Luisiana. Ele é feito numa baguete de pão francês, e tem um recheio de carne. Os mais vendidos são os recheados com camarão, peixe ou ostras empanadas. O recheio leva também picles, molho picante, alface e maionese. O pão, no entanto, é o ingrediente mais importante: deve ter uma crosta crocante e um miolo macio.
A lenda diz que este sanduíche obteve esse nome pois durante uma greve dos operadores de “street car” (carros-elétricos ou tróleis) em 1929; os donos da companhia, em vez de negociarem com os operadores, decidiram mandar vir criminosos de Nova Iorque para operarem os carros.
Isto desencadeou um grande movimento de protesto e de solidariedade com os operadores originais e um dos apoios foi dado pelos Martin Brothers, antigos operadores de “street car” que entretanto tinham aberto um pequeno restaurante no French Market e que decidiram oferecer estes sanduíches aos grevistas e, quando um deles se aproximava, eles diziam “Here comes another poor boy”, ou seja, “Aí vem mais um desses pobres rapazes”
Os pães dados na época não eram recheados com iguarias e frutos do mar como hoje, mas assim foi criada essa versão de sanduíche tão famosa no lugar.

Ingredientes

  • 1 colher de chá de molho Tabasco
  • 1/2 colher de chá de páprica
  • 1/2 colher de chá de alho em pó
  • Uma pitada de pimenta caiena
  • 1 colher de chá de orégano
  • 1/2 colher de chá de tomilho seco
  • Sal e pimenta
  • 1 baguete francesa (cortado ao meio)
  • 150 g de camarão descascado e destripado
  • 2 colheres de sopa de maionese
  • 4 colheres de sopa de azeite de oliva
  • 1/2 colher de sopa de suco de limão
  • Alface americana cortado em finas fatias
  • 1 tomate cortado

 

Passos

  1. Pegue uma tigela pequena e misture o suco de limão, maionese e molho Tabasco juntos. Reserve.
  2. Misture todos os temperos (alho em pó, orégano, pimenta, páprica, e tomilho) em uma outra tigela. Polvilhe uma pitada de sal e pimenta também.
    Cubra os pedaços de camarão muito bem dentro da tigela de temperos. A quantidade de especiarias depende do seu gosto.
  3. ****Você pode fazer camarões fritos, como descrito à seguir, ou empanados (Nossos preferidos)
    Aqueça uma frigideira com óleo enquanto adiciona os pedaços de camarão revestidos. Retire-os do calor quando ambos os lados chegarem a uma boa cor avermelhada.
  4. Pegue as metades do pão e espalhe a maionese sobre eles.
  5. Coloque algumas fatias de tomate (Opcional) e pedaços de alface (Obrigatório) uniformemente por todo o pão.
  6. Distribua a mistura de camarão uniformemente sobre a alface e tomate. Junte os dois pedaços de pão e desfrute.
Dicas
Você pode usar camarões maiores ou menores, assim como pode fritá-los empanados, não só refogados.
Esta receita rende duas porções.

Francesinha Portuguesa – Sanduíches pelo Mundo

Principalmente no Porto, todo restaurante tradicional ou boteco serve pelo menos um tipo da Francesinha. Há versões com salada, frango no lugar do bife, vegetariana, sem ovo… E todas são divinas! Não se engane pelo seu nome delicado, ela tem cerca de 1200 calorias e é enoooorme!
A lenda diz que esse sanduíche foi criado por um morador do Porto que viveu na França.
Enquanto as Portuguesas vestiam-se de preto dos pés a cabeça, as parisienses usavam mini saias e roupas justas, servindo de inspiração na criação de um prato que fosse tão quente, gostoso e picante como elas. Um prato que chamou de Francesinha.

INGREDIENTES

PARA O MOLHO (Serve 2 pessoas)

  • 2 colheres de vinho do porto ou conhaque ou 1 cerveja,
  • 1 caldo knorr,
  • 2 folhas de louro,
  • 1 colher de sopa de margarina,
  • 1 cálice de vinho do porto,
  • 1 colher de sopa de maizena,
  • 2 colheres de sopa de polpa de tomate,
  • 1/2 copo de leite,
  • Molho piripiri (ou qualquer outro picante a sua escolha)
  • ovo (opcional)

 

PARA A FRANCESINHA (Serve 1 pessoa)

  • 2 fatias de pão-de forma alto,
  • fiambre/ Presunto,
  • 1 bife.
  • Queijo parmesão
  • Queijo Mussarela
  • 1 ovo frito
  • 1 salsicha
  • 3 rodelas de linguiça

MODO DE PREPARO

PARA O MOLHO

Apenas misture todos os ingredientes e aqueça.
Dissolver o caldo knorr na cerveja, levar ao lume e juntar os outros ingredientes, com excepção da maizena e do leite. Mexer por 5m.
Dissolver, à parte, a maizena com o leite frio e juntar ao preparado, mexendo atá engrossar.
Retirar o louro e triturar bem o preparado.
Levar ao fogo mais um pouco e reservar.

PARA FRANCESINHA

  1. Monte cada ingrediente sobre 1 fatia de pão de forma. Coloque a 1ª fatia de pão e depois coloque o bife, uma fatia de queijo, uma de presunto, a salsicha e a linguiça cortadas ao meio (de comprido), outra fatia de pão, o ovo e outra fatia de queijo.
  2. Feche o sanduíche com outra fatia de pão;
  3. Coloque o ovo estrelado (opcional)
  4. Cubra todos os lados da francesinha com queijo;
  5. Por fim, regar com o molho e levar ao forno 15 a 20m.

Sugerimos servir com batata frita
03838182-1569-4257-b3a0-7c73d18057d5-1020x656

Chivito Uruguaio – Sanduíches pelo Mundo

Pra você que quer experimentar um pouco da culinária Uruguaia sem sair de casa, te sugerimos esse maravilhoso sanduíche, que é encontrado em todos os lugares e lanchonetes do país.
O Uruguai se destaca na culinária pelo uso de cortes de carne macios e deliciosos. No Chivito, o sanduba mais típico do país, não seria diferente. Mas além da carne, ele leva muitos (muitos mesmo), outros ingredientes: O pão é recheado com carne, queijo, presunto, ovos e maionese, mas há variações que incluem salada e bacon, por exemplo, e costuma ser servido com batata frita.

Chivito Uruguaio

Ingredientes:

  • Alcatra
  • 4 pães (Casca durinha, hambúrguer ou outro de sua preferencia).
  • 4 folhas de alface
  • 1 tomate cortado em rodelas
  • Pimentão grelhado (Tem quem não coloque)
  • 4 fatias de presunto
  • 4 fatias de queijo mussarela
  • 4 tiras de bacon
  • 4 ovos (Fritos ou cozidos)
  • Maionese
  • Sal

chivito
Ele tem que ficar mais ou menos com essa aparência, apesar de termos comidos uns que nem fechavam!

Preparo:

Fatie a Alcatra com cerca de 1/4 de polegada de espessura. Tempere a carne com sal a gosto e em uma frigideira ou chapa muito quente  coloque um pouco de azeite e frite a carne.
Frite os ovos, pedaços de bacon e fatias de presunto. Quando a carne estiver pronta, coloque em cima o ovo frito, bacon, pimentão, presunto e uma fatia de queijo mussarela. Espalhe a maionese no pão e decore o prato com a alface e os pedaços de tomate.
Por sua natureza o Chivito é servido com o pão fechado, como um sanduíche, mas muitas pessoas preferem que seja servido no prato.
Você pode ainda “customizar” seu Chivito, acrescentando champignons, pimentão em rodela ou azeitona. Não há limites para a criatividade!
Sugestão de Harmonização:
Cervejas do tipo ALE: Brown Ale,  India Pale Ale (IPA),  American Pale Ale. Ou, claro, um bom vinho uruguaio.
 
Fonte: CyberCook

Filadélfia: Pontos turísticos e O que fazer

Visão geral sobre o lugar, história e o que esperar

Filadélfia, no Estado da Pensilvânia, é berço americano, conhecida como a “cidade do amor fraterno” e símbolo do patriotismo norte-americano.
Quando você ver aqueles filmes com pessoas emocionadas com o hino nacional e colocando bandeiras por toda parte… é lá! Afinal, foi lá que foi assinada a carta que decretou a independência do país e mais, foi local de criação da primeira, e única, Constituição local.
A cidade é cheia de parques e museus, sabe aquele lugar onde você se imagina morando? Com toda estrutura, facilidade de locomoção, além de uma bela arquitetura e uma agitada vida cultural. Mas apesar de sua enorme relevância histórica, a Filadélfia é tranquila, segura e com um clima que lembra uma pacata e rica cidade no interior.
Ela é cheia de símbolos da luta dos EUA pela independência:
Sabe o Liberty Bell, aquele sino rachado que se tornou representante do combate contra as forças britânicas? Está lá!
Sabe o Independence Hall, local onde foi assinada a declaração de independência americana? Está lá!
Além de estar inserida em filmes POP também:
Lembram do filme “Rocky”, de Sylvester Stallone, e aquela escadaria que ele subia pra treinar? Está lá!
O filme “O Sexto Sentido” também usou a cidade como locação.
A Filadélfia é fascinante…isso porque ainda nem falei das comidas! Um dos meus sanduíches preferidos no mundo foi inventado lá. Mas vamos ao roteiro.
Para ver sugestões de roteiro de 1 dia, clique aqui. Ou clique aqui pra ver sugestão de roteiro de 2 dias.


Nossa dica: Baixe o App no MyMaps do Google e salve esse mapa em seus mapas, assims erá possível ver offline. Colocamos as explicações de cada item no mapa também, basta clicar nos pontos de interesse. 😉


O que fazer

:: Visitor Center

Pare primeiro no Visitor Center. Pegue um mapa e também um ticket gratuito para o Independence Hall.

  • Endereço: 6th and Market Streets Philadelphia, PA 19106

:: Reading Terminal Market

O mercado central da Filadélfia, ideal que seja sábado. Aqui além de lugar para comer, é ponto turístico.
O mercado funciona neste local desde 1892 (antes disso, já operava na rua) e algumas coisas não mudaram desde a inauguração: o balcão do sorvete Basset’s continua ali, e os Amish continuam vindos de Lancaster para vender seus (deliciosos) produtos quatro dias por semana.
Venha com fome: há muitas especialidades locais para experimentar.

  • Doces Amish – Díficil escolher um só. Se possível, vá em algum stand que você possa pegar um pouco de cada pra provar o máximo, são divinos!
  • Stand do Tonny Dinic’s – O sanduíche mais famoso do Mercado. Hoaggie (aqui é o nome para sanduíche feitos em pão que lembra uma baguete) recheado com carne de porco assada, queijo provolone cortado da peça na hora e brócolis refogado (pulled pork). Tudo isso regado a um molho feito com a base no porco. Muito bom!
  • Bassetts Ice Cream – Tem vários sabores incríveis. O de Baunilha é um sonho, mas tentem o de abóbora também.

Para acessar o site oficial do Reading Terminal Market, clique aqui.

:: Independence Hall

Um lugar sagrado para os americanos. Ali fica o Independence Hall, o prédio onde foram escritas tanto a Declaração de Independência quanto a Constituição americana.
Em pouco mais de meia hora é possível percorrer o prédio que foi restaurado e tem mobiliária da época e a cadeira original onde George Washington presidiu a Convenção Constitucional. O tour funciona de 9:00 as 5:00 da tarde todos os dias, menos no dia 25 de dezembro.
Também pode ser visitado o sino quebrado que anunciou a independência.
Do lado, tem a primeira Prefeitura da Filadélfia, a primeira Casa da Moeda americana e algumas paredes que não foram derrubadas da Casa do Presidente, construção que tinha o mesmo papel da Casa Branca enquanto o município foi a capital americana.

:: Market Street

Essa é uma das ruas principais do centro e tem várias lojas. Ela não é boniiiita não, mas fica de frente para o City Hall, melhor ângulo para as fotos.

:: City Hall

Aqui, é o Marco zero da cidade, um dos prédios mais impressionantes em Downtown Philadelphia, que é o maior prédio municipal dos Estados Unidos e uma das maravilhas arquitetônicas da cidade. São mais de 700 salas, muitos detalhes na arquitetura e várias esculturas. A mais famosa de todas, a escultura do William Penn que fica em cima da torre do relógio e pode ser visto de várias partes da cidade.

  • Ingresso: Grátis

:: JFK Plaza / Love Park

Muito perto do City Hall fica uma praça lindinha, a JFK Plaza, também chamada de Love Park, pois é onde está uma réplica daquela famosa escultura “LOVE” de Robert Indiana representando a essência de amor fraterno da cidade..
As vezes tem um pessoal alternativo dançando e cantando, umas crianças andando de skate…vale curtir o momento.
No canto contrario ao City Hall começa a Benjamin Franklin Parkway, o Champs-Elysées da Filadélfia, que vai te levar até a zona dos museus, mas é longe, já aviso. Mas se tiver com tempo e disposição, pode ir à pé, a paisagem compensa.

:: Masonic Temple

Esse é o maior templo massônico do mundo e é possível fazer tours guiados pelo templo.

:: Comcast Center

Esse é o prédio da Comcast, uma das maiores operadoras de cabo dos Estados Unidos. Não é necessário entrar, apenas observe a tela gigante de LED em alta definição com 190 m² no hall de entrada, que fica passando informações e vídeos com uma definição incrível pra esse tamanho todo.

:: Museu de Arte da Filadélfia

Mesmo não tendo tempo de entrar e explorar o museu, vá até lá pra tirar uma foto nas escadarias, que foi cenário marcante do filme Rocky: Um Lutador, de 1976. Lá no alto dos degraus há o registro em bronze das pegadas do lutador, e lá embaixo do lado esquerdo de quem desce tem uma estátua do Rocky Balboa. Não seja tímido e imite a pose dele para uma foto! 🙂
Perto do museu tem também a primeira penitenciária do país, que teve o gângster Al Capone como um de seus presos e hoje pode ser visitada por turistas.

:: Rio Schuylkill

Contornando o museu pela esquerda você chega à beira do rio Schuylkill. Por ali, uma estação de tratamento de água se transformou num museu sobre o assunto. A vista para as boathouses, galpões onde se guardam barcos, é muito bonita.

:: Museu Rodin

Expõe a maior coleção de originais do marido de Camille Claudel fora da França. Trata-se de uma coleção particular que foi deixada para o Estado. Mesmo sem entrar você já pode contemplar a réplica da Porta do Inferno, o mural inspirado no Inferno de Dante que é a obra-prima de Rodin.

:: Museu de Arte da Filadélfia

Se tem um dia sobrando volte e entre no Museu de Arte da Filadélfia. O prédio principal guarda o maior acervo de arte dos Estados Unidos (tem Van Gogh, Duchamp, Picasso, Cézanne).

  • Ingresso: Adulto $20.00  e Criança $14.00

:: Amish Country – Lancaster

Se tiver um dia extra, sugiro que visite Lancaster City para conhecer um pouco mais sobre a cultura dos Amish, um grupo religioso cristão anabatista.  São conhecidos por seus costumes conservadores, como o uso restrito de equipamentos eletrônicos, inclusive telefones e automóveis.
Os Amish são descendentes dos grupos suíços de anabatistas chamados de Reforma radical. Os primeiros Amish começaram a migrar para os Estados Unidos no século XVIII, para evitar perseguições e o serviço militar obrigatório, pois são radicalmente contra todas as formas de violência e, por conta disso, os membros da comunidade não ingressam nas Forças Armadas de seus países. Atualmente eles vivem em comunidades nos Estados Unidos e Canadá, existem comunidades em mais de 28 dos 50 estados norte-americanos, e seus integrantes somam mais de 300 mil pessoas.
Eles preferem viver afastados do restante da sociedade. Eles não prestam serviços militares, não pagam a Segurança Social e não aceitam qualquer forma de assistência do governo. Eles também não gostam de ser fotografados, pois interpretam que, de acordo com a Bíblia, um cristão não deve manter sua própria imagem gravada. Até as meninas Amish brincam com bonecas sem rosto, pois segundo suas crenças, os brinquedos desprovidos de face desencorajam a vaidade e o orgulho.
Ao contrário de outros grupos cristãos, que tentam converter pessoas para a sua fé, os Amish não participam de missões nem de trabalhos de evangelização para aumentar o número de fiéis. Aliás, quem quiser se converter primeiro precisa aprender o dialeto falado pelos Amish, abandonar todos os luxos da vida moderna, passar uma temporada na comunidade e ser aceito por todos por meio de uma votação.
É possível visitar fazendas, plantações, restaurantes, galerias de arte, boutiques, o Mercado Central e vilas como Adamstown, Lititz, Strasburg, ou Intercourse. E ainda realizar um passeio histórico.
Eles possuem um site oficial para visitantes, clica aqui.


:: Compras

Caso esteja por perto e queira tirar um dia para compras, você pode ir à cidade vizinha: King of Prussia. Lá está localizado o King of Prussia Mall, o maior centro de compras da Costa Leste americana. Para preços mais em conta, vá ao Philadelphia Premium Outlets, em Limerick.


:: Clica aqui pra ver O que saber antes de ir para a Filadélfia
:: Clica aqui para ver Onde comer na Filadélfia: Melhores restaurantes, bares e lanchonetes
:: Clica aqui para ver um roteiro de 2 dias na Filadélfia
:: Clica aqui para ver um roteiro de 1 dia na Filadélfia

Onde comer na Filadélfia: Melhores restaurantes, bares e lanchonetes

Comidas típicas

O que você não pode deixar de comer na Filadélfia:

  • Philly cheesesteak
  • Codes Amish
  • Hoaggie de Pulled Pork no Dinic’s

Restaurantes

:: Reading Terminal Market: o mercado central da Filadélfia. Ideal que seja sábado. Lá dentro sugerimos que comam um sanduiche no Dini’s e depois tomem um sorvete no Bassetts Ice Cream ou um doce Amish.

  • Doces Amish – Díficil escolher um só. Se possível, vá em algum stand que você possa pegar um pouco de cada pra provar o máximo, são divinos!
  • Stand do Tonny Dinic’s – O sanduíche mais famoso do Mercado. Hoaggie (aqui é o nome para sanduíche feitos em pão que lembra uma baguete) recheado com carne de porco assada, queijo provolone cortado da peça na hora e brócolis refogado (pulled pork). Tudo isso regado a um molho feito com a base no porco. Muito bom!
  • Bassetts Ice Cream – Tem vários sabores incríveis. O de Baunilha é um sonho, mas tentem o de abóbora também.

:: Italian Market: o mercado de rua da rua 9 que é o centro gastronômico italiano da cidade. Atravesse duas quadras de lojas de mexicanos e quando chegar à parte italiana, entre em lojas como Di Bruno e Claudio, que têm os mais incríveis produtos feitos ou inventados na Itália.
:: Pat’s King of Steaks: onde em 1933 foi inventado o sanduíche-símbolo da cidade, o Philly CheeseSteak: composto por uma baguete, miolo de alcatra e cebolas preparadas em uma chapa e queijo cheddar derretido. Se só poderá comer uma vez, não aceite imitações, vá aqui!
Não tem banheiro, é quase um trailer na rua, mas vai por mim, vale a ida, sonho até hoje com esse sanduíche com queijo saindo por todas as beiradas! hummmmm

10477717_10152933430249608_1115366617927337798_o
Só lembrei de tirar foto depois que já tinha comido tudo hahahaha

:: Clica aqui pra ver O que saber antes de ir para a Filadélfia
:: Clica aqui para ver um roteiro de 2 dias na Filadélfia
:: Clica aqui para ver um roteiro de 1 dia na Filadélfia
:: Clica aqui pra ver mais sobre os Pontos turísticos e O que fazer na Filadélfia

Maceió – O que fazer

Organizei esse post em sub tópicos, e é só buscar por maceió no blog pra você conseguir ver tudo. Mas foi impossível fazer um post menor sobre o que fazer em Maceió, afinal, opções não faltam. Fiz um outro post com sugestões de roteiro separadinhas, e aqui coloquei tudo que tem pra ser feito com … Ler mais Maceió – O que fazer

Porto: Onde comer – Comida Tradicional e Restaurantes Gerais

O Porto é um dos melhores lugares de Portugal para comer. Digo isso porque por aqui você vai encontrar várias opções de restaurantes tradicionais, com vários preços, e também vai achar toda sorte de restaurantes diferentes, caso você queira variar. Fizemos uma seleção segmentada pra facilitar a busca, então nesse post aqui colocaremos apenas as … Ler mais Porto: Onde comer – Comida Tradicional e Restaurantes Gerais

New Orleans: Onde comer – A lista definitiva de Restaurantes imperdíveis!

Se tem um assunto que a gente entende, é sobre onde comer em NOLA. Depois de ficar 3x mais que o tempo sugerido pela maioria dos blogs e guias de viagem, foi possível provar pelo menos 2 restaurantes diferentes por dia. Nós também ficamos hospedados via Airbnb, então tivemos um anfitrião nativo que nos deu … Ler mais New Orleans: Onde comer – A lista definitiva de Restaurantes imperdíveis!

New York: Como ter uma ótima refeição na Times Square

M & M World não é o único lugar para comer no Times Square de Nova York. Times Square pode ser uma das atrações mais superestimadas da cidade de Nova York , mas é praticamente uma obrigação para uma primeira viagem. E enquanto você realmente não consegue evitar os caras rabugentos em fantasias ou multidões de turistas lutando pelo espaço … Ler mais New York: Como ter uma ótima refeição na Times Square

Os 5 Melhores Buffets de Las Vegas

Não é mais necessário contar pra vocês que Vegas é a terra de comer barato e principalmente comer até morrer por preços irresistíveis. Afinal de contas, a cidade já é bem conhecida como um importante centro culinário, e as versões desatualizadas dos antigos buffets são, se não extintas (e algumas dessas relíquias não estão extintas), pelo … Ler mais Os 5 Melhores Buffets de Las Vegas

Os melhores restaurantes da Disney

Nesse post aqui, nós vamos te provar que a Disney pode ser mágica até no momento das refeições. Quando bater aquela fome que não te deixa nem ir para a próxima atração, não se dirija ao carrinho de comida ou restaurante mais próximo. Vale a pena procurar certos restaurantes da Disney World e da Disneyland que … Ler mais Os melhores restaurantes da Disney

Serra Gaúcha: Onde comer e beber – Melhores Cafés Coloniais, Galetos e Restaurantes

Está aí aquela lista esperta e objetiva dos restaurantes, cervejarias, melhores locais pra comer um Café colonial ou um Galeto Típico na Serra Gaúcha. Colocamos o mapa com todos os pontos, inclusive pontos de interesse aí, pra você salvar no seu telefone e usar mesmo offline. Comer e Beber El Fuego Restaurante O Bifão Le … Ler mais Serra Gaúcha: Onde comer e beber – Melhores Cafés Coloniais, Galetos e Restaurantes