Portugal – Sugestões de Roteiros de 1 à 17 dias

Uma das piores sensações pra um viajante é perceber que errou na conta dos dias pra uma viagem. É ruim saber que está indo embora sem ter visto tudo que era importante, assim como calcular mal e ter muitos dias sobrando, e notar que poderia ter aproveitado pra fazer outras coisas caso tivesse se planejado melhor.

Pra te ajudar a não cometer esse erro, vale pesquisar quantos dias são necessários pra conhecer bem aquele destino. Nem sempre é possível achar um número mágico, não há um número certo para cada lugar, depende do que te interessa conhecer e do seu estilo de viagem. Mas vamos tentar te ajudar.

Portugal é um país pequeno, mas cheio de cidades encantadoras a serem vistas. É quase um pecado deixar de visitar algumas como Óbidos, Aveiro, Sintra… E pra te ajudar a decidir o que fazer, seguem nossas sugestões do que pode ser feito em cada quantidade de dias.

Óbvio que há muitos outros lugares além do que apresentaremos, mas esses nós consideramos os mais importantes pra quem quer conhecer o País.

Portugal em 17 dias – Pra nós, um número bom para Portugal é pelo menos uns 17 dias. Sim, é possível conhecer com menos, mas vou te mostrar tudo que dá pra fazer nesses 17 dias:

  • Dia 1 – Porto
  • Dia 2 – Vila Real, Trás os Montes: Douro/ Régua/ Pinhão/ Vila Real
  • Dia 3 – Ponte de Lima/ Viana do Castelo
  • Dia 4 – Porto
  • Dia 5 – Aveiro/ Ovar/ Barra/ Costa Nova
  • Dia 6 – Guimarães / Braga
  • Dia 7 – Porto
  • Dia 8 – Coimbra
  • Dia 9 – Mosteiro da Batalha/ Fátima  
  • Dia 10 – Nazaré
  • Dia 11 – Óbidos
  • Dia 12 – Lisboa: Belém
  • Dia 13 – Caiscais/ Estoril  
  • Dia 14 – Sintra
  • Dia 15 – Algarve (Se for inverno, substitua por Serra da Estrela e coloque no começo do Roteiro)
  • Dia 16 – Algarve
  • Dia 17 – Algarve

Segue mapa com todos os pontos a ser visitados, sugiro que baixem o MyMaps do Google e salvem nossos mapas dos locais, assim, será possível vê-los offline.


Se você pode ficar mais dias, faça tudo com mais calma, visite menos lugares por dia e passe mais tempo em cada cidadezinha. Aproveite pra passar em cidadezinhas pequenas e menos visitadas, elas são sempre uma surpresa.

Já se você não tem tanto tempo, é possível reduzir o roteiro que sugerimos aí em cima. Vou colocar os dias aqui por ordem de prioridade do que deve ser visto, assim você decide quais dias excluir. Pra otimizar o tempo de viagem entre os locais, quando fomos, ficamos no Porto, depois em Belém (Clique aqui pra ver onde se hospedar em Lisboa) e depois em Vila Nova de Gaia, e desses lugares partíamos para as cidades próximas. Sugerimos que façam algo semelhante, e se hospedem nesses locais, reduzindo o deslocamento entre sua hospedagem e o destino.

Segue a lista de onde ir, do mais importante, aos menos indispensáveis. Grifei os que são totalmente indispensáveis. Então você faz assim: Se tiver um dia só, faz o primeiro, se tiver 2, faz o primeiro e segundo e por aí vai, independente da ordem que será feito, e não esqueça de considerar os tempos de deslocamento.

  1. Lisboa/ Belém
  2. Lisboa/ Sintra
  3. Porto: Baixa/ Café Santiago/ Sta Catarina/ Matosinhos/ Gaia/ Ribeira/ Casas de Vinho
  4. Porto
  5. Aveiro/ Ovar/ Barra/ Costa Nova
  6. Peniche/ Óbidos/ Nazaré
  7. Mosteiro da Batalha/ Fátima
  8. Sintra
  9. Guimarães / Braga/ Barcelos
  10. Algarve
  11. Ponte de Lima/ Viana do Castelo
  12. Caiscais/ Estoril
  13. Coimbra
  14. Vila Real, Trás os Montes (Comboio): Douro/ Régua/ Pinhão/ Vila Real
  15. Costa do Alentejo: Sines/ Vila nova de Milfontes/ Odemira/ Porto covo/ Odeceixe
  16. Serra da Estrela: Torres Novas/ Castelo Branco/ Monsanto
  17. Gerês

Dentro de cada um dessas cidades e lugares há mil coisas a se ver e fazer. Aos poucos vamos escrevendo tudinho aqui no Blog.


Como se deslocar

A melhor forma de deslocamento pra conhecer esses lugares todos aí é de carro. Sem dúvida, alugar um carro te trará uma flexibilidade e otimizará muito a sua viagem. Você pode se deslocar de comboio ou transporte publico, mas isso pode te fazer perder um tempo a mais, além de ficar engessada nos horários disponíveis.
Eu sempre alugo via RentCars ou RentalCars, porque todas as vezes que comparei, ficava mais barato do que direto com a agência. Clica aqui pra ir direto para o site da RentCars ou RentalCars pra comparar e ver como vale mais a pena.

Roteiro de 1 dia em Vaduz – Liechtenstein

Visão geral sobre o lugar, história e curiosidades

  • 4º Menor País da Europa e 6º Menor do Mundo
  • Vaduz não tem automóveis no centro
  • Um dos estados mais ricos do mundo
  • Um dos poucos países no mundo com mais empresas e/ou companhias internacionais por habitante
  • Além de cereais – trigo, aveia, centeio e milho, cultivam-se vinhas e frutas variadas; as pastagens ocupam 38% da sua superfície.

Sugestões de Roteiro

Basta apenas um dia pra conhecer Vaduz.

  • Museu Nacional de Liechtenstein
  • Museu do Selo
  • Posto de Informações Turísticas
  • Edifício do Parlamento
  • Catedral de Vaduz
  • Castelo de Vaduz
  • Casa Vermelha

O que fazer (Itens mais explicados)

Vaduz

A capital do pais. O centro se limita a uma rua principal, que reúne todo comercio, restaurantes, museus e edifícios do governo. A rua Stadtle Strasse eh uma rua para pedestres e delimita todo o “centro” da cidade – se você andar sem parar, do inicio ao fim da rua vai levar cerca de 15 minutos no máximo!
Arte de rua VaduzRua Stadtle

Museu Nacional de Liechtenstein

A rua Stadtle também eh o endereço dos museus do pais e em questão de quarteirões você vai passar pelo museu de Art de Liechtenstein, o museu do esqui, o museu de selos postais e o museu nacional.
Rua Stadtle

Museu do Selo

O mais interessante de todos eles eh o museu do selo, que por mais bobinho que isso possa soar aos não colecionadores de selo, eh o museu que conta a historia da tradição e historia da “arte” de fabricar selos pelo qual Liechtenstein eh tao famoso. E foi interessante também entender o porquê do pais ser tao conhecido nessa “industria”, devido a sua tradição (eles foram um dos primeiros países do mundo a colar selos de papel em envelopes), alem de sempre escolherem temas polêmicos para estampar seus selos (inclusive durante as guerras mundias e durante a dominação Austro-Hungara na região) e serem um dos menores sistemas postais do mundo (tao pequeno que na verdade hoje em dia eles pegam carona na infra estrutura Suíça).
Selos VaduzMuseu Vaduz

Posto de Informações Turísticas

Carimbar o Passaporte! Quase no final da rua fica o posto de informações turísticas, com sua lojinha de souvenir de selos e carimbos – e como Liechtenstein hoje em dia não tem mais fronteira imigratória com seus vizinhos, você pode pedir que eles carimbem seu passaporte, só pra constar sua visita!
Marco 0 de Vaduz Turismo_Carimbar passaporte

Edifício do Parlamento

A rua acaba na praça Peter-Kaiser-Platz onde fica o Landtag, o parlamento do pais, um prédio ultra moderno (que parece ser feito de palito de sorvete!) que divide o espaço com a sede do governo, o Regierungsgebäude (e seus lindos brasões e mosaicos!).
img_3375

Catedral de Vaduz

A igreja católica de São Florin, ou St. Florinskirche fica ao lado.
img_3393 img_3391 img_3387

Castelo de Vaduz

Mas o ponto alto da cidade (literalmente e figurativamente!) eh o castelo, Schloss Vaduz, que eh a residencia oficial do príncipe de Liechtenstein Hans-Adam II e a família real. O castelo não eh aberto a visitação, mas nem precisa – o bonito mesmo eh ver ele de longe, dramaticamente pendurado nos rochedos, exatamente acima da cidade! Os melhores ângulos são os vistos no lado oeste da cidade, onde da pra ver bem como o castelo foi construído ta na beiradinha da montanha, avistando todo o vale do rio Reno, e eh nesse angulo também que de quebra ainda temos os picos nevados dos Alpes como pano de fundo!
dsc03282img_3408

Casa Vermelha

Ou Rot Haus, um edifício do seculo 15 que ja fez parte de um monastério, mas que hoje eh a sede de uma das principais viniculas do pais.
Para ler o roteiro completo, clique aqui.

O que fazer em Vaduz – Lienchtenstein

Visão geral sobre o lugar, história e curiosidades

  • 4º Menor País da Europa e 6º Menor do Mundo
  • Vaduz não tem automóveis no centro
  • Um dos estados mais ricos do mundo
  • Um dos poucos países no mundo com mais empresas e/ou companhias internacionais por habitante
  • Além de cereais – trigo, aveia, centeio e milho, cultivam-se vinhas e frutas variadas; as pastagens ocupam 38% da sua superfície.

Sugestões de Roteiro

Basta apenas um dia pra conhecer Vaduz.

  • Museu Nacional de Liechtenstein
  • Museu do Selo
  • Posto de Informações Turísticas
  • Edifício do Parlamento
  • Catedral de Vaduz
  • Castelo de Vaduz
  • Casa Vermelha

O que fazer (Itens mais explicados)

Vaduz

A capital do pais. O centro se limita a uma rua principal, que reúne todo comercio, restaurantes, museus e edifícios do governo. A rua Stadtle Strasse eh uma rua para pedestres e delimita todo o “centro” da cidade – se você andar sem parar, do inicio ao fim da rua vai levar cerca de 15 minutos no máximo!
Arte de rua VaduzRua Stadtle

Museu Nacional de Liechtenstein

A rua Stadtle também eh o endereço dos museus do pais e em questão de quarteirões você vai passar pelo museu de Art de Liechtenstein, o museu do esqui, o museu de selos postais e o museu nacional.
Rua Stadtle

Museu do Selo

O mais interessante de todos eles eh o museu do selo, que por mais bobinho que isso possa soar aos não colecionadores de selo, eh o museu que conta a historia da tradição e historia da “arte” de fabricar selos pelo qual Liechtenstein eh tao famoso. E foi interessante também entender o porquê do pais ser tao conhecido nessa “industria”, devido a sua tradição (eles foram um dos primeiros países do mundo a colar selos de papel em envelopes), alem de sempre escolherem temas polêmicos para estampar seus selos (inclusive durante as guerras mundias e durante a dominação Austro-Hungara na região) e serem um dos menores sistemas postais do mundo (tao pequeno que na verdade hoje em dia eles pegam carona na infra estrutura Suíça).
Selos VaduzMuseu Vaduz

Posto de Informações Turísticas

Carimbar o Passaporte! Quase no final da rua fica o posto de informações turísticas, com sua lojinha de souvenir de selos e carimbos – e como Liechtenstein hoje em dia não tem mais fronteira imigratória com seus vizinhos, você pode pedir que eles carimbem seu passaporte, só pra constar sua visita!
Marco 0 de Vaduz Turismo_Carimbar passaporte

Edifício do Parlamento

A rua acaba na praça Peter-Kaiser-Platz onde fica o Landtag, o parlamento do pais, um prédio ultra moderno (que parece ser feito de palito de sorvete!) que divide o espaço com a sede do governo, o Regierungsgebäude (e seus lindos brasões e mosaicos!).
img_3375

Catedral de Vaduz

A igreja católica de São Florin, ou St. Florinskirche fica ao lado.
img_3393 img_3391 img_3387

Castelo de Vaduz

Mas o ponto alto da cidade (literalmente e figurativamente!) eh o castelo, Schloss Vaduz, que eh a residencia oficial do príncipe de Liechtenstein Hans-Adam II e a família real. O castelo não eh aberto a visitação, mas nem precisa – o bonito mesmo eh ver ele de longe, dramaticamente pendurado nos rochedos, exatamente acima da cidade! Os melhores ângulos são os vistos no lado oeste da cidade, onde da pra ver bem como o castelo foi construído ta na beiradinha da montanha, avistando todo o vale do rio Reno, e eh nesse angulo também que de quebra ainda temos os picos nevados dos Alpes como pano de fundo!
dsc03282img_3408

Casa Vermelha

Ou Rot Haus, um edifício do seculo 15 que ja fez parte de um monastério, mas que hoje eh a sede de uma das principais viniculas do pais.
 
Para ler o roteiro completo, clique aqui.

Castelo Neuschwanstein

Quase na fronteira com a Áustria, com visão para os Alpes, pertinho da cidade de Fussen (uma cidadezinha que faz parte da rota romântica), fica o Castelo de Neuschwanstein na Alemanha na região da Baviera, perto do vilarejo de Hohenschwangau, que abriga outro castelo lindo também.
O castelo é provavelmente uma das atrações mais fotografadas da Alemanha. Ele atrai 1,4 milhões de turistas por ano – 6 mil visitas por dia durante o verão e está entre os castelos mais bonitos do mundo, não é por menos que se tornou uma parada obrigatória para quem visita o sul da Alemanha ou está na próximo pela Aústria.
Vou te dar mais uma razão pra visitar: Ele foi a inspiração para criação do castelo da Cinderela, no Magic Kingdom! Não é para menos que ele é chamado de castelo conto de fadas. Mas vai por mim, já vi os dois, e se você já foi na Disney e ficou impressionado com o castelo, não vai querer deixar de ver esse.
10498207_755256527873682_1716105336460651978_o 10527888_10152598713948664_6766152078994694681_n

História

A concepção do edifício foi esboçada por Luís II da Baviera numa carta a Richard Wagner, datada de 31 de Maio de 1868:

“É minha intenção reconstruir a ruína do velho castelo em Hohenschwangau, próximo do Desfiladeiro de Pollat, no verdadeiro espírito dos velhos castelos dos cavaleiros alemães (…) a localização é a mais bela que alguém pode encontrar, sagrada e inacessível, um templo digno para o divino amigo que trouxe a salvação e a verdadeira bênção ao mundo.”

A primeira pedra do edifício foi colocada no dia 5 de Setembro de 1869. O Neuschwanstein foi desenhado por Christian Jank, um desenhador de cenários teatrais, em vez de um arquiteto, o que mostra muito das intenções de Luís II, e explica grande parte da natureza fantástica do edifício resultante.
O castelo foi originalmente chamado de “Novo Castelo Hohenschwangau” até à morte do Rei, quando foi renomeado como Neuschwanstein. O nome Neuschwanstein significa “novo cisne de pedra” em alemão, que remete ao “cavaleiro do Cisne” da ópera de Richard Wagner, a qual o Rei era um grande fã. A mando dele, as construções iniciaram em 1869 e se baseou nas obras de Ricardo Wagner, unindo elementos do  castelo de Wartburg com a simbologia do castelo do Santo Gral, da ópera “Parsifal”. O Castelo de Hohenschwangau (que significa “Castelo do Grande Condado do Cisne”), foi onde Ludwing II passou grande parte de sua infância.
Ludwig II é quem faz com que a história do Neuschwanstein seja tão especial. Ele é conhecido na Alemanha como o rei louco, uma pessoa excêntrica, que gostava de viver isolado do resto do mundo. Rei da Baviera desde 1864, ele se tornou rei aos 18 anos e detestava sua residência oficial, a cidade de Munique , uma vez que apenas dois anos mais tarde foi subjugado pela Prússia. Ele nunca se casou nem teve filhos, trocava o dia pela noite e tinha apenas um irmão, o qual acreditava que ele era louco e incapaz de governar a Bavária.
O objetivo de Ludwig II ao criar o castelo era se isolar do mundo e ao mesmo tempo criar algo mais imponente e impressionante que o Hohenschwangau, e por isso remete ao Cisne, fazendo referencia ao primeiro castelo, onde da janela do seu quarto conseguia observar a construção do Neuschwanstein.

“A localização é a mais bela que alguém pode encontrar, sagrada e inacessível”, escreveu Ludwig em 1868 numa carta ao compositor clássico Wagner, que era seu amigo…

Foram 17 anos de construção e o rei colocou na obra todo o dinheiro que tinha e o que não tinha, gerando uma dívida que não agradou nada a família real. Ludwig obteve um controverso diagnóstico de insanidade após decidir que jamais se casaria e desistir de seu noivado com a duquesa Sofia Carlota (irmã da imperatriz Sissi da Áustria). Ele adquiriu fama de excêntrico e de gastar descontroladamente. Daí veio o nome “Rei Louco” / “Mad King”.
O Castelo de Neuschwanstein estava próximo da conclusão quando, em 1886, o Rei foi declarado insano pela Comissão de Estado liderada pelo Dr. von Gudden, e aprisionado no castelo. Ele foi levado para Berg, foi encontrado, no dia 13 de Junho de 1886, afogado em águas superficiais do Lago Starnberger, em circunstâncias que jamais foram totalmente explicadas.
O castelo carrega uma história bem peculiar. O projeto majestoso previa 360 cômodos, porém sua construção foi interrompida após a morte de Ludwig II e nunca foi finalizada, com somente 14 das salas internas decoradas. O Neuschwanstein foi construído com a tecnologia mais avançada da época, onde até chão aquecido, toaletes automáticos e uma espécie de telefone existiam.
Entre as salas do castelo que podem ser visitadas estão o salão de festa, o quarto de Ludwig II, a cozinha, o hall onde ficaria o trono, mas não tem trono (rs), porém, ainda assim tem uma decoração que deixa qualquer um embasbacado, com dois andares, arcadas e quinze metros de altura, trem uma ornamentação ofuscante em azul e ouro. Tem também o lugar onde o rei comia, sozinho, e onde havia uma mesa que funcionaria como elevador que descia até a cozinha onde a comida era servida para depois subir até o rei, pois dessa forma ele teria o mínimo de contato possível com outras pessoas.
Confesso que depois de nossa visita, a minha única pergunta era: Como ele conseguiu construir isso no alto da montanha, aos pés de um desfiladeiro, em circunstâncias naturais e técnicas tão difíceis?!
Ainda não se convenceu se vale passar lá? Veja essas fotos

 11 Curiosidades:

  1. O castelo pode ser considerado como um monumento dedicado a Richard Wagner, o qual Luís II da Baviera admirava muito. De facto, muitas das suas salas são inspiradas em óperas do compositor alemão.
  2. Luís II da Baviera empenhou todo o seu património na construção do castelo, superintendendo os trabalhos; no entanto habitou durante muito pouco tempo nesta residência.
  3. Luís II observou o avanço dos trabalhos directamente do castelo onde passou a infância, o vizinho Castelo de Hohenschwangau.
  4. A Sala do Trono não tem trono: isto porque Luís II morreu antes que o trono ficasse completo, e por isso não foi mais colocado no seu lugar.
  5. Uma das salas do castelo reproduz, de maneira muito realista, uma gruta com muitas estalactites e estalagmites, a qual possuiu uma cascata durante o reinado de Luís II.
  6. Luís II, receando os danos, ordenou ao curador do castelo que interditasse as visitas dos curiosos depois da sua morte. Poucas semanas depois da morte do soberano, o castelo abriu as suas portas aos visitantes. É atualmente um dos lugares mais visitados da Alemanha em qualquer estação do ano.
  7. Afirma-se que este é o edifício mais fotografado da Alemanha, e um dos destinos turísticos mais atrativos do país.
  8. Afirma-se ainda que este verdadeiro castelo de contos de fadas da Baviera terá inspirado o moderno castelo da Bela Adormecida e da Cinderela na Disneylândia, símbolo da própria companhia Walt Disney.
  9. Este castelo serviu de modelo no anime Cavaleiros do Zodíaco (Saint Seiya) como o castelo do deus grego do submundo, Hades.
  10. Este castelo também serviu de fachada para a série Os Feiticeiros de Waverly Place, onde seria a famosa “feitiço tec”.
  11. Este castelo também esta presente no Jogo MMORPG Ragnarok Online, onde os usuários disputam para serem seus donos.

A visita ao Castelo

É possível fazer um bate e volta de Munique, que explico em detalhes no final deste post, mas se você puder, passe uma noite por ali, pra poder explorar a região e visitar outros castelos. Hohenschwangau é o vilarejo mais próximo do castelo e Fussen fica a apenas 10 minutos e tem mais opções de hotéis, restaurantes e atrações.
Os tickets só podem ser comprados na hora no Ticket Center de Hohenschwangau , mas é possível reservar um horário com antecedência online por uma taxa extra, até dois dias antes da sua visita ao castelo. Essa taxa de reserva custa 1.80 Euros por pessoa, por castelo. As visitas ao castelo só podem ser feitas nos tours guiados, que são oferecidos em inglês e alemão ou com áudio tours que tem opções de várias línguas incluindo o português.
Se tiver um pouco mais de tempo, aproveite para conhecer outras duas atrações de Füssen: o palácio de Hohenschwangau e o Museu dos Reis da Baviera (há um ingresso combinado que sai por € 29,50 enquanto apenas Neuschwanstein custa € 12). Veja na parte de preços aqui embaixo.

O Tour guiado

Fique de olho no painel com os números e quando chegar próximo de sua hora de visita, posicione-se na frente do castelo para entrar com o seu grupo. Entre quando aparecer seu horário no painel e vá seguindo os grupos.
Observação: não é permitido fazer fotos do interior de nenhum dos castelos.
Serão vários degraus de escada subindo pela torre para alcançar as salas decoradas. No fim da visita você pode comprar no Castle Shop os souvenirs tradicionais e lembrancinhas, livros sobre o rei “Louco” Ludwig II, a família real, castelos, biografias e PostCards 🙂
Dica: Terminada a visita ao castelo, não deixe de ir a Marienbrück, a ponte de onde se tem as melhores vistas do castelo. São 10 minutinhos de caminhada, que valem a pena. As tão famosas fotos do Neuschwanstein como essa aqui abaixo são tiradas da ponte Marienbrücke, uma vista de deixar qualquer um sem fôlego.
Se tiver viajando com seu amor, aproveite e coloque um cadeadinho na ponte.
10382366_763611697038165_5720764281726413160_o 10488112_752796048119730_2615938052438347961_n 10506582_755256521207016_870254892128151980_o
 
Para descer, eu recomendo pegar o ônibus que fica ali do ladinho da ponte, mas se tiver disposição, vá a pé apreciando a natureza.
Seguindo até o final da rua principal do vilarejo de Hohenschwangau, passando o castelo de mesmo nome, fica um lindo lago com vistas de tirar o fôlego dos Alpes austríacos. Do alto de Neuschwanstein é possível vê-lo, mas as vistas lá embaixo conseguem ser ainda mais bonitas. Vale no final do dia, sentar num dos bancos na sua margem e conferir a chegada do final de tarde.
Existem diversas trilhas ao redor de ambos os castelos então quem quiser conhecer a região com calma e mais detalhadamente a natureza da região, vale passar pelo menos 1 noite em Fussen e não ficar somente no bate e volta de Munique.

Preços

Atualizados em Junho de 2016 – visualize outras combinações e preços atuais clicando aqui

  • Castelo de Neuschwanstein – 12 Euros para adultos, 11 Euros para estudantes e idosos acima de 65 anos, crianças até 18 anos não pagam.
  • King’s Ticket – Dois castelos (Hohenschwangau + Neuschwanstein) – 23 Euros para adultos, 21 Euros para estudantes e idosos acima de 65 anos, crianças até 18 anos não pagam.
  • Swan’s Ticket – Dois castelos (Hohenschwangau + Neuschwanstein) + Museu – 29.50 Euros para adultos, 28 euros para estudantes e idosos acima de 65 anos, 8 euros para crianças de 6 a 17 anos e crianças até 5 anos não pagam.

Horários do Ticket Center

Vale avisar que as visitas têm hora marcada e cada grupo tem vagas limitadas. Então se você não comprar com antecedência pela internet, pode encontrar ingressos só para duas ou três horas depois, SE encontrar. E se comprar antecipadamente e não chegar a tempo, perde a vez e o dinheiro do ingresso.

  • 19 de Março de 2016 a 15 de Outubro de 2016 – 8:00 as 17:30
  • 16 de Outubro de 2016 a 9 de Abril de 2017 – 9:00 as 15:30

Fechado em:

  • Neuschwanstein Castle: January 1st, December 24th, 25th and 31st
  • Hohenschwangau Castle: December 24th
  • Museum of the bavarian kings: December 24th and 25th, January 1st

Não há compra de tickets diretamente no castelo, portanto antes de subir, compre seu ticket no Ticket Center de Hohenschwangau.
Dados atualizados aqui

Para subir ao castelo

Há 3 opções: a pé; de ônibus ou de charrete.
A pé: Aí está uma opção que eu não recomendo, pois estando lá em cima você já vai andar bastante e subir muitas escadas. São mais ou menos 30 minutos de caminhada, sempre subindo. Se for no verão então, a subida é cruel. Mas se quiser e tiver disposição, é só seguir as placas.
Ônibus – Custava 1.80 euros para subir e 1 Euro para descer. Se comprar na subida um ticket ida e volta, o mesmo custará 1.60 euros. São mais 10 minutos de caminhada até a entrada no castelo, não recomendável para quem tem dificuldades de locomoção. Os ônibus não funcionam se estiver nevando ou com gelo na estrada.
Carruagem – Em frente ao Hotel Mueller, a subida de carruagem custa 6 Euros e 3 Euros para descer. Paga-se diretamente ao cocheiro. Do ponto de parada há ainda uma pequena subida de uns 300 metros até o castelo. É melhor evitar essa se o seu tempo for curto, pois demora e na maioria das vezes há uma fila enorme.
Foi o meio que usamos, mas confesso que morro de pena dos cavalos, mas acabei me distraindo um pouco com a simpatia do cocheiro, que ficou tentando me ensinar a pronunciar corretamente Neuschwanstein da partida até lá em cima. Confesso que até hoje ainda é um desafio (rs)
10497126_763612817038053_1215928722816494893_o 10471421_752796074786394_6731166646504127944_n
 
Olhem o mapinha aqui com as opções e tempos de subida e o que tem perto.
ee34144783

Como Ir de Munique ao Castelo Neuschwanstein

O bate-volta desde Munique é tranquilo, muita gente costuma fazer, mas conte em perder o dia inteiro com isso. São duas horas de trem até Füssen, mais o ônibus até a bilheteria mais a subida até o castelo.
A maior barbada, porém, é ir de trem, com o Bayern Ticket, que custa 29 euros para até 5 pessoas viajando juntas (ou 20 euros para viajante solo).

De carro

De carro, dá 125 km, que o Via Michelin calcula serem percorridos em 1h40min, ou seja, apenas 20 minutos menos do que de trem (ponha como cidades de origem e destino Munique e Schwangau).
Para chegar ao vilarejo, coloque no Google Maps ou GPS, esse endereço marcado no link (Alpseestraße 27), que é onde você pode parar o carro pagando em média 5 euros. Não é possível subir até o castelo de carro, seu carro pode ser multado.

De Trem

São duas horas de trem até Füssen, mais dez minutos de ônibus até a bilheteria em Hohenschwangau. Na estação de Munique ou online, compre um ticket no Bahn de München (Munique) para a estação de Füssen. Observem os horários, pois alguns são diretos e outros exigem troca de trem.
Use o Bayern Ticket, um passe para trens regionais e transporte público nas cidades da Bavária (isso inclui Munique, Fussen, por isso que vale tão a pena) por todo o dia.
O valor do Bayern Ticket é de 23 euros para 1 passageiro e adiciona-se 5 euros para cada pessoa do grupo adicionada, máximo de 5. Jovens com menos de 15 anos acompanhados de um adulto não pagam. De segunda a sexta, é valido das 9h da manhã até às 3h da madrugada do dia seguinte. Aos finais de semana vale das 0h até às 3h da manhã do dia seguinte.
Pra comprar online apenas o ticket normal, entre aqui.
O BayernTicket não vale a pena pela internet, porque a entrega é pelo correio. Então você pode passar no Reisezentrum da estação (que é onde ficam os guichês operados por gente) e pedir o seu BayernTicket para o dia tal (pode ser para o mesmo dia também). Vai custar 1 euro a mais do que nas máquinas. Ou caso prefira ou não tenha guichês humanos por perto, compre pelas máquinas seguindo esses passos:

  1. Selecione “All offers”.
  2. Selecione “Leisure and special offers.”
  3. Selecione “Bavaria Ticket, other Bavaria offers” e depois o tipo de passe que você quer: Bavaria-Ticket (grupo) ou Bavaria-Ticket Single (solo).
  4. Selecione o dia e aperte em “Next”.
  5. Veja se está tudo certo com os dados do passe e aperte em “Pay”.
  6. Então você insere o seu cartão de crédito no lugar apropriado e pronto.
  7. Escreva o nome de pelo menos um dos integrantes do grupo no cartão; é bom para o fiscal não encher o saco.

É bom lembrar que o seu Bayern Ticket será válido para o grupo inteiro até as 3 da manhã do dia seguinte — incluindo aí todo transporte público em Munique de que você venha a precisar (metrô/U-Bahn, trem/S-Bahn, bondes,ônibus).
No trem, procure no painel o número da plataforma do trem para Füssen.
O trajeto inclui o trem até Fussen e de lá um ônibus até Hohenschwangau para ficar a poucos passos dos castelos.

Informações Úteis

Para mais informações sobre o castelo, visite o site oficial clicando aqui 🙂

15 castelos em Portugal para adicionar à sua Bucket List

Seria possível planejar uma viagem pra Terrinha só pra conhecer esses castelos. Todos são cheios de histórias e mistérios e com certeza aguçarão o fotógrafo dentro de você. Há os já conhecidos, como o Palácio da Pena, que os viajantes lotam ano após ano. Mas há muitos outros que não fazem parte dos roteiros basicões … Ler mais 15 castelos em Portugal para adicionar à sua Bucket List