O que fazer em Copenhagen – Dinamarca

Veja o índice desse artigo

O que fazer em Copenhagen – Dinamarca

Copenhague é uma capital que abriga castelos e palácios de séculos passados, mas ao mesmo tempo se tornou um exemplo de modernidade e sustentabilidade, onde as bicicletas e os espaços verdes fazem parte do skyline da cidade.

Copenhague abriga também a monarquia dinamarquesa, a Cidade Livre de Christiania, e o segundo parque de diversões mais antigo do mundo – ou seja, é uma cidade feita pra todo tipo de gente.

Por seu território há vestígios dos vikings, monarcas, nazistas e outros grupos que moldaram o passado e o presente da cidade. Presente esse que já trouxe repetidos reconhecimentos de cidade com a melhor qualidade de vida do mundo. Seus habitantes são felizes apesar do frio, e o prazer no dia a dia é resumido num pensamento Dinamarques: a filosofia da hygge.

A imagem mais famosa de Copenhague e o “ponto turístico” presente em todos os roteiros de qualquer viagem à capital é o Canal Nyhavn. As casas coloridas e os barcos de madeira no canal foram o cartão postal mais emblemático da cidade.

Copenhague está cheia de monumentos e atrações para que você possa aproveitar bastante sua estadia na cidade, como a famosa Pequena Sereia, a Cidade Livre de Christiania, o Canal Nyhavn, o Castelo de Rosenborg e muitas outras visitas que você não pode deixar de fazer.

Para apreciar uma vista panorâmica das atrações de Copenhague, você só precisará subir a Torre da Prefeitura ou a escada em espiral da Igreja do Nosso Salvador.


Onde se hospedar em Copenhagen

Ainda não escolheu seu hotel?

Veja aqui onde ficar em Copenhagen – as melhores regiões e hotéis de todas as categorias para se hospedar em Copenhagen.


Salve nosso Mapa de Copenhagen

Todos os pontos de interesse estão no nosso mapa de Copenhagen pra você usar até offline. Veja tudo que escrevemos sobre Copenhagen aqui.


O que fazer em Copenhagen, Dinamarca

Reserve aqui um Free tour por Copenhague

Em Copenhague há mais bicicletas que pessoas. Um entre cada três habitantes da capital vai ao trabalho de bicicleta e é bastante comum que muitas famílias nem sequer tenham carro. A cidade conta com quase 400 quilômetros de ciclovias, por isso pedalar é uma das opções de transporte favoritas de seus habitantes. 

A cidade possui várias locadoras de bicicletas e ciclovias espalhadas por suas ruas. Por ser uma cidade pequena, é possível conhecê-la caminhando, mas nada melhor do que se tornar mais local e optar também por um tour de bicicleta por Copenhagen.


A Pequena Sereia de Copenhague

O monumento mais visitado pelos turistas em Copenhagen é a pequena sereia de bronze que descansa sobre uma rocha no porto da capital, às margens do Mar Báltico.

A Pequena Sereia mede 125 centímetros e pesa 180 quilos e foi construída em 1913 por encargo de Carl Jacobsen, filho do fundador da marca de cerveja dinamarquesa Carslberg, que queria presentear a cidade com uma escultura única. O objetivo de Jacobsen era homenagear o escritor de contos Hans Christian Andersen e sua obra-prima: A Pequena Sereia.

O escultor Erikson quis usar como modelo para a escultura a , A cabeça e o rosto da estátua são inspirados na bailarina Ellen Price que interpretou a pequena Sereia.

A Pequena Sereia de Copenhague foi decapitada duas vezes, pintada de várias cores e até arremessada ao mar quando um pequeno dispositivo a arrancou de sua rocha. A cabeça atual da Pequena Sereia é uma réplica da original, que nunca foi recuperada após ser roubada pela primeira vez.

  • Como chegar:
    • Ônibus: linha 26.
    • Trem: estação Østerport.

Caminhar pela Stroget

A rua Strøget é considerada o verdadeiro centro de Copenhague, e é relatado por vários guias de turismo, como o complexo pedonal mais longo do mundo, e a rua de lojas mais longa da Europa, com 1100 m.

É a principal avenida comercial de Copenhague e vai desde a Prefeitura de Copenhague até o canal Nyhavn. Nessa avenida se concentram lojas de roupa, sorveterias, joalherias, etc.

A área é geralmente muito lotada durante o dia, principalmente por turistas, enquanto à noite é fácil encontrar inúmeros bares, pubs, discotecas na rua e nas suas paralelas nas proximidades.

É uma popular atração turística de Copenhaga. A conversão de Strøget em local sem veículos automóveis foi feita em 1962 e marcou uma grande mudança na vida urbana da cidade, com grande influência no urbanismo europeu e mundial.


Kødbyen

Kødbyen ou “MeatpackingDistrict” é uma zona que fica dentro de Vesterbo e que se destaca por ter um estilo diferente.

Essa região era formada por abatedouros que atualmente foram transformados em bares e restaurantes, se tornando um dos melhores lugares de copenhague pra comer e sair durante a noite.


Canal Nyhavn de Copenhagen

A imagem típica dos cartões postais de Copenhague são as casas coloridas às margens do Canal Nyhavn, em pleno centro da cidade.

O Canal Nyhavn foi construido em meados do século XVII por ordem do rei Christian V, com objetivo que ele servisse como principal porta de entrada para o mar em Copenhague. Essa zona acabou ficando famosa pelas cervejarias e pontos de prostituição, mas hoje em dia já está completamente renovada.

Hans Christian Andersen, o autor dinamarquês de histórias de renome mundial como ‘A Roupa Nova do Imperador’, ‘A Pequena Sereia’ e ‘O Patinho Feio’, viveu em nada menos que três das famosas casas de frente para o porto na icônica orla de Nyhavn . De fato, enquanto morava no número 20, ele escreveu um de seus contos mais célebres, ‘A Princesa e a Ervilha’.

Estando ali, busque pela Âncora Memorial (Mindeankeret), que é uma das esculturas mais importantes de Copenhague. É uma homenagem aos marinheiros abatidos na Segunda Guerra Mundial defendendo Copenhague dos ataques e bombardeios alemães.

A Âncora Memorial sempre amanhece com flores e velas em homenagem aos mais de 1.700 militares dinamarqueses que perderam a vida num dos piores episódios da história de Copenhague.

Faça também um passeio de barco pelos canais. O Canal Nyhavn é o ponto de partida de várias rotas que são percorridas de barco pelos canais de Copenhague.

Essa região é ótima para comer também, pois é uma das maiores concentrações de terraços e restaurantes da cidade, além de ser possível encontrar cafeterias do século XVII!

Nyhavn também é uma zona que concentra o maior número de estúdios de tatuagem em Copenhague. Então caso você esteja pensando em uma recordação definitiva da Dinamarca, fica a dica.

  • Transporte:
    • Metrô: linhas 1 e 2 até Kongens Nytorv.

Igreja de Mármore de Copenhague

Ela é tão fotogênica que foi impossível postar uma foto só!

Igreja de Mármore, cujo nome oficial é Frederiks Kirke (Igreja de Frederico), é o melhor exemplo da arquitetura barroca em Copenhague. Encontra-se mesmo em frente ao Palácio de Amalienborg e sua cúpula foi inspirada na da Basílica de São Pedro, no Vaticano.

A Igreja de Mármore começou a ser construída por ordem do rei Frederico V em 1749, mas as obras foram paralisadas 20 anos depois por falta de recursos. O arquiteto nacional, Nicolai Eigtved, concebeu a igreja em estilo rococó, mas ao final o templo acabou sendo construído em estilo genuinamente barroco. A construção terminou 150 anos após seu início. 

A cúpula verde da Igreja de Mármore se destaca em relação ao resto de monumentos de Copenhague, marcados pela austeridade típica da arquitetura dinamarquesa. Esta também é a igreja favorita dos dinamarqueses para realizar casamentos. 

A cúpula de mármore da Igreja de Frederico é a parte mais chamativa do templo. Com seus 31 metros de diâmetro e seus 50 metros de altura, constitui a maior cúpula de todos os países escandinavos. 

Em seu interior, a cúpula de mármore está decorada com pinturas dos 12 apóstolos intercaladas com medalhões que representam os sacramentos católicos. Além disso, vale a pena subir à cúpula e desfrutar da vista que oferece o Palácio de Amalienborg e do centro de Copenhague.

  • Horário
    • De segunda a quinta e sábados: das 10:00 às 17:00 horas.
    • Sextas e domingos: das 12:00 às 17:00 horas.
    • Subida à cúpula no verão: Todos os dias às 13:00 horas.
    • Subida à cúpula no inverno: Fins de semana às 13:00 horas.
  • Preço
    • Adultos: kr35 (€4,70)
    • Menores de 18 anos: kr20 (€2,70).
  • Transporte
    • Ônibus: linhas 1A e 26.

Palácio de Amalienborg de Copenhague

A poucos metros da majestosa Igreja de Mármore de Copenhague, fica o Palácio de Amalienborg, a residência real da monarquia dinamarquesa.

Este complexo palaciano no centro de Copenhague é composto por quatro palácios construídos ao redor de uma praça. No centro destes quatro palácios está a estátua equestre do monarca que ordenou que fossem construídos: Frederico V.

No entanto, a passagem da família real por Amalienborg começou de forma temporária, quando um terrível incêndio destruiu o Palácio de Christiansborg e eles tiveram que estabelecer sua nova residência em Amalienborg. Os quatro palácios são de estilo rococó e foram construídos em meados do século XVIII.

  • Palácio de Frederico VIII: é a residência real do príncipe herdeiro da Dinamarca, Frederico, e de sua família.
  • Palácio de Christian VII: não se encontra habitado e é usado para a celebração de eventos oficiais e recepção de convidados de honra da rainha. Foi o mais caro dos quatro palácios.
  • Palácio de Christian VIII: é o único palácio aberto ao público e abriga o Museu Amalienborg, que expõe a história da monarquia da Dinamarca através de aposentos reais, fotografias e retratos. No Museu de Amalienborg é possível voltar 150 anos no tempo e contemplar móveis e utensílios históricos da época. Além disso, você pode ver a sala do piano e apreciar o salão principal, onde hoje em dia ainda são realizadas festas de gala e a rainha recebe nobres internacionais.
  • Palácio de Christian IX: é o palácio onde reside a rainha Margarida II da Dinamarca. Se a bandeira estiver hasteada, significa que a rainha está em casa.

Esse é um ótimo lugar pra visitar caso o dia esteja chuvoso.

Uma das principais atrações de Copenhague é ver a troca da Guarda Real.

Os soldados reais começam seu trajeto saindo do Castelo de Rosenborg às 11:30 horas e desfilam pelo bairro latino de Copenhague, Ostergade e Kongens Nytorv, encerrando o percurso no Palácio de Amalienborg para fazer a troca da guarda. Quando a rainha está no palácio, a troca da guarda de Copenhague ocorre ao som da orquestra real.

Faça uma visita Guiada no Palácio.

  • Horário: O horário pode variar em função da temporada. Recomendamos que você consulte o site oficial da atração.
    • De terça a domingo: das 10:00 às 15:00 horas.
    • Segundas-feiras: fechado.
  • Transporte
    • Metrô: parada Kongens Nytorv.
    • Ônibus: linhas 1A, 20E e 26.

Rundetaarn

A Torre Redonda de Copenhague é uma das construções mais curiosas da cidade. Foi construída em 1642 por ordem do rei Christian IV com o objetivo de criar o primeiro observatório astronômico de Copenhague. Atualmente o observatório de Rundetaarn é o mais antigo da Europa ainda em funcionamento.

Durante séculos, a Torre Redonda foi o epicentro da astronomia na Dinamarca. Em seu interior é possível ver seu telescópio de 1929 e os mapas das constelações como foram desenhados na época. Além disso, na subida ao mirante da torre encontra-se um planetário do século XVII que apresenta o Sol como centro do universo.

A característica mais marcante da Torre Redonda de Copenhague é a sua rampa em espiral. Este design curioso não é acidental e se repete em outros edifícios famosos, como a Giralda, em Sevilha. O objetivo era que o rei Christian IV pudesse subir ao topo do observatório montado em seu cavalo.

Depois de dar sete voltas e meia ao longo da rampa em espiral você alcançará o mirante da Torre Redonda, que se encontra a 34,8 metros de altura. De lá de cima é possível ver todos os edifícios do coração de Copenhague. A vista do Rundetaarn é espetacular!

Destacam-se ainda na Torre Redonda de Copenhague a antiga biblioteca (agora convertida numa sala de exposições), o sótão dos sinos e uma plataforma de vidro onde você pode espiar os 25 metros de queda da torre.

  • Horário:
    • Temporada de inverno  (outubro-março): Aberto todos os dias das 10h as 18h, terças e quartas-feiras de 10h as 21h
    • Temporada de verão (abril a setembro): Aberto todos os dias 10h as 20h
  • Preço
    • Adultos: kr25 (€3,40).
    • Crianças entre 5 e 15 anos: kr5 (€0,70).

Palácio de Christiansborg em Copenhague

As origens do Palácio de Christiansborg remontam ao século XII, quando o bispo guerreiro Absalão, fundador de Copenhague, ordenou a construção de um enorme palácio para estabelecer sua residência. A partir de então a família real dinamarquesa viveu em Christiansborg​ ao longo de séculos, até que em 1794 um terrível incêndio forçou a realiza a se mudar para o Palácio de Amalienborg.

Em 1884 um segundo incêndio destruiu grande parte de Christiansborg. Após a terceira reconstrução, os arquitetos decidiram colocar três coroas na cúspide da torre para simbolizar as diferentes reconstruções do Palácio de Christiansborg.

Hoje o Palácio de Christiansborg está a serviço do Estado. É a sede do Parlamento da Dinamarca e dos poderes judicial e executivo. Isso faz de Christiansborg o único edifício do mundo a abrigar as três potências do Estado.

O que ver no Palácio de Christiansborg:

As ruínas do Palácio: Nas ruínas de Christiansborg é possível ver os restos das duas construções anteriores: o palácio de Absalão de 1167 e o palácio erguido após o incêndio de 1794. A exposição também abriga restos da antiga muralha e do fosso, permitindo que você percorra os quase nove séculos de história do Palácio de Christiansborg.

Os aposentos reais: A parte mais interessante da visita ao Palácio de Christiansborg é entrar nos aposentos reais e imaginar como era a vida da realeza a séculos atrás. Os salões do castelo estão decorados com retratos da família real da Dinamarca e cada cômodo cumpre uma função determinada.

Além do quarto do rei e da rainha, destacam-se a biblioteca real, a sala do trono, a sala de banquetes e a impressionante sala de tapeçaria. Este último cômodo pode acomodar mais de 400 convidados e é o mais impressionante do palácio, por isso a rainha Margarida II o utiliza para celebrar eventos internacionais elegantes.

Os estábulos: Os estábulos reais abrigam antigas carruagens de época que foram usadas pela família real dinamarquesa ao longo da história de Copenhague. Nos estábulos também é possível ver os cavalos da Coroa, que estão a serviço da Guarda Real.

Em meados do século XVIII os estábulos do Palácio de Christiansborg chegaram a abrigar mais de 250 cavalos.

Mirante da torre de Christiansborg: Há muitos mirantes na capital, mas subir a torre de Christiansborg é uma visita imperdível em Copenhague. Além disso, é grátis! Não há muito espaço no topo, então vá cedo se quiser evitar filas.

A entrada da torre Christiansborg permaneceu em segredo por quase um século e apenas alguns membros da realeza tinham acesso à torre mais alta de Copenhague.

Hoje em dia a torre abriga várias salas que exibem esculturas e objetos históricos, um restaurante e fotografias que fazem um apanhado da história do Palácio de Christiansborg. As vistas do topo permitem que o palácio seja visto de uma perspectiva diferente e que seja possível desfrutar de uma vista panorâmica de Copenhague.

Graças às três coroas que arrematam sua cúspide, a torre Christiansborg é a mais alta de Copenhague, seguida de perto pela torre da Prefeitura.

  • Horário:
    • Todos os dias das 10:00 às 17:00 horas.
    • De outubro a abril fecha às segundas-feiras.
  • Preço
    • Adultos: kr160 (€21,50).

Castelo de Rosenborg em Copenhague

As origens do Castelo de Rosenborg em Copenhague remontam a 1606, quando o rei dinamarquês Christian IV ordenou a construção de um majestoso castelo para residir no verão, além de um belo jardim e uma horta para abastecer a corte real.

Embora a construção do castelo tenha levado trinta anos para ser concluída, Rosenborg logo se tornou o castelo preferido do monarca. Tanto que, antes de morrer, o rei Christian IV pediu para ser levado para o Castelo de Rosenborg para passar seus últimos dias.

O Castelo de Rosenborg serviu como residência real até 1710, quando Frederico IV mudou sua residência de verão para um palácio mais moderno. Rosenborg passou então a abrigar a coleção real de joias e outros objetos de valor, que estão em exibição em salas que se mantêm intactas desde o século XVIII.

Visitar o Castelo de Rosenboeg é viajar 400 anos ao longo da história de Copenhague. Os aposentos reais estão cuidadosamente decorados com móveis originais do século XVIII, pinturas históricas e uma pomposa decoração.

Entre os cômodos reais de Rosenborg, destacam-se: o salão do trono, guardada por três leões de prata; a sala de tapeçaria real, que abriga peças que narram as guerras sueco-dinamarquesas; e um trono com vaso sanitário embutido.

Sem dúvida, a parte mais valiosa do Castelo Rosenborg é a coleção de joias da Casa Real da Dinamarca. Entre esses pequenos tesouros estão as coroas originais de vários monarcas dinamarqueses, cetros, brincos e anéis de diamantes e outras pedras preciosas. A rainha Margarida II usa algumas dessas joias em ocasiões muito especiais.

Repare no olho mágico da Sala de Inverno, que permitia ao rei observar um convidado antes de entrar, e os painéis de áudio ocultos que tocavam música sendo tocada de uma sala secreta.

A melhor maneira de conhecer a história deste monumento e apreciar os tesouros artísticos que abriga é reservar uma visita guiada pelo Castelo de Rosenborg.

Além disso, você pode aproveitar a visita ao Castelo de Rosenborg para passear pelo Jardim do Rei, mais uma visita indispensável em Copenhague.

  • Horário: O castelo fecha em algumas segundas-feiras, recomendamos que você consulte o site oficial da atração.
    • Horário de inverno: todos os dias, das 10:00 às 15:00 horas.
    • Horário de verão: todos os dias, das 9:00 às 17:00 horas.
  • Preço

A Casa de Carlsberg

Fundada em 1847, a Carlsberg é uma marca mundial e uma das cinco maiores empresas de cerveja do mundo. 

Em nenhum lugar é mais popular do que em sua cidade natal, Copenhague. Os apreciadores de cerveja que viajam para a capital seriam negligentes em não visitar a famosa Cervejaria Carlsberg

Passe pelo Elephant Gate e confira a Carlsberg Brewhouse. Você será presenteado com uma série de fatos interessantes sobre o passado controverso de Copenhague, e muita cerveja também.


Jardim do Rei em Copenhague

Jardim do Rei ou o Kongens Have cerca o Castelo de Rosenborg, em pleno centro de Copenhague. Este parque criado no século XVII é o mais antigo da Dinamarca e o preferido pelos habitantes da capital para passar as tardes na primavera e verão. 

Este jardim real serviu como zona de recreação do rei e dos convidados que chegavam a Rosenborg e foram utilizados como horta para alimentar a corte do castelo. 

Quatrocentos anos depois, no Jardim do Rei é bastante comum ver a grupos de dinamarqueses fazendo piqueniques, divertindo-se em família ou tocando instrumentos. 

O que ver no Jardim Rei:

  • Castelo de Rosenborg: esta preciosidade barroca abriga a coleção de joias da Casa Real da Dinamarca, tesouros de mais 400 anos e muitas outras relíquias históricas.
  • Esculturas: o Jardim do Rei está cheio de esculturas variadas. A mais famosa é a estátua do escritor dinamarquês Hans Andersen. 
  • Pavilhão de Hércules: este bonito pavilhão de pedra branca se encontra ao final do parque e abriga uma bonita cafeteria onde é possível fazer uma merenda e desfrutar das vistas. 
  • Eventos e concertos: durante praticamente todo o ano, o Jardim do Rei acolhe eventos culturais, atrações e shows. 

Galeria Nacional da Dinamarca

A Galeria Nacional da Dinamarca ou SMK (Statens Museum for Kunst) é o museu mais importante de Copenhague. Esta galeria combina perfeitamente obras de artistas internacionais e dinamarqueses, compondo uma coleção muito completa e interessante.

É um dos edifícios mais bonitos de Copenhague e representa a coleção de arte mais importante do país. O museu é composto por dois edifícios, um de estilo renascentista e outro moderno, conectados por um corredor repleto de esculturas e um teatro. É bastante comum que a SMK organize concertos, apresentações de dança e exposições temporárias neste espaço. 

Mais de 9.000 pinturas e esculturas fazem parte da coleção da Galeria Nacional da Dinamarca. Muitas destas obras foram adquiridas e cedidas pela monarquia dinamarquesa ao longo dos últimos séculos. Desta forma, na SMK é possível apreciar a arte dinamarquesa desde o Renascimento até a Idade Contemporânea.

As coleções:

  • Arte Europeia (séculos 1300-1800): a SMK reúne uma importante coleção de pinturas de renomados artistas internacionais, como Rembrandt, Rubens ou Cranach. A ala leste do segundo andar do museu é dedicada a pinturas de temas mitológicos e religiosos. Entre as obras mais famosas destacam-se Melancolia, de Cranach, o Velho; A Queda dos Titãs, de Cornelis van Haarlem; e The Crusader, de Rembrandt.
  • Arte dinamarquesa e nórdica (1750-1900): os pintores nórdicos mais importantes da Galeria Nacional de Copenhague são Hammershøi, Eckersberg e Krøyer. Suas pinturas retratam paisagens interiores com figuras femininas de fundo, portos, navios e cenas da vida cotidiana na praia. A coleção da SMK abriga obras da chamada “Era de Ouro” da pintura dinamarquesa, cuja produção data do século XIX.
  • Arte francesa (1900-1930): a Galeria Nacional dedica uma exposição à arte parisiense do início do século XX, com pinturas de Matisse, Derain ou Picasso. Porém, a maioria das obras deste último pintor encontra-se no Museu Picasso, em Barcelona.
  • Arte dinamarquesa e internacional (de 1900 em diante): a pintura modernista ocupa o terceiro andar da Galeria Nacional da Dinamarca. A exposição combina autores dinamarqueses e internacionais, dando lugar a uma coleção bastante completa com obras de artistas como Jorn, Kirkeby e Roepstorff, entre outros. 
  • Horário
    • Segundas-feiras: fechado.
    • De terça a domingo: das 10:00 às 18:00 horas.
    • Quartas-feiras: das 10:00 às 20:00 horas.
  • Preço
    • Adultos: kr120 (€16,10).
    • Menores de 27 anos: kr95 (€12,80).
    • Menores de 18 anos: entrada gratuita.
    • Adulto + criança: kr100 (€13,40).
  • Transporte
    • Ônibus: 6A, 26 e 42.
    • Trem: estação Nørreport.

Prefeitura de Copenhague

A Prefeitura de Copenhague foi inaugurada em 1905, seguindo o projeto do arquiteto dinamarquês Martin Nyrop, que idealizou uma decoração cheia de acenos à história de Copenhague. Em sua fachada encontra-se a figura do fundador de Copenhague, o bispo guerreiro Absalão. Neste caso, ele aparece com vestimentas religiosas, embora em outros lugares mais centrais de Copenhague possa ser visto com uma armadura e montado a cavalo, sua representação como guerreiro. 

A ornamentação da Prefeitura Municipal de Copenhague também faz referência à flora e à fauna da capital. Se você observar de perto, poderá encontrar como elementos de sua ornamentação medusas, algas, gaivotas, corvos e até ursos polares, que não representam o clima gelado de Copenhague, mas sim a anexação da Groenlândia.

O salão principal é a sala mais bonita da Prefeitura de Copenhague e está decorado com bandeiras da Dinamarca e bustos de pessoas relevantes da história de Copenhague, como Andersen ou Nyrop.

Este relógio histórico, concebido pelo serralheiro dinamarquês Jens Olsen, começou a funcionar em 1955, quando o rei Frederico IX lhe deu corda pela primeira vez. Trata-se de um sistema complexo formado por mais de 15.000 peças capazes de mostrar eclipses lunares e solares, a posição dos astros, os fusos horários e muito mais.

A parte mais atrativa de visitar a Prefeitura de Copenhague é subir sua torre, que oferece excelentes vistas da cidade a mais de 100 metros de altura. Vale a pena subir os 300 degraus que levam a este mirante, de onde é possível contemplar os Jardins de Tivoli, a Igreja do Nosso Salvador e o Canal Nyhavn.

A subida à torre da Prefeitura de Copenhague inclui uma exposição sobre a história do local.

Radhuspladsen, a praça da Prefeitura de Copenhague: A praça da Prefeitura de Copenhague é a parte mais central da cidade e um dos pontos de encontro mais populares entre os habitantes da capital. Em Radhuspladsen é possível ver restos da antiga muralha de Copenhague, da fonte do dragão e da estátua dos vikings tocando o lur.

  • Horário
    • De segunda a sexta: das 11:00 às 14:00 horas.
    • Sábados: às 12:00 horas.
    • Domingos: fechado.
  • Visitas guiadas pela Prefeitura:
    • De segunda a sexta-feira: às 13:00 horas. 
    • Sábados: às 10:00 horas.
  • Preço: Torre da Prefeitura: kr30 (€4).

Visitar uma loja Lego

Visite a enorme loja Lego na Strøget, a principal rua comercial de Copenhague. Além de modelos gigantes de Lego e uma área de recreação infantil que os pais também parecem adorar, este lugar também oferece conjuntos raros de Lego que são difíceis de encontrar em outros lugares.

O Grupo LEGO, um dos fabricantes de brinquedos dinamarqueses mais conhecidos do mundo, abriu uma loja LEGO Store no centro de Copenhague em dezembro de 2010.

Uma loja com espaço para jogar A LEGO Store está situada em Vimmelskaftet 37, na famosa rua pedonal Strøget. Está organizado em três áreas principais:

A “Pick-A-Brick Wall” oferece a opção de escolher e comprar peças e elementos LEGO específicos a granel em uma variedade de cores e formas.

A “Sala de Estar”, uma área de lazer interativa no centro da loja, dá a você e seus filhos a chance de construir e criar com produtos LEGO, ver expositores prontos para uso ou apenas fazer uma pausa nas compras.

Por fim, um “Brand Ribbon” percorre toda a circunferência da loja, apresentando expositores de modelos LEGO, história da empresa e curiosidades para entreter os convidados. O Brand Ribbon foi criado por fãs de LEGO na Dinamarca que montaram displays que representam Copenhague.

Em 1968 as portas abriram no  LEGOLAND®  Billund Resort, o parque temático construído inteiramente de LEGO. Localizada perto do Aeroporto de Billund, as atrações favoritas da LEGOLAND incluem os minimodelos de edifícios e locais famosos de todo o mundo. A LEGOLAND se espalhou pelo mundo e agora você pode visitar LEGOLANDs na Europa, América do Norte, Ásia e Oriente Médio. Mas a LEGOLAND original na casa da LEGO na Dinamarca ainda atrai milhões de visitantes todos os anos.

O Grupo LEGO é uma empresa familiar privada, com sede em Billund, Dinamarca. Foi fundada em 1932 e hoje os produtos LEGO podem ser adquiridos em mais de 130 países.


Superkilen

Superkilen é um espaço público em Nørrebro bem popular entre famílias, skatistas e visitantes, e tem como objetivo unir as comunidades.

O parque é dividido em três áreas principais: a Praça Vermelha, o Mercado Negro e o Parque Verde. Enquanto a Praça Vermelha oferece vida urbana moderna com café, música e esportes, o Mercado Negro é a praça clássica com fonte e bancos. O Green Park é um parque para piqueniques, esportes e passear com o cachorro.

O parque foi inaugurado em 2012 com o objetivo de ser um parque como uma exposição mundial, cheio de coisas interessantes de todo o mundo, que aproximasse as pessoas.

Procure pelas fontes do Marrocos, balanços do Iraque, bancos do Brasil, um escorregador de polvo preto do Japão, um touro espanhol, um ringue de boxe tailandês, entre outros. Os espaços abertos são populares entre os skatistas, enquanto as formas esculturais e as linhas artísticas o tornam um ótimo pano de fundo para uma postagem no Instagram. 

Ele é regularmente listado como um dos melhores pontos turísticos da cidade e ganhou e foi selecionado para vários prêmios globais de design e arquitetura.


Jardins de Tivoli

No final do século XIX o diplomata dinamarquês Georg Carstensen convenceu o rei Christian VIII a construir um parque de diversões em Copenhague para que as pessoas se divertissem e não pensassem nos problemas políticos que atormentavam a coroa.

Desde sua construção em 1843, os Jardins de Tivoli se tornaram um dos lugares favoritos dos dinamarqueses, já que combina sua essência original com atrações mais modernas. A entrada principal do Tivoli permanece intacta desde a sua construção.

O Tivoli é o segundo parque de diversões mais antigo do mundo, perdendo apenas para o Dyrehavsbakken, localizado também na Dinamarca. Chama a atenção que, inclusive os monumentos históricos próximo ao Tivoli, como a Prefeitura de Copenhague e a Estação Central, são posteriores a este mítico parque de diversões.

Sua importância é tanta que até mesmo a famosa Disneyland Paris foi inspirada nos Jardins de Tivoli para criar inspirar sua atmosfera de fantasia.

O que ver nos Jardins de Tivoli

Os Jardins de Tivoli são uma excelente atração turística, especialmente se você estiver viajando em família. Passeando pelos jardins é possível ver o desfile da Guarda do Tivoli, um grupo de jovens guardas vestidos com um uniforme semelhante ao da Guarda Real do Palácio de Amalienborg.

Os edifícios mais famosos dos Jardins de Tivoli simulam tipos de construções características de diferentes lugares do mundo, como um pagode, um palácio árabe e até mesmo uma fragata.

Entre os espetáculos do Tivoli destaca-se o Pantomima Theatre, diversos shows de pantomima e balé representados em diferentes palcos ao ar livre. Além disso, se você tiver sorte, poderá desfrutar do Friday Rock. Trata-se de um festival de rock realizado toda sexta-feira dentro do parque no qual se apresentam bandas dinamarquesas.

Principais atrações

  • Vertigo: não é recomendada para pessoas com medo de altura. Esta atração transportará os mais valentes, nas alturas, a mais de 100 quilômetros por hora com curvas de 360 ​​graus. 
  • Demon (Dæmonen): montanha russa ambientada no Império Chinês, com loopings e descidas que farão sua adrenalina disparar. Além disso, oferece a opção de viver a experiência com óculos de realidade virtual.
  • Fatamorgana: esta torre de 45 metros de altura oferece emoção para todas as idades graças aos seus três níveis de velocidade.
  • Golden Tower: é a queda livre do Tivoli, com mais de 60 metros de altura.
  • Grand Prix: este circuito de habilidades foi pensando para divertir pessoas de todas as idades.
  • The Mine (Minen): é a montanha russa mais antiga do parque, uma atração pensada para todas as idades e feita inteiramente de madeira.
  • The Star Flyer (Himmelskibet): um dos melhores mirantes de Copenhague é o Star Flyer do Tivoli, uma espécie de carrossel nas alturas que se eleva a mais de 80 metros de altura.
  • Preço das atrações: Uma vez dentro dos Jardins de Tivoli, o preço de cada atração é pago separadamente (o valor é de cerca de kr90 (€12,10)). Você também pode comprar um bilhete para o dia inteiro, que custa cerca de kr245 (€32,90). Comprar ingressos

Igreja do Nosso Salvador de Copenhague

Desde a inauguração de sua torre, em 1752, a Igreja do Nosso Salvador se converteu em um dos edifícios mais famosos da Dinamarca. Subir seus 400 degraus até o mítico mirante é uma visita indispensável em Copenhague. Reza a lenda que o arquiteto da torre teria se suicidado saltando de seu topo porque a agulha da torre teria ficado ligeiramente inclinada para a direita. Vamos ver se você concorda com isso.

A Igreja do Nosso Salvador, cujo nome original é Vor Frelsers Kirke, encontra-se no distrito de Christianshavn e é o melhor exemplo de arquitetura barroca em Copenhague. Ainda que a atração mais famosa da igreja seja sua torre de madeira em espiral, vale a pena visitar seu interior e contemplar seu histórico órgão de mais de três séculos, uma preciosidade para os amantes da música. 

Além disso, o carrilhão da Igreja do Nosso Salvador é o mais antigo do norte da Europa e varia sua melodia de tempos em tempos. Em certa ocasião, a trilha sonora do filme Star Wars ressoou em Copenhague.

Segundo os moradores locais, a torre da Igreja do Nosso Salvador proporciona as melhores vistas de Copenhague. Subir a torre é uma autêntica experiência, pois no último trecho de sua agulha há uma cerca dourada que é a única coisa que separa os visitantes da paisagem.

Para chegar ao topo desta cúpula em forma de caracol, é necessário subir os 400 degraus que levam ao globo dourado que coroa a estrutura. Nesta esfera encontra-se uma escultura dourada de Jesus Cristo, contemplando a cidade de Copenhague.

Todos os anos mais de 200.000 visitantes sobem a mirador, que está a 90 metros de altura.

  • Horário
    • De 23 de fevereiro a 30 de abril
      • De segunda a sábado: das 10:00 às 16:00 horas.
      • Domingos e feriados: das 10:00 às 16:00 horas.
    • De maio a setembro:
      • De segunda a sábado: das 9:30 às 19:00 horas.
      • Domingos e feriados: das 10:30 às 19:00 horas.
  • Preço
    • Entre maio e setembro: kr40 (€5,40).
    • Resto do ano: kr35 (€4,70).
    • Crianças menores de 14 anos: entrada gratuita.
  • Transporte
    • Metrô: Christianshavn.
    • Ônibus: linhas 2A, 9A e 40.

Cidade Livre de Christiania

Bem no meio de Copenhague, no bairro de Christianshavn, você encontrará a comunidade alternativa de Christiania.

Pode estar muito perto de apartamentos caros e a apenas algumas ruas da Ópera de Copenhague, mas essa parte descontraída da cidade parece estar a um milhão de quilômetros de distância.

No início dos anos 70, uma zona do bairro de Christianshavn usada para fins militares ficou abandonada. Algumas famílias em Copenhague decidiram se estabelecer na área e viver alheios às normas estabelecidas pela sociedade. 

Completo com edifícios habitáveis ​​e eletricidade, esta área tinha tudo o que precisavam para residir e começar a criar uma ‘cidade livre’ autônoma com seu próprio estilo de vida descontraído. Logo chegaram mais famílias atraídas por esta ideia de liberdade e formou-se então uma autêntica comunidade hippie regida por suas próprias normas. Nascia assim a Cidade Livre de Christiania.

Hoje em dia, pouco mais de mil pessoas vivem na Cidade Livre de Christiania. Eles se consideram independentes da Dinamarca e da União Europeia, como informado pela famosa placa na saída do bairro que anuncia: “Você está entrando na União Europeia novamente”.

Seus habitantes não pagam impostos, por isso os produtos aqui são muito mais baratos. Christiania é a área perfeita para fazer compras em Copenhague e adquirir souvenirs artesanais produzidos pelos moradores locais, roupas de segunda mão e cartões postais em aquarela.

Desde seu surgimento em 1971, a Cidade Livre de Christiania tornou-se famosa pela legalização da venda e consumo de drogas. Devido à controvérsia que isso gerou nos últimos anos, a polícia de Copenhague aumentou a vigilância da área e o governo proibiu a venda de drogas.

No entanto, em Christiania é fácil adquirir drogas leves, como maconha e haxixe. A Rua Pusher, decorada com lanternas vermelhas, é a avenida principal de Christinia e concentra inúmeros postos de venda e em todo o bairro existem lojas especializadas em artigos para fumantes. A única regra da Pusher Street é que é proibido tirar fotos.

O cheiro de maconha ainda está no ar também, mas a vibe é definitivamente diferente de como era no auge de Christiania. Antes de entrar em Christiania e passar sob sua famosa placa, você pode até ver cartazes pedindo para você “Ajude Christiania e compre seu haxixe em outro lugar”.

As pessoas ainda estão comprando e fumando maconha em Christiania, mas os moradores concordaram com a vigilância por vídeo e as batidas policiais acontecem com mais frequência do que antes. Então, se você decidir comprar maconha e fumar lá, faça por sua conta e risco

Minha avaliação final sobre Freetown Christiana: A zona que mais prega liberdade foi onde encontramos mais sinalizações e placas de proibições (Não pode adulto! Não pode música! Não pode correr! Não pode passar!), onde nos sentimos mais inseguros e onde não me senti à vontade para ser turista, tirar fotos e aproveitar o espaço, pois há uma sensação de estar invadindo uma zona onde não és bem vindo. Vale ir ver se tiver tempo, mas não é um ponto imperdível. Achei decadente, um clima pesado, e algumas construções e paisagens que servem fácil como locações de filmes de terror.

  • Transporte
    • Metrô: Christianshavn.
    • Ônibus: linha 9A.

A cidadela – Kastellet

Quando estiver pela pequena Sereia, aproveite pra visitar também o Kastellet

A Cidadela de Copenhague foi fundada pelo rei dinamarquês Christian 4 em 1626. Você a encontrará na fronteira do interior de Copenhague e na área de Østerbro.

Hoje, os edifícios dentro da Cidadela são usados ​​como quartéis e escritórios militares. No entanto, a área é aberta ao público e um pulmão verde favorito para uma caminhada rápida ou corrida nas muralhas.

É uma das mais preservadas fortificações na Europa. Usado para objetivos militares desde 1626, ele foi construído em forma de um pentágono (ou uma estrela de 5 pontas), cercado por muralhas. Diversos edifícios foram construídos dentro do Kastellet como galpões, uma igreja e um moinho de vento. A área abriga várias atividades militares, mas serve principalmente como um parque público e um local histórico. O Kastellet tem dois portões que datam de 1663 e foram construídos no estilo barroco holandês: o “Portão do Rei” no lado sul, de frente para a cidade, e o “Portão Noruega” no lado norte do edifício. O local é muito bonito e vale muito a visita.

  • Endereço: Gl. Hovedvagt, Kastellet 1, 2100 Copenhagen, Dinamarca
  • De Outubro a Março: Todos os dias, de 6h as 20h
  • De Abril a Setembro: Todos os dias, de 6h as 22h
  • Entrada: gratuita

Outros locais que valem uma visita

Se você tiver mais tempo na cidade, pode incluir esses lugares no seu roteiro.

Biblioteca Nacional da Dinamarca

O rei Frederico III fundou em 1648 a primeira biblioteca da Dinamarca, com o objetivo de reunir sob um mesmo teto sua coleção de obras de autores europeus. Com o passar dos anos, este recompilatório de livros foi crescendo e finalmente a biblioteca se associou com a Universidade de Copenhague. Na atualidade, a Biblioteca Real conta com mais de 30 milhões de documentos.

O novo edifício da Biblioteca Real da Dinamarca, construído em 1999, se converteu num dos lugares mais bonitos de ver em Copenhague. Trata-se de uma autêntica obra de engenharia e design conhecida como o Diamante Negro por suas paredes de mármore escuro que refletem o mar e o céu. Uma imagem espetacular!

O Diamante negro se encontra em Christianshavn, a poucos metros do porto, e é a maior biblioteca de toda a Escandinávia. Em seu hall principal, um quadro de 200 metros quadrados decora o teto.

O edifício é uma extensão da histórica Biblioteca Real de Copenhague, que mantém sua sede central no antigo edifício de pedra antigo.

  • Horário
    • Se segunda a sábado: das 8:00 às 21:00 (inverno)
    • De segunda a sábado: das 8:00 às 19:00 (verão)
  • Transporte
    • Metrô: estação Kongens Nytorv.
    • Ônibus: linhas 2A, 9A e 40.

Gliptoteca Ny Carslberg

Maravilhe-se com o quão rico a cerveja pode tornar um homem em uma visita ao Glyptoteket, uma coleção única de arte e antiguidades acumulada por um dos primeiros chefes da cervejaria Carlsberg. 

A muitos poucos metros dos Jardins Tivoli está um dos museus de pintura e escultura mais completos de Copenhague: a Gliptoteca Ny Carlsberg.

O fundador da Gliptoteca Ny Carlsberg é Carl Jacobsen, filho do fundador da prestigiosa marca de cerveja dinamarquesa Carlsberg, o mesmo que financiou a construção da pequena sereia de Copenhague.

Em 1888 Carl Jacobsen deu sua coleção de arte ao público e começou a construção de Glyptoteket para abrigá-la. Mas apenas em 1897 que ela foi aberta ao público.

A gliptoteca de Copenhague abriga uma coleção muito valiosa de esculturas de vários períodos históricos, como o Império Romano, o Antigo Egito, Idade Moderna, ou as esculturas e pinturas dinamarquesas e francesas do século XIX. No total, mais de 10.000 obras de arte fazem da Gliptoteca Ny Carlsberg um dos museus mais importantes de Copenhague.

A coleção:

  • Sala de escultura antiga: abriga bustos e cabeças de líderes e deuses romanos, assim como lápides funerárias em ótimo estado de conservação. A gliptoteca também expõe esculturas egípcias de animais, máscaras faraônicas, tábuas com inscrições e esfinges. 
  • Sala de escultura modernista: a gliptoteca também expõe obras de períodos mais recentes, onde se destacaram esculturas como Meunier, Klinger, Picasso e Giacometti.
  • Pintura: entre as pinturas mais destacadas da Gliptoteca Ny Carlsberg se destacam Young Ladys, de Renoir; Paisagem de Saint-Rémy, de Van Gogh; Mujer española con miriñaque, de Picasso; e Três banhistas, de Cézanne. O museu também abriga obras de artistas como Manet ou Delacroix de artistas dinamarquesas como Eckersberg, Købke e Lundbye.
  • Horário
    • Segunda-feira: fechado.
    • De terça a domingo: das 11:00 às 18:00 horas.
    • Quinta-feira: das 11:00 às 22:00 horas.
  • Preço
    • A entrada é totalmente gratuita às terças-feiras.
    • Adultos: kr115 (€15,50).
    • Estudantes com carteirinha menores de 27 anos: kr85 (€11,40).
    • Menores de 18 anos: entrada gratuita.
  • Transporte
    • Trem: estação København H.
    • Ônibus: linhas 1A, 2A, 9A, 12, 33 e 40.

Museu Thorvaldsen

Descubra por que um escultor dinamarquês chamado Bertel Thorvaldsen encontrou fama internacional e até acabou criando obras de arte para o Papa. O museu dedicado ao seu trabalho está instalado em um lindo prédio amarelo perto do Palácio de Christiansborg e é gratuito às quartas-feiras. A entrada custa 90 DKK no resto da semana (estudantes 50 DKK).

A meados do século XIX, o famoso escultor dinamarquês Bertel Thorvaldsen ofereceu ao rei Frederico VI doar todas as suas obras à cidade de Copenhague se a cidade lhe desse um museu em sua homenagem. Seu desejo se tornou realidade em 1848, quando abriu suas portas o primeiro museu de Copenhague: o Museu Thorvaldsen.

Na zona direita do Palácio de Christiansborg está esse museu que reúne as obras mais destacadas do escultor dinamarquês. As esculturas mais famosas do museu são Ganimedes com a águia de Júpiter, Vênus com a maçã e Jasão com o velo de ouro, que consagraram Thorvaldsen como mestre da escultura neoclássica.

O resto das esculturas do Museu Thorvaldsen representa deuses romanos, personagens históricos e até o próprio artista. Além disso, no primeiro andar do museu estão expostas uma série de objetos pertencentes à coleção privada de antiguidades do artista.

Tanto o interior quanto o exterior do Museu Thorvaldsen estão inspirados na arquitetura do Antigo Egito, com palmeiras e esculturas de animais. O design do edifício agradou tanto que o próprio Thorvaldsen pediu para ser enterrado no jardim do museu, onde permanece sua sepultura.

  • Horário
    • De terça a domingo: das 10:00 às 17:00 horas.
    • Segunda-feira: fechado.
  • Preço
    • É gratuito às quartas-feiras
    • Adultos: kr90 (€12,10).
    • Menores de 18 anos: entrada gratuita.
    • Quarta-feira: entrada gratuita.
  • Transporte
    • Ônibus: linhas 1A, 2A, 9A, 26 e 40.

Museu do Design de Copenhague

A maior parte da coleção do Museu do Design está dedicada às cadeiras, a joia indiscutível do design dinamarquês. Passeando pelas salas do museu é possível conhecer a evolução das cadeiras no último século, assim como contemplar objetos que marcaram o design escandinavo nos últimos 400 anos.

No Museu de Design de Copenhague também encontrará brinquedos, objetos de decoração e exposições sobre moda, design gráfico e fotografia. Além disso, o museu abriga espaços abertos ao público como o jardim, a biblioteca ou a cafeteria, decorada com móveis criados por Poul Kjærholm e Hans J. Wegner.

  • Horário
    • De terça a domingo: das 10:00 às 18:00 horas.
    • Quarta-feira: das 10:00 às 21:00 horas.
    • Segunda-feira: fechado.
  • Preço
    • Adultos: kr115 (€15,50).
    • Estudantes menores de 26 anos: entrada gratuita.

Museu dos Recordes Guinness de Copenhague

A poucos metros do canal Nyhavn está um dos museus de Copenhague mais curiosos e interativos: o Museu dos Recordes Guinness. Ao longo de suas diversas salas são recriados alguns dos recordes mais icônicos do mundo com imagens, vídeos, roupas originais e muitos jogos interativos.

O Museu dos Recordes Guinness abriga uma sala interativa que permite aos visitantes desafiar os campeões de prêmios como: menor tempo em fazer o cubo mágico, montanhas de cartas mais altas, etc.

 Os recordes mais curiosos:

  • Bandeira mais antiga do mundo: os dinamarqueses se orgulham de que a bandeira da Dinamarca tem mais de sete séculos.
  • Maior número de pessoas dentro de uma cabine de telefone: de novo, os dinamarqueses ostentam esse recorde graças aos 20 estudantes que se enfiaram com bastante esforço em uma cabine.
  • Pessoa mais longeva do mundo: já imaginou viver 122 anos? Tanto a filha quanto o neto da francesa Jeanne Calment faleceram antes que ela.
  • A abobrinha mais pesada do mundo: pesava 960 quilos!

O Museu dos Records Guinness é interessante e entretido, principalmente se você viaja com crianças. No entanto, consideramos que vale mais a pena ver outros museus de Copenhague, como a Galeria Nacional da Dinamarca e o Museu Thorvaldsen.

Além disso, muitos dos outros objetos expostos no Museu dos Recordes Guinness são réplicas e algumas das atrações interativas requerem um preço extra.

  • Horário
    • De setembro a junho: De segunda a quinta e domingos: das 10:00 às 18:00 horas – Sexta-feira e sábado: das 10:00 às 20:00 horas.
    • De junho a agosto: Todos os dias, das 10:00 às 22:00 horas.
  • Preço
    • Adultos: kr105 (€14,10).
    • Crianças entre 4 e 11 anos: kr60 (€8,10).
    • Menores de 4 anos: entrada gratuita.

Museu da Guerra de Copenhague

Museu Nacional da Guerra (Krigsmuseet) está no antigo arsenal do rei Christian IV, que data de 1604. Nesse histórico edifício se conservam todo tipo de objetos bélicos utilizados em seus enfrentamentos nacionais e internacionais.

Canhões, espadas, munição, armaduras, uniformes militares e outras armas de todas as partes do mundo. Através de painéis e recriações, a exposição do Museu da Guerra percorre mais de 500 anos de história bélica da Dinamarca.

Entre os objetos mais destacados da coleção se destacam os barcos de guerra (o mais antigo é de 1660), um carro de combate que foi bombardeado no Afeganistão e um uniforme da guerra civil americana.

Embora o Museu da Guerra de Copenhague seja uma boa forma de conhecer o passado bélico da Dinamarca, consideramos que a coleção é um pouco escassa e recomendamos visitar outros museus imprescindíveis de Copenhague.

  • Horário
    • De terça a domingo: das 10:00 às 17:00 horas.
    • Segunda-feira: fechado.
  • Preço
    • Adultos: kr80 (€10,80).
    • Adulto acompanhado por um menor: kr70 (€9,40).
    • Menores de 18 anos: entrada gratuita.
  • Transporte
    • Ônibus: linhas 66, 1A, 2A, 9A e 26.

Avenida Sønder

Sønder Boulevard é um espaço urbano vívido em Vesterbro que se estende pelo distrito. Uma caminhada pela Strip levará você a jardins, playgrounds, mesas de pingue-pongue e quadras de basquete que atraem muitas pessoas da região. É um ótimo lugar para sentar, relaxar e observar a vida ao seu redor.


Ainda não sabe onde se hospedar em Copenhagen?

Veja aqui onde ficamos (e amamos pelo preço e pelo lugar) e outros lugares que indicamos: Onde se hospedar em Copenhagen

Ilhas Brygge

Dê um mergulho em Havnebadet Islands Brygge. A piscina ao ar livre (somente no verão) é totalmente gratuita e tem vistas decentes sobre a água. 

Assim que o sol nasce, o Islands Brygge ganha vida e se transforma em um dos espaços públicos mais populares de Copenhague. 

Espere multidões em dias ensolarados. Junte-se às pessoas tomando sol nas manchas verdes, fazendo churrasco e pulando no  banho do porto.


Shoppings

  • Illum: em pleno centro de Copenhague está o shopping mais famoso da capital dinamarquesa: Illum. Conta com lojas de marcas internacionais, estabelecimentos de produtos de cosmética, postos de comida ecológica, etc. Além disso, do seu rooftop, você terá uma vista excelente do centro histórico de Copenhague.
  • Magasin: o histórico complexo Magasin Du Nord possui sete andares e abriga várias lojas de todos os tipos, principalmente de marcas exclusivas. O melhor desse shopping é sua excelente localização em pleno centro de Copenhague.
  • Fisketorvet: se você procura variedade e entretenimento, a melhor opção é comprar no Fisketorvet, um shopping nos arredores da cidade. Além de umas 60 lojas de roupa e complementos, você encontrará cinemas, restaurantes, zonas de jogos para as crianças e muitos outros serviços.

Opções de Bate Volta

Se você for passar mais de dois dias na cidade, também poderá desfrutar de passeios por perto de Copenhague, como a cidade Suéca de Malmö, o Castelo de Hamlet, ou Frederiksborg.

Malmö

No sudoeste da Suécia está Malmö, a terceira cidade mais povoada do país e a capital indiscutível da zona sul. Desde sua origem no século XIII, a cidade sueca de Malmö está ligada à história de Copenhague, já que foi fundada quando o território pertencia ao reino da Dinamarca.

Malmö foi uma grande potência comercial no século XIX e parte de seu desenvolvimento atual se deve a esse período. No último século, os deslocamentos entre Malmö e Copenhague foram constantes, até que no ano 2000 foi construída a ponte de Øresund, de quase 8 quilômetros, que conecta as duas cidades.

Hoje em dia, Malmö é uma das cidades mais cosmopolitas do mundo, tanto que, conforme o censo de 2018, só faltavam três nacionalidades.

Veja aqui o que ver e fazer em Malmö.

Como ir de Copenhague a Malmö

  • Trem: o trem que conecta Copenhague com Malmö dura 35 minutos e custa uns €13. A frequência é de aproximadamente meia hora, o que faz do trem uma opção bastante cômoda.
  • Ônibus: a alternativa mais econômica é viajar de Copenhague a Malmö de ônibus. Os preços variam em função da empresa (entre €5 e €10) e a duração do trajeto é de aproximadamente uma hora.
  • Excursão: a melhor opção é reservar uma excursão de Copenhague a Malmö com guia especializado e transporte de ônibus. Essa opção inclui também um passeio de barco pelos canais de Malmö.

Em todos os trajetos se atravessa a famosa ponte de Øresund. Reservar excursão


Castelo de Hamlet – Castelo de Kronborg

Às margens do mar Báltico está o castelo de Hamlet, um dos cenários mais famosos da Dinamarca. 

Castelo de Kronborg, localizado na cidade costeira de Elsinor, é um dos poucos monumentos da Dinamarca declarados Patrimônio da Humanidade pela Unesco. A princípios do século XV, o rei dinamarquês Eric de Pomerânia decidiu construir uma fortaleza ao norte do país para cobrar pedágio de todos os barcos de mercadoria que quisessem cruzar o mar Báltico.

Um século depois, sobre esta antiga fortaleza foi construído um belo palácio renascentista que foi durante muito tempo o maior da Europa. O castelo de Kronborg passou a ser um centro militar, uma prisão e a residência temporária do rei da Dinamarca. Hoje em dia, é a sede do Museu marítimo e do comércio.

O dramaturgo mais famoso de todos os tempos, William Shakespeare, se inspirou no castelo de Kronborg para ambientar uma das suas obras mais famosas: Hamlet. Vale a pena visitar seus cômodos e os corredores onde o fantasma do falecido rei revela a Hamlet quem foi seu assassino. Todos os verões, a obra Hamlet é representada no castelo de Kronborg.

Além disso, em Kronborg também se pode visitar a sala de armas, o grande salão de banquete, a igreja e os corredores subterrâneos. Aqui descansa a estátua do famoso herói dinamarquês Holger, que só despertará quando a Dinamarca estiver em guerra e precisar da sua ajuda.

Hoje em dia, o castelo de Kronborg continua cumprindo sua função de residência real. Em ocasiões muito especiais, a rainha Margarida recebe convidados internacionais em Kronborg e lhes presenteia com a hospedagem no castelo de Hamlet. Além disso, os históricos canhões de Kronborg continuam sendo disparados na atualidade cada que o iate da rainha passa.

Quando a Dinamarca presidiu a União Europeia em 2012, a rainha Margarida celebrou uma reunião com 25 primeiros ministros europeus no castelo de Kronborg. Os quartos não têm luz elétrica e as principais salas não possuem banheiro, por isso foi uma estadia no mais puro estilo medieval.

Como ir a Kronborg: A melhor maneira de visitar o cenário de Hamlet é reservar uma excursão de Copenhague ao castelo de Kronborg. Veja aqui uma excursão ao castelo de Kronborg

Além disso, você também poderá reservar uma excursão pelos castelos mais importantes de Copenhague com um guia especializado e descobrir em um só dia Kronborg, Frederiksborg e Fredensborg. Reservar excursão


Castelo Frederiksborg

Visitar o Castelo de Frederiksborg é a melhor maneira de percorrer a história da Dinamarca desde 1500 até a atualidade. Este castelo, o maior da Escandinávia, é a sede do Museu de História Nacional dinamarquês e abriga autênticos tesouros artísticos. 

No final do século XVI, o rei Christian IV ordenou a construção de um grande palácio no norte da Dinamarca, o Frederiksborg, que logo se converteria no maior castelo de toda a Escandinávia.

Esta bela fortaleza renascentista localizada em Hillerød, a 40 quilômetros de Copenhague, demorou quase 70 anos para ser concluída. Depois de dois séculos servindo como residência real, o Castelo de Frederiksborg sofreu um grave incêndio em 1859, fazendo com que uma grande parte do interior do palácio fosse reconstruída.

Hoje em dia o Castelo de Frederiksborg abriga o Museu de História Nacional da Dinamarca. Entre os tesouros que o museu abriga, destaca-se a mais importante coleção de retratos e pinturas históricas da Dinamarca.

O que ver em Frederiksborg

Além dos aposentos do rei e da rainha, quartos de hóspedes e escritórios do palácio, Frederiksborg se destaca pelas seguintes salas:

  • Sala dos cavalheiros: esta elegante sala, também chamada “a rosa”, era usada como salão de banquetes para receber os nobres da corte. O teto desta sala foi reconstruído tal como era na época de Christian IV.
  • Sala das audiências: é a sala onde o rei fazia audiências com os nobres e líderes internacionais. Em algumas ocasiões, o monarca fazia seus convidados esperar por horas numa antessala sem cadeiras. Depois, os convidados eram conduzidos por um corredor pomposamente decorado até a sala onde o rei lhes estava esperando.
  • Sala de cerimônias: este é a sala que reflete o estilo exagerado do absolutismo dinamarquês, com retratos históricos, móveis do século XVIII e luminárias de vidro.
  • Capela: é a única área do castelo que permaneceu intacta após o incêndio e constitui a parte mais impressionante de Frederiksborg.
  • Jardim barroco: a maior atração do Castelo de Frederiksborg são seus jardins barrocos, recriados em 1996 a partir dos desenhos originais. Este labiríntico jardim de estilo francês abriga cascatas artificiais, caminhos de sebe e monogramas reais de vários monarcas dinamarqueses.

Como chegar ao Castelo de Frederiksborg

  • Ônibus: os ônibus das linhas 301 e 302 se dirigem até Frederiksborg Slot, a parada mais próxima do castelo.
  • Trem: saindo da Estação Central de trem de Copenhague, você pode pegar a linha A até Hillerød e depois caminhar cerca de 15 minutos até o castelo.
  • Excursão saindo de Copenhague: a melhor opção para visitar este monumento incrível é reservar uma excursão ao Castelo Frederiksborg saindo de Copenhague por €60. Desta forma, você conhecerá a cativante história do castelo pelas mãos de um guia especializado. Reservar excursão

Palácio de Fredensborg

O Palácio de Fredensborg é um belo palácio de estilo barroco construído no século XVIII para o desfrute e lazer da família real da Dinamarca. O rei Frederico IV usava Fredensborg durante a temporada de caça e hoje em dia é a residência de verão da rainha Margarida II.

A família real usa o Palácio de Fredensborg para receber outros nobres e chefes de estado, assim como para celebrar aniversários, casamentos e outros eventos importantes para a Coroa. Sempre há vários membros da Guarda Real protegendo a entrada do palácio.

Durante o resto do ano, a família real mora no Palácio de Amalienborg, em pleno centro de Copenhague.

Os jardins do Palácio de Fredensborg são os mais antigos e maiores do país. Seguindo o estilo barroco do edifício, os jardins são compostos por amplos caminhos cheios de árvores que formam uma estrutura estrelada.

A parte mais bonita do Palácio de Fredensborg são seus jardins barrocos, que abrem ao público durante os meses de julho e agosto.

Como ir de Copenhague a Fredensborg

O Palácio de Fredensborg está a cerca de 38 quilômetros da capital. A melhor forma de ir do centro de Copenhague até lá é reservar uma excursão pelos palácios mais importantes da cidade e visitá-los com um guia especializado. Você poderá conhecer todos os detalhes da rota e reservar a excursão com antecedência clicando aqui.

  • Horário dos Jardins do palácio: Julho e princípios de agosto: das 9:00 às 17:00 horas.
  • Preço: Acesso gratuito aos jardins.

Espero que esse conteúdo tenha te ajudado a planejar sua viagem. Se não quer perder tempo na fila das atrações, compre seu ingresso antecipado aqui.

Caso precise alugar um carro para sua viagem, veja aqui os buscadores por onde encontramos os melhores preços. Aqui tem também uma página secreta no Booking com hotéis com até 50% de desconto, vai que tem um pra sua viagem? Ou reserve pelo Hoteis.com e ganhe diárias gratuitas a cada dez. E não esqueça de fazer um seguro viagem pra não ter dor de cabeça.

Não esqueça da lista de bagagem e de comprar um chip de internet pra usar viajando.

Se tiver dúvidas, sugestões ou contribuições para compartilhar com outros viajantes, deixa nos comentários ai no final 🙂

Precisa enviar dinheiro para outro país?

Clique aqui para receber grátis a cotação diária do Euro e Dólar

Já existem formas mais inteligentes e baratas que enviar pelo banco.

Envie dinheiro com segurança pela melhor taxa de câmbio do Brasil

Clique aqui pra fazer a sua simulação e use o cupom: 5CANTOS

Sobre mim

Olá, meu nome é Ingrid.
Sou Engenheira, Foodie e Escritora de viagem :)

Tenho uma curiosidade infinita pelas diferentes formas de viver, culturas, tradições e sabores.

Já passei por mais de 30 países e hoje sou nômade digital, trabalho de qualquer lugar do mundo, mas escolhi o Porto como lar.

Conecta-te comigo
Planeje sua Viagem
Descubra os buscadores que usamos para pagar mais barato e viajar mais
Grátis
Compartilhe esse artigo com seus amigos

É mais fácil planejar sua viagem com a ajuda do Cinco Cantos

Quando você usa os serviços que usamos e recomendamos, nós ganhamos uma pequena comissão e você não paga nada a mais por isso :)
Essa pequena comissão nos motiva a produzir cada vez mais conteúdos úteis para te ajudar

Autor desse artigo:

Deixe um comentário

Translate »