Manaus: O que fazer

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram
Share on twitter
Share on pinterest
Veja o índice desse artigo
Manaus: O que fazer

Pra te dar um panorama geral, saiba que em Manaus os passeios se dividem entre passeios feitos na cidade e passeios na Selva.

Nesse post aqui fizemos um roteirinho de como você pode organizar sua visita em Manaus dependendo da quantidade de dias que tem, e nesse outro aqui colocamos o roteiro pra mesclar com cruzeiro no rio Amazonas.

Enquanto nesse post aqui nós falaremos mais de cada lugar a ser visitado, mas a nossa dica é também analisar antes quantos dias ficar em Manaus dependendo do que pensa em fazer, e quanto custa uma viagem na Amazônia.


Dicas de Viagem de Manaus

Manaus é uma cidade cheia de maravilhas naturais para conhecer. Cercada pela floresta amazônica, a cidade oferece muitas atrações para quem ama o meio ambiente e quer descobrir lugares inigualáveis. No entanto, muitas das pessoas que vão para Manaus não sabem muito bem por onde começar.

Para ajudá-lo a criar o roteiro de sua visita à capital do Amazonas, nós selecionamos os melhores passeios em Manaus.

O Centro Histórico de Manaus é a parte mais antiga da cidade, surgida no período de sua fundação. No centro é possível ver vários edifícios históricos e casarios do século XIX, quando Manaus foi uma das mais ricas cidades do Brasil, ao longo do ciclo da borracha, na virada do século.

Manaus já foi chamada de a Paris dos Trópicos, e essa região foi a primeira a implantar a luz elétrica no país e a primeira a ter bondes passando por suas ruas! Hoje, por mais que o Centro tenha um visual de abandono, aos poucos seus edifícios estão sendo recuperados aqui e ali, e esperamos que isso não tenha sido só um “efeito Copa do Mundo”.

Veja aqui as melhores regiões para se hospedar em Manaus.

Pontos de City tour em Manaus

Praça São Sebastião e seus arredores

O ideal é iniciar seus passeios pela Praça de São Sebastião onde a noite é muito agradável. Sente em uma das mesas espalhadas pela praça e experimente algum dos restaurantes típicos. Fica mais agradável ao fim do dia, quando o Sol bate e a temperatura fica mais amena.

Repare que ao redor da praça há antigos casarios conservados onde em muitos funcionam restaurantes. Entre os mais famosos, há o Tambaqui de Banda, que é nossa indicação de onde provar o típico peixe do Amazonas. Tem também a Sorveteria Glacial, super famosa entre os turistas, com sorvetes de sabores exóticos da Amazônia (nada de pedir baunilha ou chocolate, ok?).

No meio da praça fica uma banca com o super famoso Tacacá da Gisela, um prato imperdível da região. Peça um tacacá e prove do açaí (peça pouco pois não agrada à todos).

Veja aqui nossa lista do que não deixar de provar em Manaus e onde provar cada um.

Em uma das casas preservadas também fica o novo espaço cultural do MUSA – Museu da Amazônia, com exposições ligadas a artistas locais.

Teatro Amazonas

O Teatro Amazonas foi inaugurado em 1896 e é um dos principais pontos turísticos de Manaus.

Essa é uma construção que representa bem a riqueza de Manaus na época da borracha através de seus corredores, salões e obras de arte. O prédio é repleto de objetos históricos e pode ser visitado com guia, o passeio é imperdível.

O teatro ficou abandonado por um tempo até que, em 1997, as apresentações foram retomadas e hoje o Teatro recebe Festivais de Ópera e outras apresentações de dança e música.

Os guias contam um pouco sobre cada objeto e sobre a história do teatro em suas diversas fases até chegar nos dias de hoje. Atenção para não escolher para visitar em um dia de espetáculo, pois nesses dias não há visitação.

Entre 1º e 31 de maio, acontece o Festival Amazonas de Ópera e os valores dos ingressos variam de R$5 a R$80. Pode ser uma boa opção pra conhecer o teatro e já fazer um passeio cult.

  • Quanto custa: As visitas guiadas custam R$20 e saem de hora em hora.
  • Horários/Duração: As visitações acontecem de terça a sábado, das 9h às 17, de hora em hora, e levam 1h.

Igrejinha de São Sebastião

Ainda na praça, próximo do Teatro Amazonas fica a Igreja de São Sebastião. Uma construção pitoresca do final do século XIX, que chama atenção pela decoração interna.

Palácio da Justiça do Amazonas

Atrás do Teatro Amazonas está também o belíssimo Palácio da Justiça, que abriga atualmente um centro cultural aberto ao público gratuitamente. Ali é possível visitar seu incrível interior adornado construído em 1900.

Museu da Casa Eduardo Ribeiro

Ao lado do Palácio da Justiça fica o Museu da Casa Eduardo Ribeiro, que foi governador do Amazonas no século XIX que concluiu a construção do Teatro Amazonas e fez Manaus ganhar a fama de Paris dos trópicos.

Palacete Provincial

Indo em direção ao Mercado Municipal fica o Palacete Provincial, antigo quartel da Polícia Militar do Amazonas que hoje abriga a Pinacoteca do Estado do Amazonas, o Museu da Imagem e do Som, o Museu Tiradentes, o Museu da Arqueologia e, ainda, o Museu de Numismática.

A Pinacoteca possui mais de 150 obras que contam a história do Amazonas e da época do ciclo da borracha, quando inúmeros artistas de vários cantos do planeta vieram à capital amazonense em busca de prosperidade.

A entrada é gratuita, assim como as visitas guiadas.

Já em frente ao palacete fica a Praça Heliodoro Balbi, totalmente reformada e que foi palco de calorosos encontros intelectuais e políticos séculos passados.

Mercado Municipal Adolpho Lisboa

Bem perto do porto você vai encontrar um dos prédios mais históricos da cidade, que teve sua arquitetura inspirada em mercados de Paris.

O Mercado Municipal foi construído em 1880, e até hoje é utilizado por vários comerciantes com seus boxes vendendo frutas, peixes, artesanato local, cosméticos, cachaças e também uma praça de alimentação com comidas típicas. É um bom lugar para comprar as lembrancinhas da viagem.

Outros

  • Porto de Manaus: localizado no centro de Manaus.
  • Palácio Rio Negro: Uma breve parada na sede oficial do Governo do Estado e belo exemplo de arquitetura do período áureo da borracha.
  • Museu do Índio: da Congregação Salesiana, melhor lugar para compreender as tradições, usos e costumes das populações indígenas.
  • Bosque da Ciência: uma enorme área com muita vegetação e animais, que funciona quase como um zoológico de espécies nativas da Amazônia.

Pontos mais distantes, porém, na cidade

  • Praia de Ponta Negra: é a mais famosa da cidade, muito procurada para os locais se refrescarem do calor. A praia só se forma quando o rio está baixo, mas as atrações do calçadão da Ponta Negra estão por lá o tempo todo.
  • MUSA: Um museu a céu aberto que fica dentro de uma Reserva Florestal e divide espaço com o Jardim Botânico de Manaus. Possui trilhas guiadas pelo meio da floresta, onde o guia vai te explicando sobre a fauna e a flora local e mostrando os bichos que podem ser avistados pelo caminho. Tem também um borboletário experimental e a atração mais famosa do MUSA: uma torre com 42 metros de altura (o equivalente a um prédio de 14 andares) que fica acima da copa das árvores. A torre tem 3 plataformas e visões diferentes.
  • Centro Cultural dos Povos da Amazônia: Apesar de ainda não ser tão difundido como destino turístico em Manaus, o Centro Cultural dos Povos da Amazônia é mais interessante do que seu exterior aparenta. O lugar é visitado com instrutores, o que deixa todo o passeio interessante e educativo, perfeito para famílias com crianças. A vantagem é que o lugar não é cansativo, já que as pessoas podem interagir com diversos objetos ao longo do passeio. No exterior será possível conhecer malocas indígenas e objetos para fazer farinha e extrair látex. No interior, não deixe de visitar o museu do Centro Cultural, com inúmeras fotos, quadros, frutos e colares utilizados pelos povos indígenas. Entrada e visitas guiadas gratuitas.
  • Manauara Shopping: Sabemos que viajando, o ultimo lugar que você vai considerar como ponto turístico é um shopping, mas o Manauara foge um pouco da regra. Lá você encontrará as mais importantes marcas do país, mas o atrativo principal é uma pequena floresta em seu interior. Tome um sorvete e curta o clima de mata, mesmo estando em um shopping.
  • Arena da Amazônia: A Arena da Amazônia é a mais nova atração da cidade. Fica a 30 minutos de ônibus do Centro Histórico. Foi construída para a Copa do Mundo de 2014 numa forma de integrar o Amazonas ao resto do país neste evento tão grandioso. Hoje há sempre a tentativa de dar utilidade a ela, seja em eventos culturais, como os esportivos, trazendo times de outros estados e até mesmo jogos internacionais para o local. É um estádio padrão FIFA e possui uma arquitetura arrojada, que lembra um cesto de palha indígena. Possui visitas guiadas e programadas. Pesquise no site oficial antes de ir.
    • VISITA GUIADA: De terça-feira a sábado.
    • Horários: das 9h às 12h, e das 14h às 17h (fechamento dos portões)
    • Valores: R$ 20,00 (turistas nacionais e internacionais)/ R$ 10,00 (visitantes locais).
    • Meia entrada garantida a estudantes com apresentação de identificação, e pessoas com deficiência.
    • Isenção garantida a guias de turismo e idosos, com apresentação de identificação.
    • Entrada pelo Portão C, ao lado da Arena Amadeu Teixeira.

Passeios mais distantes – Selva ou Bate-Volta

:: Arquipélago de Anavilhanas

Um dos maiores arquipélagos de água doce do mundo, com aproximadamente 400 ilhas, o Parque Nacional de Anavilhanas fica dentro dos municípios de Manaus e Novo Airão. Você pode chegar lá de carro ou embarcação, e muitas empresas de turismo oferecem passeios para admirar a mata e os rios da região. Um ótimo lugar para apreciar a natureza e passar uma tarde tranquila.

:: Encontro das Águas

Um dos passeios mais conhecidos da cidade e praticamente obrigatório.

É o ponto em que se encontram os rios Solimões (água barrenta), e o Rio Negro (água escura) em um trecho de pelo menos 6km, que as vezes chega a 22km dependendo da época do ano.

Mas o que o faz mais famoso e curioso é o fato das águas correm lado a lado por mais de 10 km sem se misturarem até formar o Rio Amazonas, o maior rio do mundo em extensão e volume d’água. E nem tente misturá-las, não funciona rsrs.

A explicação científica são as densidades diferentes de cada corrente, mas pode acreditar em mágica que tá valendo também. Em um dia ensolarado a coloração diferente dos dois rios é ainda mais visível.

Como ir

Se liga que isso aqui se aplica pra vários passeios que falarei à seguir, então pra não escrever de novo, apenas escreverei ‘Idem Encontro das Águas’

:: Passeio com botos cor-de-rosa

As lendas você já ouviu, com certeza! O Boto é da mesma família do Golfinho, A coloração se deve à circulação do sangue, e isso o torna um dos animais mais interessantes, místicos e misteriosos da região.

Só será possível vê-lo pela região norte, então não perca a oportunidade. É possível interagir com botos que não sejam rosas também. Você poderá ver, alimentar e até mesmo nadar (Sempre respeitando as instruções dos guias, seja consciente)

:: Novo Airão

Cidade próxima a Manaus onde há um espaço onde os botos se aproximam para se alimentar, custa apenas 10 reais.

:: Visita a uma comunidade indígena

No Rio Cuieiras para conhecer a escola, o posto de saúde, a casa de farinha (produção de farinha de mandioca) as moradias e as plantas cultivadas desta população. Oportunidade para adquirir artesanato local.

Estando em Manaus é possível visitar a aldeia dos Dessana, na Reserva do Tupé. Para chegar lá só com agências junto com outras atividades durante o dia ou então pegando um barco na Marina do Davi. Neste último caso, é bom dar uma ligada para a Acamdaf (a associação dos barqueiros) e se informar sobre as saídas.

O ritual indígena na Reserva Sustentável do Tupé é o mais perto que você pode chegar da cultura indígena autêntica na capital do Amazonas.

O pajé Raimundo e seu grupo vieram de São Gabriel da Cachoeira, há 800 quilômetros de Manaus. Construíram uma grande oca nas margens do Rio Negro e resgataram antigos rituais, com flautas e ritmos tradicionais dos índios dessana. Além de assistir, você também pode ensaiar uns passos na roda do yupari.

  • Como ir: Idem Encontro das Águas, porém só faz parte do trajeto Rio Negro do cruzeiro.
  • Reserva do Tupé: É possível ir de barco a partir da Marina do Davi, fica a um quilômetro do Hotel Tropical, na Ponta Negra. Procure os barqueiros da cooperativa de transporte da marina. Informe-se antes sobre os horários de saída. Fone: (92) 3658 6159
  • Podes incluir a visita nas aldeias em um passeio de barco também.

:: Visita à casa de caboclos

Um passeio muito interessante que mostra a vida dos moradores locais em meio a igarapés. Esses passeios podem ser feitos por agências, ficando hospedados em hotéis na selva ou fazendo o cruzeiro da Iberostar. Em todas as opções é preciso passar mais de um dia fora de Manaus.

  • Como ir: Idem Encontro das Águas, porém só faz parte do trajeto Solimões do cruzeiro.

:: Comunidade do Catalão

Visita à casa de nativos onde é possível observar alguns animais da região como Macacos e a criação do Pirarucu o maior peixe de escamas de água doce do mundo.

:: Pesca de piranhas e focagem de jacarés

Duas atividades que só podem ser feitas com agências ou com o cruzeiro. Tanto a pesca quando a focagem são bastante interessantes e precisam de paciência para acontecer.

  • Como ir: Idem Encontro das Águas, porém só faz parte do trajeto Rio Negro do cruzeiro.

:: Fazer um cruzeiro pelos rios Negro e Solimões

Se você quer fazer os passeios com conforto e reduzindo tempo de deslocamento, um cruzeiro é uma ótima opção. A Iberostar tem dois trajetos, um que vai pelo Solimões e um pelo Rio Negro.

No sistema All-Inclusive, até os passeios fazem parte do pacote, então você já reduz bastante os dias de passeio avulsos. Se você quiser saber mais como reservar um cruzeiro desse pelos rios negro e solimões, clique aqui. E clique aqui pra ver os passeios que estão inclusos nos trajetos.

:: Dormir em um hotel dentro da Floresta Amazônica

A segunda opção de imersão Roots é um hotel de Selva que pode nem ser tão raíz assim, já que há várias opções bem luxuosas por lá. É um pouco mais caro que o cruzeiro, quando comparados os pacotes fechados, mas de repente é o que você procura.

A desvantagem aqui em relação ao cruzeiro é ter que ir e voltar de uma posição fixa, enquanto o cruzeiro se desloca, te aproximando dos locais de interesse. Se você quiser saber das opções de hotel de selva por lá, clique aqui.

:: Lago do Janauary

Faça uma caminhada sobre uma  trilha de selva para observarmos o lago com as Vitórias Régias ( Planta aquática que pode chegar a 2,5 metros de diâmetro e suportar ate 40 quilos em sua superfície

  • Como ir: Idem Encontro das Águas, porém só faz parte do trajeto Rio Negro do cruzeiro.

:: Passeio de Sobrevivência na Selva com visita à Vila Indígena

Vila do Tupé. Recepção e breve explanação sobre o tour. Seguimos para caminhada na selva de aproximadamente 2 horas. Durante a caminhada instrução de: Construção de pequenas armadilhas e sobre como reconhecer plantas medicinais e frutíferas. Visita a vila indígena conhecendo suas tradições e modo de vida. Retorno ao barco para navegação de volta ao Píer do Tropical Hotel com previsão de chegada às 13:00h (dependendo do tipo de embarcação).

:: Passeio Museu do Seringal

Inaugurado dia 16 de Agosto de 2002, e é o maior projeto turístico e cultural do Governo do Estado, pois mostra a era de ouro do Ciclo da Borracha e oferece uma ampla visão da situação dos seringais naquela época.

Foi originalmente criado para servir de set de filmagens do longa metragem “A Selva” de Leonel Vieira (uma adaptação da obra do escritor português Ferreira de Castro), por isso é totalmente decorada com os móveis e objetos usados na época do ciclo da borracha.

O roteiro da visita começa no trapiche, local onde ocorria o embarque e desembarque da borracha, seguindo para o Casarão do Seringalista que reflete bem a riqueza dos seringais quando a borracha estava no auge de sua valorização econômica.

O passeio prossegue no Barracão de Aviamento, Capela e na Casa de Farinha que mostra o processo artesanal da fabricação da farinha de mandioca.

Seguindo a trilha no meio da mata conheceremos a árvore da seringueira e o processo de coleta do látex. Visita ao Tapiri de Defumação da Borracha, onde eram confeccionadas as bolas de látex ou “pélas” e à modesta Casa do Seringueiro completando o roteiro que retrata a vida e os costumes dos antigos seringais da Amazônia.

Faça uma paradinha na Praia da Lua, uma praia banhada pelo Rio Negro que fica bem no caminho do museu. Por lá tem umas barraquinhas e rola almoço e petiscos típicos.

  • Como ir: Somente por via fluvial (barco: De 25 a 30minutos). Saindo do Centro de Manaus, pegue um taxi ou ônibus (linha 120 ou 126 saindo da Av. Getúlio Vargas – 1h até lá) e vá até o final da Ponta Negra. Caminhe e passe o Hotel tropical até a Marina do David. – Use canoas da associação ACAMDAF (092) 3658-6159 (Endereço: Avenida Coronel Teixeira, S/N – Flutuante Acamdaf. Marina do Davi – Ponta Negra. Site: acamdafturismo.net).
  • Horário de Funcionamento: De Terça à domingo, das 9h às 16h – Chegue até às 15h.
  • Endereço e contato: Igarapé São João – Afluente do Igarapé do Tarumã Mirim (Zona Rural).
  • Quanto Custa: O Barco até o museu custa R$12 o trecho por pessoa, ou seja R$24 + R$5 da entrada no museu.
  • Site oficial do Museu do Seringal

:: Passeio para Cachoeiras de Presidente Figueiredo

Presidente Figueiredo, o cenário da Aventura e do Turismo de Natureza, abre as portas para você. Criado em 1981 o município recebeu seu nome em homenagem ao primeiro Presidente da Província do Amazonas, João Batista de Figueiredo Terreiro Aranha (1798-1861).

Localizado a 107 km ao norte de Manaus, com acesso pela BR 174, o Município vive da extração de vários minérios, da agropecuária e do turismo. Na segunda quinzena do mês de maio a cidade realiza a Festa do Cupuaçu, fruta da qual é o maior produtor no Amazonas.

Sua área compreende reservas ecológicas, reservas indígena (Waimiri Atroari), sítio de mineração, usina hidroelétrica de Balbina (distante 70 km de Figueiredo), cavernas, grutas, lagos, rios, igaparés e muitas cachoeiras e corredeiras.

Imagine-se num lugar assim: Florestas, rios, cachoeiras e cascatas, um mundo mágico que a natureza reservou para você. Presidente Figueiredo nasceu com vocação natural para o turismo.

A Terra das Cachoeiras tem trilhas para caminhadas na selva, visita às cavernas, passeios de barco no lago de Balbina, visita à Hidroelétrica e tantas outras opções que incluem o turismo ecológico e de aventura. O município de Presidente Figueiredo foi criado em 1981 e recebeu este nome em homenagem ao primeiro Presidente da Província do Amazonas, João Baptista de Figueiredo Tenreiro Aranha (1798-1861).

Localizado a 107 Km ao norte de Manaus, com acesso pela BR 174, esse pedaço de paraíso amazônico tem uma área de 24.781 km² distribuída em reservas ecológicas, reserva indígena, mineração, hidroelétrica e uma exuberante floresta onde a natureza foi pródiga em esconder os rios, os igapós e as cachoeiras. O município de Presidente Figueiredo está situado a longitude 60o Oeste de Greenwich e Latitude de 02 o sul, com altitude de 120 m.

O Lago de Balbina foi proporcionado pela construção da barragem da hidroelétrica de Balbina, localizado no Município de Presidente Figueiredo, 180 km de Manaus, no Rio Uatumã, um dos afluentes do Rio Amazonas.

O Clima é quente e úmido com temperatura média entre 25o C e 35o C.

A Vegetação é formada pela Floresta Tropical e há grande predominância de terras acidentadas, e o solo apresenta características arenosa nas áreas mais altas e argila nas áreas mais baixas.

O Rio Uatumã é conhecido principalmente na época da pesca do Tucunaré, durante os meses de Setembro a Dezembro, mas a pesca no lago de Balbina pode ser realizado o ano todo sendo excelente para iniciantes.

O Centro de Pesquisa de Quelônios e Mamíferos Aquáticos da Manaus Energia (tartaruga, peixe boi e ariranhas), Centro de Aquicultura do IDAM, que realiza o repovoamento da lagoa afetada pela construção da Hidroelétrica e o Centro de Pesquisas Arqueológicas que trabalhou no resgate do sítio arqueológico antes do processo de inundação.

O Centro de Proteção Ambiental merece sua visitação pelo vasto acervo de peças arqueológicas e coleção de animais empalhados.


Esperamos que esse post tenha ajudado, sugerimos que veja aqui as melhores regiões para se hospedar em Manaus.

Outros artigos que podem ser interessantes pra sua pesquisa sobre a Amazônia:

Hospedar

O que fazer

Comer e beber na Amazônia e Manaus

Opções de Roteiro na Amazônia e Manaus

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Já existem formas mais inteligentes e baratas que enviar pelo banco.

Envie dinheiro com segurança pela melhor taxa de câmbio do Brasil.

Faça já a sua simulação e use o cupom: 5CANTOS

Clique aqui para receber a cotação diária do Euro e Dólar gratuitamente

Sobre mim

Olá, meu nome é Ingrid.
Sou Engenheira, Foodie e Escritora de viagem :)

Tenho uma curiosidade infinita pelas diferentes formas de viver, culturas, tradições e sabores.

Já passei por mais de 30 países e hoje sou nômade digital, trabalho de qualquer lugar do mundo, mas escolhi o Porto como lar.

Conecta-te comigo
Planeje sua Viagem
Descubra os buscadores que usamos para pagar mais barato e viajar mais
Grátis
Compartilhe esse artigo com seus amigos
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on telegram
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest

Autor desse artigo:

Deixe um comentário

Translate »