Tanzânia: O Roteiro Perfeito em 9 Dias

O roteiro a seguir é o que sugerimos caso você queira fazer um pouco de tudo, curtir safári, cidade, as praias turquesas e não sair com sensação de ter perdido tempo e algum ponto que não valia a pena. Dia 1: Chegada pelo aeroporto Kilimanjaro e transferência para Arusha. Dia 2: Safari, Tribo Masai. Dia 3: Safari … Ler mais Tanzânia: O Roteiro Perfeito em 9 Dias

Porto Maravilha – O que fazer

As Olimpíadas nos deixou vários legados, um deles foi a finalização do Porto Maravilha,  que se tornou um dos principais pontos turísticos do Rio desde então.
O Porto Maravilha foi palco para a transmissão dos jogos e uma maratona de shows, atividades culturais e esportivas, intervenções artísticas, entre outras ativações, disponíveis gratuitamente ao público durante os Jogos Olímpicos. Após a finalização dos jogos, as atrações temporárias se foram, e ficaram as permanentes.
Nesse post vamos falar o que fazer no Porto Maravilha, e é claro, te deixar aquele mapinha esperto pra você poder usar enquanto estiver por lá.
Antes de qualquer roteiro eu gostaria de fazer um aviso: CUIDADO!
Como todo o Rio de Janeiro, aqui também é perigoso. Há policiais espalhados pelo porto, que te darão uma sensação melhor de segurança, mas não se engane, cuidado com as câmeras, celulares, carteiras, fique ligado o tempo todo. Cuidado com onde deixa o carro, caso vá com o seu. Na altura do painel do Kobra, sentido contrário à baía, tem um morro com favela, que vive tendo tiroteio, além de ruas cheias de moradores de rua, então é meio complicado deixar o carro em qualquer lugar, prefira os estacionamentos fechados, pois o risco de ter o carro levado, ou acabar sendo baleado não é raro. Da ultima vez que visitamos o porto maravilha, ficamos de 20h até 22h esperando em frente ao mural do Kobra o tiroteio parar, tentamos seguir pela rua algumas vezes e tivemos que voltar correndo pois o tiroteio estava chegando ali na rua mesmo, uma experiência que não desejo pra nenhum de vocês. Então, mais uma vez, CUIDADO, não voltem tarde e cuidado onde pararem.

O que fazer no Porto Maravilha:

O Boulevard já virou queridinho dos cariocas e turistas que estão pela cidade. Não é pra menos, afinal, a transformação ficou linda e veio pra ficar. É uma alternativa para quem não possui ingresso para as competições, mas não quer ficar de fora.
Vamos ao que interessa! Os pontos!

  1. AquaRio
  2. Mural Etnias – Kobra
  3. Praça Mauá
  4. M.A.R – Museu de Arte do Rio
  5. Museu do Amanhã
  6. Orla Conde
  7. CCBB – Centro Cultural Banco do Brasil
  8. Casa França Brasil
  9. Centro Cultural dos Correios
  10. Praça XV
  11. Museu do Paço Imperial
  12. Museu Naval e Visita à Ilha Fiscal

Segue nosso mapinha de como percorrer da melhor forma os locais de interesse no Porto Maravilha:

AquaRio

Começando pela AquaRio, que tem iniciou o funcionamento no segundo semestre de 2016, já como o maior Aquário Marinho da América do Sul, e convida o visitante a uma verdadeira viagem ao fundo do mar, entre peixes, tubarões, moreias e raias.
O visitante que chega ao AquaRio vê logo a ossada de uma baleia Jubarte suspensa no lobby do prédio, que abrigou no passado o antigo Frigorífico do Estado.
Encalhada na Praia da Macumba, no Rio de Janeiro, em 2014, o mamífero pesava mais de 37 toneladas e media 15 metros, e dá a dimensão da grandiosidade do local.
O circuito tem início no terceiro andar acessado por elevadores e prepara surpresas nos 28 tanques que guardam 4,5 milhões de litros de água salgada – equivalente a duas piscinas olímpicas — levando o visitante a uma verdadeira viagem ao fundo do mar.
Nos 26 mil metros quadrados de área construída e cinco andares do AquaRio – concebido pelo biólogo marinho Marcelo Szpilman – há peixes da costa brasileira, do Caribe e do Indo-Pacífico, como moreias, peixes-leão, peixes-pedra e raias elétricas.
Ainda dentro da programação do AquaRio, há atividades como o Museu de Ciências – com exposições de temas relacionados ao ambiente marinho e aquático e o Aquário Virtual – que por meio de tecnologias inovadoras e total interatividade permitirá ao visitante acesso ao real e ao virtual ao mesmo tempo. Os visitantes poderão se divertir criando um “Peixe Virtual”, que acompanha cada um na viagem pelos corredores do AquaRio e em todas as vezes que voltarem ao local.
O AquaRio funciona todos os dias, das 10h às 18h, com encerramento da bilheteria às 17h. Dispõe de estacionamento pago operado por empresa terceirizada.
Depois da visita, vá na direção dos últimos armazéns e visualize os grafites de artistas cariocas.

Mural Etnias – Kobra


Ande mais um pouco e à altura da estação Parada dos Navios, você vai encontrar o mural Etnias, que foi inspirada nos aros olímpicos que representam os 5 continentes. É o maior painel do mundo, com 2,5 mil metros, e foi pintado por um dos grafiteiros mais famosos do mundo, o Eduardo Kobra para a Olimpíada. Aproveite para tirar muitas fotos! 🙂
Continuando pelos armazéns, já começam a aparecer os primeiros food-trucks (eles vão estar presentes em vários pontos ao longo do Boulevard).

Praça Mauá

Chegue na Praça Mauá, que é o ponto de encontro de vários eventos e turistas da nova orla central carioca. Ela abrigou o palco encontros, e o letreiro #CIDADEOLIMPICA e vários outros pontos de interesse. Procure pela placa com a imagem do antes e depois da revitalização da praça, pra quem viu como era antes, é inacreditável!

M.A.R – Museu de Arte do Rio

De costas para o Museu do amanhã, você verá do seu lado direito o M.A.R., Museu de Arte do Rio. Se estiver procurando o ângulo perfeito para fotos, vá até o terraço e sua busca será finalizada.

  • Endereço: Praça Mauá, 5 – Centro, Rio de Janeiro – Tel. 21 3031-2741
  • Datas e horários de funcionamento:
  • Entrada:
    • Toda terça-feira a entrada é gratuita.
    • Para demais dias, compre online seu ingresso, clique aqui.
      • Geral:  R$ 10,00
      • Meia-entrada:  R$ 5,00

Museu do Amanhã


Essa coisa linda, branca e imponente é o Museu do Amanhã.
Dá pra comprar ingresso online, mas caso não tenha comprado e já esteja lá, tenta comprar pelo celular, não é muito difícil conseguir horário.

  • Endereço: Píer Mauá – Praça Mauá, 5 – Centro, Rio de Janeiro
  • Datas e horários de funcionamento:
    • O Museu abre de terça a domingo, com entrada das 10h às 17h.
  • Entrada:
    • Toda terça-feira a entrada é gratuita.
    • Compre online seu ingresso, clique aqui.
      • Geral:  R$ 10,00
      • Meia-entrada:  R$ 5,00

Orla Conde

Caminhe pelo novo deck recém inaugurado, com uma ponte de pedestres que passam pela margem da baía. Foi construida na frente do I Distrito Naval, que há 250 anos ocupava a passagem.

CCBB – Centro Cultural Banco do Brasil

Indo em direção à Candelária, do lado esquerdo você avistará o  Centro Cultural Banco do Brasil, o CBBB, que sempre recebe uma exposição interessante.

  • Endereço: R. Primeiro de Março, 66
  • Datas e horários de funcionamento: De 4ª a 2ª das 10h às 21h – Entrada franca

Casa França Brasil

Pertinho do CCBB, tem a Casa França Brasil, que costuma ter ótimas mostras, e durante as Olimpíadas funcionou como casa da Finlândia.

Centro Cultural dos Correios

Alí na mesma rua tem também o Centro Cultural dos Correios que também conta com exposições frequentes.

  • Endereço: R. Visconde de Itaboraí, 20
  • Datas e horários de funcionamento: 3ª a domingo das 12h às 19h

Praça XV

Daqui partem as Barcas para Niterói e a viagem de barca é uma ótima forma de contemplar a beleza da Baía de Guanabara. Funciona de Das 6h às 23h30. Tempo de viagem: 20 minutos – R$ 5,60 (R$ 4,10 com Bilhete Único)

  • Food Trucks

Em três pontos diferentes, os pequenos caminhões atraem quem precisa repor as energias.

Museu do Paço Imperial

O museu do Paço Imperial ocupa um antigo palácio, e costuma ter exposições e mostras, normalmente com entrada franca.

  • Endereço: Praça XV, 48
  • Datas e horários de funcionamento: De 3ª a domingo das 12h às 19h

Museu Naval e Visita à Ilha Fiscal

Na rua de trás tem o Museu Naval, onde você pode comprar ingressos para uma visita à Ilha Fiscal, um símbolo dos últimos dias do Império. É preciso comprar ingresso presencialmente, no dia da visita.
Para visitar a Ilha Fiscal o visitante deve se dirigir ao Espaço Cultural da Marinha (ECM), localizado no Boulevard Olímpico, próximo à Pira Olímpica, local de venda dos ingressos e do embarque.
Transferida para a Marinha pelo Ministério da Fazenda, em 1913, a Ilha é hoje parte do Complexo Cultural do Serviço de Documentação da Marinha (DPHDM). Cenário do evento que ficou conhecido como “O Último Baile do Império”, realizado alguns dias antes da Proclamação da República, a Ilha Fiscal continua sendo um elo entre o presente e o passado. Décadas se passaram e o castelinho, como é chamado por muitos, que testemunhou tantos fatos históricos, é hoje uma das principais atrações turísticas do Rio de Janeiro.
Na Ilha Fiscal, aberta à visitação, destacam-se o Torreão e a Ala do Cerimonial. Exposições temporárias também são atração, contando a participação da Marinha do Brasil no desenvolvimento econômico e social do País.

  • Endereço: R. Dom Manuel, 15
  • Datas e horários de funcionamento: Passeios de 4ª a domingo às 9h30 | Bilheteria abre às 8h30
    • A venda de ingressos é encerrada vinte minutos antes de cada passeio para início dos procedimentos de embarque.
    • O visitante que perder o passeio não terá devolução do valor pago.
    • O visitante deve guardar o canhoto do ticket até o final do passeio. No caso de imprevistos ou cancelamento, a devolução do valor pago só ocorrerá mediante a apresentação do canhoto.
    • Por norma da Capitania dos Portos do Rio de Janeiro é obrigatório o preenchimento dos dados pessoais solicitados no verso do ticket.
  • Valores: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia) (Valores 2017, clique aqui e veja os valores atuais).
    • Pagam meia: estudantes, militares e dependentes, maiores de 60 anos, menores de 21 anos, professores e portadores de necessidades especiais.
    • Não pagam: crianças até 2 anos e guia de turismo em exercício da atividade.
  • Duração: A visitação tem a duração de 2h, aproximadamente, já incluso o deslocamento.
  • Acesso: O transfer para a Ilha Fiscal é realizado na escuna Nogueira da Gama, mas no seu impedimento pode ocorrer em microônibus ou vans. Consulte antes de comprar o ingresso. O embarque terá início vinte minutos antes, terminando cinco minutos antes de cada passeio, momento que se inicia os procedimentos para a desatracação.
  • Lotação: Microônibus – de 25 a 28 visitantes; Escuna – 90 visitantes.
  • A DPHDM NÃO FUNCIONA NOS DIAS: 1º de janeiro (ano novo); Carnaval; Nos dias de eleição; 24 e 25 de dezembro (Natal); 31 de dezembro (réveillon).
  • Facilidades
    • A Escuna Nogueira da Gama possui banheiro e bebedouro.
    • A Ilha Fiscal dispõe de uma pequena cantina. Há banheiros e bebedouro.
    • O Espaço Cultural da Marinha possui uma lanchonete e uma loja de souvenir.
  • Orientações
    • É permitido filmar e tirar fotos no interior do Castelo, bem como das exposições.
    • Não é permitido comer ou beber nos circuitos expositivos.
    • Os pais devem ter atenção com as crianças para que elas não cheguem na borda do cais.
    • Criança até dois nos de idade não conta como lotação, devendo ter acesso à Ilha no colo de seu responsável.
    • Devido ao jogo da embarcação, o passeio deve ser evitado por pessoas com problemas de labirintite ou náuseas.
    • Recomenda-se o uso de salto baixo, a fim de possibilitar um melhor equilíbrio e apoio nos degraus das escadas e pranchas de acesso à embarcação, bem como no deslocamento na Ilha, pois o revestimento do piso externo é em paralelepípedo.
    • Não é permitido o acesso em trajes de banho ou descalço.
    • Não é permitido o fumo no interior do Espaço Cultural da Marinha, na embarcação, ônibus e dentro do castelo da Ilha Fiscal.
    • O passeio poderá ser cancelado por mau tempo ou por avaria na embarcação.
    • A embarcação e a Ilha Fiscal não possui infraestrutura para receber pessoas que se deslocam por meio de cadeira de rodas.
    • Sendo o acesso realizado por meio de escuna, só haverá visitação com um número mínimo de dez visitantes.
    • A estação de metrô mais próxima é a “CARIOCA”.
    • Não há estacionamento para visitantes no Espaço Cultural da Marinha.
  • CONTATOS
    • Atendimento presencial:
      • De segunda a sexta-feira, exceto feriado
      • Horário: 08:30h às 11:45h e das 13:15h às 16:00h
      • Telefones: (21)2532-5992/(21) 2233-9165
      • Sábados, domingos e feriados : 2104-5506, 2104 5493, 2104-6691
    • Fale conosco: De segunda a sexta-feira, exceto feriado, pelo e-mail [email protected]
    • Ouvidoria: De segunda a sexta-feira, exceto feriado pelo e-mail “[email protected]”. Utilize esse canal somente para elogios, críticas e agradecimentos. Para obter informações ou tratar de outros assuntos, faça uso do “Fale Conosco”.

Saia pela lateral da estação das barcas e você vai chegar ao último trecho do calçadão, onde o destaque é a vista para a Ilha Fiscal.

Museu Histórico Nacional

Se der tempo, dê uma esticada até a Praça Marechal Âncora e visite o Museu Histórico Nacional. Além de sua arquitetura muito bonita, tem sempre umas exposições super legais.

VLT

Caso prefira queira experimentar andar de VLT, pegue ele na estação dos museus ou do porto e vá até o aeroporto Santos Dumond. Chegando lá, dê uma passeada pelo Bossa Nova Mall, um shopping anexo ao aeroporto super charmozinho, com restaurantes delicias. Se quiser comer um bom hambúrguer, vá ao Burger Joint.

Bônus: Burger Joint

Sucesso em New York, o Burger Joint, eleito 12x como a melhor hamburgueria, tem uma filial no Bossa Nova Mall. A casa carioca preserva a filosofia da casa, servindo apenas um tipo de hambúrguer, em diferentes versões. A carne, 140g de Angus, pode vir acompanhada apenas do pão – produzido exclusivamente para a casa.
O principal sanduíche da casa, o The Works, leva carne, queijos, alface, tomate, cebola roxa, picles e maionese da casa, ketchup e mostarda dijon. Com adição de bacon de costela o sanduba vira o Lazy Boy, meu preferido.
As batatinhas fritas na hora são servidas no mesmo saco de papelão da matriz, e o Milkshake Ben&Jerry’s nos sabores chocolate, baunilha e morango, além de chope Heineken e cervejas Brooklyn Brewery nos estilos IPA e Lager. As paredes estão disponíveis para serem rabiscadas pelos clientes.

Portugal – Sugestões de Roteiros de 1 à 17 dias

Uma das piores sensações pra um viajante é perceber que errou na conta dos dias pra uma viagem. É ruim saber que está indo embora sem ter visto tudo que era importante, assim como calcular mal e ter muitos dias sobrando, e notar que poderia ter aproveitado pra fazer outras coisas caso tivesse se planejado melhor.

Pra te ajudar a não cometer esse erro, vale pesquisar quantos dias são necessários pra conhecer bem aquele destino. Nem sempre é possível achar um número mágico, não há um número certo para cada lugar, depende do que te interessa conhecer e do seu estilo de viagem. Mas vamos tentar te ajudar.

Portugal é um país pequeno, mas cheio de cidades encantadoras a serem vistas. É quase um pecado deixar de visitar algumas como Óbidos, Aveiro, Sintra… E pra te ajudar a decidir o que fazer, seguem nossas sugestões do que pode ser feito em cada quantidade de dias.

Óbvio que há muitos outros lugares além do que apresentaremos, mas esses nós consideramos os mais importantes pra quem quer conhecer o País.

Portugal em 17 dias – Pra nós, um número bom para Portugal é pelo menos uns 17 dias. Sim, é possível conhecer com menos, mas vou te mostrar tudo que dá pra fazer nesses 17 dias:

  • Dia 1 – Porto
  • Dia 2 – Vila Real, Trás os Montes: Douro/ Régua/ Pinhão/ Vila Real
  • Dia 3 – Ponte de Lima/ Viana do Castelo
  • Dia 4 – Porto
  • Dia 5 – Aveiro/ Ovar/ Barra/ Costa Nova
  • Dia 6 – Guimarães / Braga
  • Dia 7 – Porto
  • Dia 8 – Coimbra
  • Dia 9 – Mosteiro da Batalha/ Fátima  
  • Dia 10 – Nazaré
  • Dia 11 – Óbidos
  • Dia 12 – Lisboa: Belém
  • Dia 13 – Caiscais/ Estoril  
  • Dia 14 – Sintra
  • Dia 15 – Algarve (Se for inverno, substitua por Serra da Estrela e coloque no começo do Roteiro)
  • Dia 16 – Algarve
  • Dia 17 – Algarve

Segue mapa com todos os pontos a ser visitados, sugiro que baixem o MyMaps do Google e salvem nossos mapas dos locais, assim, será possível vê-los offline.


Se você pode ficar mais dias, faça tudo com mais calma, visite menos lugares por dia e passe mais tempo em cada cidadezinha. Aproveite pra passar em cidadezinhas pequenas e menos visitadas, elas são sempre uma surpresa.

Já se você não tem tanto tempo, é possível reduzir o roteiro que sugerimos aí em cima. Vou colocar os dias aqui por ordem de prioridade do que deve ser visto, assim você decide quais dias excluir. Pra otimizar o tempo de viagem entre os locais, quando fomos, ficamos no Porto, depois em Belém (Clique aqui pra ver onde se hospedar em Lisboa) e depois em Vila Nova de Gaia, e desses lugares partíamos para as cidades próximas. Sugerimos que façam algo semelhante, e se hospedem nesses locais, reduzindo o deslocamento entre sua hospedagem e o destino.

Segue a lista de onde ir, do mais importante, aos menos indispensáveis. Grifei os que são totalmente indispensáveis. Então você faz assim: Se tiver um dia só, faz o primeiro, se tiver 2, faz o primeiro e segundo e por aí vai, independente da ordem que será feito, e não esqueça de considerar os tempos de deslocamento.

  1. Lisboa/ Belém
  2. Lisboa/ Sintra
  3. Porto: Baixa/ Café Santiago/ Sta Catarina/ Matosinhos/ Gaia/ Ribeira/ Casas de Vinho
  4. Porto
  5. Aveiro/ Ovar/ Barra/ Costa Nova
  6. Peniche/ Óbidos/ Nazaré
  7. Mosteiro da Batalha/ Fátima
  8. Sintra
  9. Guimarães / Braga/ Barcelos
  10. Algarve
  11. Ponte de Lima/ Viana do Castelo
  12. Caiscais/ Estoril
  13. Coimbra
  14. Vila Real, Trás os Montes (Comboio): Douro/ Régua/ Pinhão/ Vila Real
  15. Costa do Alentejo: Sines/ Vila nova de Milfontes/ Odemira/ Porto covo/ Odeceixe
  16. Serra da Estrela: Torres Novas/ Castelo Branco/ Monsanto
  17. Gerês

Dentro de cada um dessas cidades e lugares há mil coisas a se ver e fazer. Aos poucos vamos escrevendo tudinho aqui no Blog.


Como se deslocar

A melhor forma de deslocamento pra conhecer esses lugares todos aí é de carro. Sem dúvida, alugar um carro te trará uma flexibilidade e otimizará muito a sua viagem. Você pode se deslocar de comboio ou transporte publico, mas isso pode te fazer perder um tempo a mais, além de ficar engessada nos horários disponíveis.
Eu sempre alugo via RentCars ou RentalCars, porque todas as vezes que comparei, ficava mais barato do que direto com a agência. Clica aqui pra ir direto para o site da RentCars ou RentalCars pra comparar e ver como vale mais a pena.

St. Patrick's Day: Os melhores lugares no mundo para celebrar

Já perceberam como a festa de St. Patrick’s Day tem sido cada vez mais aderida? Pode ser impressão minha, mas não lembro de ver tantos bares comemorarem a data há uns anos atrás, pelo menos não no Brasil. Se você não sabe o dia certo, anota aí, dia 17 de Março.
Inicialmente, a celebração era feita pelos irlandeses, e você deve imaginar a importância e o significado dessa festa para eles. Lá eles tem um feriado dedicado à São Patrício, santo padroeiro que disseminou o catolicismo no País, e a festa é tããão boa que influenciou outros lugares a comemorarem a data com eles.
Em Dublin, esse feriado é como um carnaval pra nós, durante 4 ou 5 dias as pessoas festejam com desfiles, fantasias, shows ao ar livre, e a festa se espalha por todos os pubs da cidade, sempre com bastante cerveja e uísque irlandês.
Atualmente, a comemoração de St. Patrick’s Day não é apenas na Irlanda e até o Cristo Redentor já ficou verde. Outras cidades, além de Dublin, já mostraram que sabem fazer uma boa festa, com a mesma energia e animação, e hoje em dia, aonde você estiver, há cidades para sair trajado de verde e tomar uma cerveja no dia 17 de março. Então se você nunca participou dessa festa, provavelmente uma te alcançará em breve.
Se não está disposto à esperar a ação do destino, e quer festejar em alto estilo, nas melhores festas de St. Patrick’s Day pelo mundo, nós te damos uma listinha pra você se planejar para a próxima. Mas antes disso, umas curiosidades sobre a festa:

  • O nome original do Padroeiro era Maewyn Succat, e ele trocou o nome para Patrick (Em português: Patrício – que significa pai) quando virou um sacerdote.
  • Maewyn foi sequestrado por piratas irlandeses quando tinha 15 anos, e foi obrigado a trabalhar como escravo, apesar de pertencer a uma família rica e influente na Grã Bretanha. Como escravo, ainda menino, ele ouviu vozes que acreditou ser Deus, e após isso, conseguiu fugir e retornar para sua terra. Novamente ele ouviu o chamado divino e tornou-se missionário, a fim de espalhar pela Irlanda o Cristianismo. Após 15 anos de estudo, virou um sacerdote e assumiu o nome Patrick.
  • DUENDE: Um dos símbolos da festa é o duende, também conhecido como Leprechaum. Nas festas é comum decorações e fantasias ligadas ao personagem, que é associado a alegria, música e dança.
  • TREVO: O trevo de três folhas, era utilizado por St. Patrick para explicar a doutrina da Trindade. Com isso, se tornou um dos principais símbolos da festa e popularizou a utilização da cor verde.
  • HARPA: Se você visualizar harpas, saiba que ela é uma das marcas da festa, pois é considerada um símbolo nacional irlandês.
  • VERDE: O verde não foi a primeira cor associada ao Saint Patrick’s Day, e sim o azul. Mas na Rebelião Irlandesa de 1798, os soldados utilizavam um trevo em suas lapelas, e a cor verde se propagou.

A Irlanda se pinta com a cor durante os dias de folia, e é muito comum, em todos os lugares no mundo, que o chope tenha a cor verde, adicionando algumas gotas de menta, ou corante à bebida.

Em Chicago, desde 1961 as águas do rio da cidade são pintadas de verde. Em outros lugares o verde é utilizado na iluminação dos principais pontos turísticos, e até o Cristo Redendor já entrou na brincadeira.

Agora vamos à lista das melhores festas pelo mundo:

DUBLIN

A original, é claro, é a maior festa do mundo. A cidade explode em seu momento auge todo anos, são 4 ou 5 dias em que o berço do St Patricks Day se enche de música tradicional, folclore, danças, desfiles, e é claro, muita cerveja.

NEW YORK

NY também tem seu próprio desfile, com duração de 6h, o desfile mais antigo nos EUA, que começou a 14 anos antes da declaração de Independência dos EUA. Eles possuem a segunda maior festa por um motivo, possuem uma das maiores populações irlandesas dentro dos Estados Unidos.
Cerca de 2 milhões de pessoas acompanham o caminho ao longo da Quinta Avenida. Então imagine a união da cidade que nunca dorme com a alegria dos irlandeses, a festa se espalha por toda cidade, em todas as ruas, bares, pubs, impossível não se contagiar.

BUENOS AIRES

A quinta maior população irlandesa no mundo está lá, e é claro que eles não deixariam de esverdear os 10 bairros no coração da cidade nessa data. Há um desfile na Plaza San Martin, que também é considerado o maior desfile da cidade, que dá abertura às comemorações da noite.

CHICAGO

Outro lugar com uma festa bem famosa é Chicago, onde desde 1961 eles gastam mais de 40 quilos de corante verde para transformar o rio de Chicago. Lá também rola um desfile de 3h, um dos maiores dos EUA, o ‘Chicago Downtown Parade’ que em 2015 completou sua 60º edição. Eles celebram durante todo o mês de março.

BOSTON

No O grande número de descendentes irlandeses em Boston torna a cidade um dos locais mais importantes do mundo para a celebração do Dia de São Patrício. No domingo mais próximo ao St. Paddy’s Day, em South Boston, monta-se um palco para um animado desfile que inclui bandas tradicionais de todos Estados Unidos.

LONDRES

Aqui o desfile acontece no domingo mais próximo ao dia 17 de março e conta com carros alegóricos e bandas que passam por lugares badalados como a Piccadilly Circus, Whitehall e Trafalgar Square. As pessoas se reunem no Jubilee Gardens e no National Theatre, onde há músicas e danças celtas, comidas típicas, artesanatos, trajes e artes irlandesas. Isso tudo acontece com a linda visão da London Eye.

AUCKLAND

Se você estiver pensando em conhecer a Nova Zelandia, vale programar para pegar alguns dias da festa aqui. Em Auckland existe uma catedral dedicada à São Patrício, e a cidade também se dedica em fazer uma big festa durante março. A festa dura alguns dias e se divide em eventos pela cidade, inclusive uma parada. Eles tem um site da festa, se quiser ver mais, clica aqui.

TÓQUIO

Por mais estranho que pareça, lá do outro lado do mundo eles também sabem fazer uma boa festa de St. Patrick’s Day. Há 24 anos eles realizam uma parada que celebra a data na capital japonesa e só vem aumentando sua popularidade.

COPENHAGUE

Aqui rola uma das celebrações mais divertidas de St. Patrick’s pelo globo. Patrocinada pela Carlsberg e pelos diversos pubs irlandeses espalhados pelo país, acontece anualmente a Three-legged Charity Race. Uma corrida feita em duplas, onde os participantes amarram uma de suas pernas junto a do companheiro e completam circuitos de até 5km, a fim de arrecadar dinheiro e mantimentos para instituições de caridade da região.

COATBRIDGE

Nessa pequena cidade ao norte da Escócia a festa foge um pouco do padrão do resto do mundo, sendo uma celebração mais introspectiva e saudosista, que homenageia e relembra o número de soldados irlandeses que se abrigaram e defenderam a cidade durante a Primeira Guerra Mundial.

MILÃO

O conselho de turismo Irlandes realiza durante uma semana inteira, celebrações no Ippodromo del Trotto, levando aos italianos toda a magia relacionada ao feriado de St. Patrick com comida, música e dança para todas as idades, além de muita Guinness para os adultos.

MUNIQUE

Você deve imaginar que era óbvio que um dos lugares mais famosos pela cerveja não ficaria de fora dessa lista. Mas essa festa é especial, no dia 17 de março, os alemães se dedicam a apreciar as canecas e pints de Guinness ao invés de suas icônicas lagers e weizen biers. Eles comemoram com uma enorme festa ao ar livre organizada na cidade que normalmente acontece na Câmara Municipal de Munique, que é toda iluminada com luz verde.

TESSALÔNIA

Tessalônia possui uma comunidade irlandesa enorme, e é a segunda maior cidade da Grécia, além de ser uma das mais belas. Por esses três motivos, seus moradores e moradores do sudeste europeu se programam para ir até lá e serem recebidos com bastante shots de uísque e ouzo.

BELFAST

Essa lista não estaria completa sem mais uma cidadezinha Irlandesa. Lá a festa rola por todos os lugares do país, mas além de Dublin, Belfast se destaca.
A capital da Irlanda do Norte faz uma festa super caprichada, com muita dança, música, decorações, um desfile enorme e muita Guinness, é claro. A festa costuma durar uns 4 dias, levando aos nortenhos toda a atmosfera positiva que engloba a festa.
 
Essas são as principais espalhadas pelo mundo, mas a festa já está tão globalizada que será possível curtir em lugares inimagináveis, com religião e cultura totalmente diferentes da Irlanda, tenta a sorte.
Sabia que alguns lugares em SP e BH também costumam comemorar? Seguem algumas indicações que vocês podem tentar:

São Paulo

  • São Paulo (Capital) – Bar Charles Edward, Bottled Dog, Café Aurora, Dublin, Jet Lag Pub, Memphis Rock Bar, Morrison Rock Bar, Ozzy Stage Bar, Republic Pub, Rhino Pub, Rock Bikers Bar, Sailor Burgers & Beers, Saloon
    St. John’s Irish Pub, The Blue Pub, The Joy, The Sailor.
  • Santo André – Old Town English Pub
  • São Bernardo do Campo – Liverpool
  • São Caetano do Sul – Booze Hound Bar, Goodfellas
  • São José dos Campos – Dunluce Irish Pub
  • Sorocaba – Kingsford
  • Bauru – Jack Music Pub

Belo Horizonte

  • A Autêntica – rua Alagoas, 1172, Savassi
  • Pátio Cervejeiro da Backer – rua Santa Rita, 220
  • Estacionamento do Mineirão

E aí, já escolheu onde comemorar o próximo St. Patrick’s Day?

10 motivos para conhecer o Peru

Sei que não é preciso muito esforço pra que qualquer curioso queira viajar pelo menos uma vez ao Peru. E não é pra menos, todo mundo quer conhecer os mistérios do povo Inca, e se não tem curiosidade pelos mistérios, aposto que querer conhecer a famosa ‘Machu Picchu’ todo amante de viagens quer! Mesmo sabendo que não são necessários muitos motivos além desses, nós decidimos te dar 10 justificativas (Poderíamos escrever 100) pra você começar hoje a planejar sua viagem ao Peru.

Ler mais10 motivos para conhecer o Peru

Foz do São Francisco e Piaçabuçu

O Velho Chico com seus 240 quilômetros de extensão dentro do território de Alagoas, encanta a todos que o conhecem. O passeio de barco ao Cânion do Xingó é o mais impressionante na região da divisa com Sergipe e parte do município de Piranhas
25 km adiante, o Pontal  do Peba é a última praia antes das dunas e da Foz do São Francisco. Tem uma faixa larga de areia dura, e por isso é point de praticantes de windcar.
Já à beira do São Francisco, o vilarejo de Piaçabuçu, a 110 km de Maceió, é o ponto de partida para os passeios de barco à Foz do São Francisco. O Rio São Francisco é o maior rio genuinamente brasileiro e um dos mais importantes da América do Sul. Conhecido como Velho Chico, o rio tem nascente em Minas Gerais e passa por estados como Bahia, Pernambuco, Sergipe e Alagoas. Entre Alagoas e Sergipe fica a foz do Rio São Francisco e o passeio vale a pena para quem está hospedado em ambos os estados.
A paisagem ao longo do rio é belíssima e rende um ótimo passeio ao ar livre. Durante o trajeto, é possível observar a bela mata ciliar e moradores da região que tiram seu sustento da pesca. O encontro das águas não é tão aparente quanto o encontro do Rio Negro e do Solimões, pois o rio e o mar já não têm cores tão distintas, mas o lugar tem uma beleza singular.
 

DSC05912.JPG
Terminal Turístico

Várias empresas de Maceió oferecem o passeio, mas você pode fazê-lo sem agências, indo até Piaçabuçu por conta própria. Se você for até o terminal turístico (foto), às margens do rio, e andar para o lado esquerdo de quem olha para o rio, você vai encontrar sempre moradores que são pescadores ou possuem canoas. Pergunte se sabem de alguém que leve vocês até à foz, assim você pagará muito mais barato, vai pegar uma canoa exclusiva pra duas pessoas e ainda ajudará diretamente uma família local (Quem levou a gente foi o Luciano, pergunte por ele, ele fazia por R$100 o casal fechando direto com ele). O único ruim dessa forma é que eles não dão explicações durante o passeio, mas se vocês pesquisarem antes, pode valer a pena.Caso não encontre ninguém por alí, vá até a associação de barqueiros, no porto e peça pra fretar um barquinho.
Curiosidade: Em frente a esse terminal turístico, há uma escadaria onde foram gravadas algumas cenas do filme ‘Deus é Brasileiro’. Tentem lembrar da cena em que umas mulheres estavam a lavar roupas nessa escadaria, como mostra na imagem a seguir.

Escadarias
Escadarias do filme ‘Deus é Brasileiro’

Essa foto foi tirada da primeira vez que fomos lá, e o edifício nem era ainda um terminal turístico.
Da primeira vez que fomos, fizemos o passeio com barco de turismo, fechado com uma cia turística, era um barco grande, com vários turistas e o pacote vinha um almoço que servia para praticamente te obrigar a comer onde eles indicavam.
256813_158824327516908_1197584_o
Porém, da vez mais recente, nós fretamos uma canoa com um pescador local, e foi muito diferente. Conseguimos conversar com ele e entender um pouco da dinâmica local.

Enquanto esperávamos, sentamos perto de moradores e eles nos deram inclusive um pote de camarão que eles estavam comendo e nos deram cerveja pra acompanhar, rs, super hospitaleiros. Conseguimos levar bebidas na canoa também, eles nos emprestaram a térmica e foram comprar bebida pra gente no mercadinho próximo.

Pergunte pra eles sobre a possibilidade de parar no banco de areia no Rio. Há um banco de areia que às vezes fica visível e é possível ir lá se você estiver de canoa com hélice móvel (Que era o nosso caso). Essas são as fotos do meio o rio, em cima do banco de areia, de um lado Alagoas, do outro, Sergipe.

Recomendamos uma parada para mergulho no rio e outra nas belas dunas de Piaçabuçu. Se o porte da embarcação permitir, é interessante, também, parar em uma pequena ilha onde antigamente existia um povoado sergipano e que, por conta das mudanças que o rio sofreu, não existe mais. Nessa ilha está um farol abandonado muito bonito, em que se pode subir, caso a maré permita. Seguem as fotos das dunas:

Às margens do rio, vale também a visita às cidades de Penedo, cheia de construções centenárias preservadas, e Pão de Açúcar, com um belo acervo arquitetônico e sítios arqueológicos.

Filadélfia: Pontos turísticos e O que fazer

Visão geral sobre o lugar, história e o que esperar

Filadélfia, no Estado da Pensilvânia, é berço americano, conhecida como a “cidade do amor fraterno” e símbolo do patriotismo norte-americano.
Quando você ver aqueles filmes com pessoas emocionadas com o hino nacional e colocando bandeiras por toda parte… é lá! Afinal, foi lá que foi assinada a carta que decretou a independência do país e mais, foi local de criação da primeira, e única, Constituição local.
A cidade é cheia de parques e museus, sabe aquele lugar onde você se imagina morando? Com toda estrutura, facilidade de locomoção, além de uma bela arquitetura e uma agitada vida cultural. Mas apesar de sua enorme relevância histórica, a Filadélfia é tranquila, segura e com um clima que lembra uma pacata e rica cidade no interior.
Ela é cheia de símbolos da luta dos EUA pela independência:
Sabe o Liberty Bell, aquele sino rachado que se tornou representante do combate contra as forças britânicas? Está lá!
Sabe o Independence Hall, local onde foi assinada a declaração de independência americana? Está lá!
Além de estar inserida em filmes POP também:
Lembram do filme “Rocky”, de Sylvester Stallone, e aquela escadaria que ele subia pra treinar? Está lá!
O filme “O Sexto Sentido” também usou a cidade como locação.
A Filadélfia é fascinante…isso porque ainda nem falei das comidas! Um dos meus sanduíches preferidos no mundo foi inventado lá. Mas vamos ao roteiro.
Para ver sugestões de roteiro de 1 dia, clique aqui. Ou clique aqui pra ver sugestão de roteiro de 2 dias.


Nossa dica: Baixe o App no MyMaps do Google e salve esse mapa em seus mapas, assims erá possível ver offline. Colocamos as explicações de cada item no mapa também, basta clicar nos pontos de interesse. 😉


O que fazer

:: Visitor Center

Pare primeiro no Visitor Center. Pegue um mapa e também um ticket gratuito para o Independence Hall.

  • Endereço: 6th and Market Streets Philadelphia, PA 19106

:: Reading Terminal Market

O mercado central da Filadélfia, ideal que seja sábado. Aqui além de lugar para comer, é ponto turístico.
O mercado funciona neste local desde 1892 (antes disso, já operava na rua) e algumas coisas não mudaram desde a inauguração: o balcão do sorvete Basset’s continua ali, e os Amish continuam vindos de Lancaster para vender seus (deliciosos) produtos quatro dias por semana.
Venha com fome: há muitas especialidades locais para experimentar.

  • Doces Amish – Díficil escolher um só. Se possível, vá em algum stand que você possa pegar um pouco de cada pra provar o máximo, são divinos!
  • Stand do Tonny Dinic’s – O sanduíche mais famoso do Mercado. Hoaggie (aqui é o nome para sanduíche feitos em pão que lembra uma baguete) recheado com carne de porco assada, queijo provolone cortado da peça na hora e brócolis refogado (pulled pork). Tudo isso regado a um molho feito com a base no porco. Muito bom!
  • Bassetts Ice Cream – Tem vários sabores incríveis. O de Baunilha é um sonho, mas tentem o de abóbora também.

Para acessar o site oficial do Reading Terminal Market, clique aqui.

:: Independence Hall

Um lugar sagrado para os americanos. Ali fica o Independence Hall, o prédio onde foram escritas tanto a Declaração de Independência quanto a Constituição americana.
Em pouco mais de meia hora é possível percorrer o prédio que foi restaurado e tem mobiliária da época e a cadeira original onde George Washington presidiu a Convenção Constitucional. O tour funciona de 9:00 as 5:00 da tarde todos os dias, menos no dia 25 de dezembro.
Também pode ser visitado o sino quebrado que anunciou a independência.
Do lado, tem a primeira Prefeitura da Filadélfia, a primeira Casa da Moeda americana e algumas paredes que não foram derrubadas da Casa do Presidente, construção que tinha o mesmo papel da Casa Branca enquanto o município foi a capital americana.

:: Market Street

Essa é uma das ruas principais do centro e tem várias lojas. Ela não é boniiiita não, mas fica de frente para o City Hall, melhor ângulo para as fotos.

:: City Hall

Aqui, é o Marco zero da cidade, um dos prédios mais impressionantes em Downtown Philadelphia, que é o maior prédio municipal dos Estados Unidos e uma das maravilhas arquitetônicas da cidade. São mais de 700 salas, muitos detalhes na arquitetura e várias esculturas. A mais famosa de todas, a escultura do William Penn que fica em cima da torre do relógio e pode ser visto de várias partes da cidade.

  • Ingresso: Grátis

:: JFK Plaza / Love Park

Muito perto do City Hall fica uma praça lindinha, a JFK Plaza, também chamada de Love Park, pois é onde está uma réplica daquela famosa escultura “LOVE” de Robert Indiana representando a essência de amor fraterno da cidade..
As vezes tem um pessoal alternativo dançando e cantando, umas crianças andando de skate…vale curtir o momento.
No canto contrario ao City Hall começa a Benjamin Franklin Parkway, o Champs-Elysées da Filadélfia, que vai te levar até a zona dos museus, mas é longe, já aviso. Mas se tiver com tempo e disposição, pode ir à pé, a paisagem compensa.

:: Masonic Temple

Esse é o maior templo massônico do mundo e é possível fazer tours guiados pelo templo.

:: Comcast Center

Esse é o prédio da Comcast, uma das maiores operadoras de cabo dos Estados Unidos. Não é necessário entrar, apenas observe a tela gigante de LED em alta definição com 190 m² no hall de entrada, que fica passando informações e vídeos com uma definição incrível pra esse tamanho todo.

:: Museu de Arte da Filadélfia

Mesmo não tendo tempo de entrar e explorar o museu, vá até lá pra tirar uma foto nas escadarias, que foi cenário marcante do filme Rocky: Um Lutador, de 1976. Lá no alto dos degraus há o registro em bronze das pegadas do lutador, e lá embaixo do lado esquerdo de quem desce tem uma estátua do Rocky Balboa. Não seja tímido e imite a pose dele para uma foto! 🙂
Perto do museu tem também a primeira penitenciária do país, que teve o gângster Al Capone como um de seus presos e hoje pode ser visitada por turistas.

:: Rio Schuylkill

Contornando o museu pela esquerda você chega à beira do rio Schuylkill. Por ali, uma estação de tratamento de água se transformou num museu sobre o assunto. A vista para as boathouses, galpões onde se guardam barcos, é muito bonita.

:: Museu Rodin

Expõe a maior coleção de originais do marido de Camille Claudel fora da França. Trata-se de uma coleção particular que foi deixada para o Estado. Mesmo sem entrar você já pode contemplar a réplica da Porta do Inferno, o mural inspirado no Inferno de Dante que é a obra-prima de Rodin.

:: Museu de Arte da Filadélfia

Se tem um dia sobrando volte e entre no Museu de Arte da Filadélfia. O prédio principal guarda o maior acervo de arte dos Estados Unidos (tem Van Gogh, Duchamp, Picasso, Cézanne).

  • Ingresso: Adulto $20.00  e Criança $14.00

:: Amish Country – Lancaster

Se tiver um dia extra, sugiro que visite Lancaster City para conhecer um pouco mais sobre a cultura dos Amish, um grupo religioso cristão anabatista.  São conhecidos por seus costumes conservadores, como o uso restrito de equipamentos eletrônicos, inclusive telefones e automóveis.
Os Amish são descendentes dos grupos suíços de anabatistas chamados de Reforma radical. Os primeiros Amish começaram a migrar para os Estados Unidos no século XVIII, para evitar perseguições e o serviço militar obrigatório, pois são radicalmente contra todas as formas de violência e, por conta disso, os membros da comunidade não ingressam nas Forças Armadas de seus países. Atualmente eles vivem em comunidades nos Estados Unidos e Canadá, existem comunidades em mais de 28 dos 50 estados norte-americanos, e seus integrantes somam mais de 300 mil pessoas.
Eles preferem viver afastados do restante da sociedade. Eles não prestam serviços militares, não pagam a Segurança Social e não aceitam qualquer forma de assistência do governo. Eles também não gostam de ser fotografados, pois interpretam que, de acordo com a Bíblia, um cristão não deve manter sua própria imagem gravada. Até as meninas Amish brincam com bonecas sem rosto, pois segundo suas crenças, os brinquedos desprovidos de face desencorajam a vaidade e o orgulho.
Ao contrário de outros grupos cristãos, que tentam converter pessoas para a sua fé, os Amish não participam de missões nem de trabalhos de evangelização para aumentar o número de fiéis. Aliás, quem quiser se converter primeiro precisa aprender o dialeto falado pelos Amish, abandonar todos os luxos da vida moderna, passar uma temporada na comunidade e ser aceito por todos por meio de uma votação.
É possível visitar fazendas, plantações, restaurantes, galerias de arte, boutiques, o Mercado Central e vilas como Adamstown, Lititz, Strasburg, ou Intercourse. E ainda realizar um passeio histórico.
Eles possuem um site oficial para visitantes, clica aqui.


:: Compras

Caso esteja por perto e queira tirar um dia para compras, você pode ir à cidade vizinha: King of Prussia. Lá está localizado o King of Prussia Mall, o maior centro de compras da Costa Leste americana. Para preços mais em conta, vá ao Philadelphia Premium Outlets, em Limerick.


:: Clica aqui pra ver O que saber antes de ir para a Filadélfia
:: Clica aqui para ver Onde comer na Filadélfia: Melhores restaurantes, bares e lanchonetes
:: Clica aqui para ver um roteiro de 2 dias na Filadélfia
:: Clica aqui para ver um roteiro de 1 dia na Filadélfia

Fim da bagagem grátis em Voos – O que muda afinal?

Calma gente, antes de chorar e achar que seu número de viagens por ano vai diminuir por isso, vamos entender bem o que muda e o que não muda com a nova regra da ANAC que PERMITE que cias aéreas cobrem pela bagagem despachada.
Antes de tudo, vale esclarecer que essa já é uma prática mundial e essas novas medidas colocam o Brasil em um patamar internacional (Apenas Venezuela e Brasil ainda regulavam as franquias de bagagem dessa maneira), além de nos dar clareza sobre os serviços que estão sendo cobrados.
No Brasil, assim como em diversos outros setores haviam leis que submetiam as cias aéreas à algumas regras, nesse caso determinavam que as empresas eram obrigadas a oferecer gratuitamente uma franquia de 23 quilos para passageiros domésticos e de duas malas de 32 quilos para voos internacionais, independente do valor de passagem paga.
Essa regra inviabiliza que empresas low-cost como a Ryanair, queridinha dos mochileiros pela Europa, atuem no Brasil. Segundo a Anac, apesar da possibilidade de as empresas passarem a cobrar pelo despacho de malas, cada companhia terá autonomia para criar suas regras próprias de bagagens, inclusive, mantendo as franquias atualmente em vigor. Com isso, a expectativa é uma queda nos preços e até a chegada dessas companhias low-cost.
Obviamente há um receio entre os passageiros de que essa mudança só favoreça as empresas aéreas, mantendo os preços iguais mesmo sem bagagem gratuita. Mas, se seguirmos os mesmos rumos mundial, a partir de agora as cias poderão estipular franquias menores de bagagem e, em contrapartida, oferecer passagens mais baratas aos consumidores, que poderão ser usadas pra quem deseja apenas o deslocamento e não precisa de muita bagagem, porém as passagens econômicas com franquias de bagagem inclusas não deixarão de existir. Nos Estados Unidos, por exemplo, há uma tarifa fixa para a primeira mala de até 23kg, e essa pratica deve ser copiada no Brasil, assim, quem for viajar apenas com bagagem de mão, não precisará pagar por bagagem sem usar.


A lógica é simples:
Se você obriga à cia a fornecer ‘X’ franquia de bagagem para todas as passagens vendidas, independente da categoria, esse valor de transporte de ‘X’ deverá ser cobrado em todas as passagens.
Isso significa que em todas as viagens que você fez que não usou totalmente o seu limite de bagagem, você pagou por ele sem usar. E se você tivesse recebido um desconto pelos quilos que levou a menos, não seria ótimo? Não seria mais justo pagar apenas pelo que usou?
Agora haverá essa possibilidade. O desconto será de 100% para os que comprarem a passagem sem franquia de bagagem, e você pagará pelo quilo do que levar apenas.
Ok! Eu entendo que é chato ter que pagar ‘a mais’ por algo, a gente sempre fica com a sensação de estar sendo lesado, é bom achar que estão te dando de presente esses volumes e quilos de bagagem. Mas esse sentimento é similar ao de pagar por frete em compra online, a gente sempre acha ruim, mas pode ter certeza de uma coisa, NADA é de graça, se um produto é FRETE GRÁTIS, é porque o valor do frete já está incluso no valor final dele.
Para a gente ter uma noção da prática de mercado atual, seguem as franquias de bagagem de cada cia, note que elas já são distintas, independente de obrigatoriedade de franquia ou não.
LATAM

Tipo de voo Franquia Tipo de Tarifa Dimensões
Domésticos 23 kg sem limite na quantidade de malas Economy 158 cm
Domésticos 96 kg distribuídos em até 3 malas Premium Business 158 cm
América do Sul 2 malas com até 23 kg no total Economy 158 cm
América do Sul 3 malas com até 69 kg no total Premium Business ou Premium Economy 158 cm
Outros Internacionais 64 kg ao todo, em 2 malas de 32 kg cada Economy 158 cm’

GOL

Tipo de voo Franquia Tipo de Tarifa Dimensões
Domésticos 23 kg Não consta 203 cm
América do Sul 23 kg Não consta 203 cm
América do Norte 2 vol de 32kg cada Não consta 203 cm
América Central e Caribe 1 vol de 23kg Não consta 203 cm

Azul

Tipo de voo Franquia Tipo de Tarifa Dimensões
Domésticos 23 kg Não consta 158 cm ou 62”
Internacionais 2 vol de 32 kg cada Econômica 158 cm ou 62”
Internacionais 3 vol de 32 kg cada Business Light 158 cm ou 62”

Avianca Brasil

Tipo de voo Franquia Tipo de Tarifa Dimensões
Domésticos 23 kg Indiferente Não consta
Internacionais 1 ou 2 vol de 32 kg no total Econômica Não consta
Internacionais 2 vol de 32 kg cada Business Não consta

Air France

Tipo de voo Franquia Tipo de Tarifa Dimensões
Todos os voos 1 vol de 23 kg Econômica 158 cm
Todos os voos 2 vol de 23 kg cada Econômica Premium 158 cm
Todos os voos 2 vol de 32 kg cada Executiva 158 cm
Todos os voos 3 vol de 32 kg cada Primeira Classe 158 cm

Alitalia

Tipo de voo Franquia Tipo de Tarifa Dimensões
Todos os voos 23 kg Econômica 158 cm
Todos os voos 2 vol de 32 kg cada Executiva 158 cm

British Airways

Tipo de voo Franquia Tipo de Tarifa Dimensões
Todos os voos 2 vol de 32 kg cada Classe Econômica e Econômica Premium 208 cm
*Dados coletados diretamente dos sites das companhias aéreas. As condições franquia de bagagem podem mudar sem aviso prévio. Para verificar se os dados estão atualizados, clique no nome da companhia aérea.

Claro que essa é apenas uma possibilidade de rumo que essa liberação poderá tomar, vai depender de decisões internas de cada empresa e isso é ótimo! Teremos mais flexibilidade e liberdade de mercado para escolher o que for melhor para aquela nossa viagem.
Se alguma companhia começar a se aproveitar e cobrar ainda mais caro pelas passagens e bagagens, o resultado será orgânico, ela vai diminuir o número de passagens vendidas e perder fatia de mercado. Então a previsão é de melhoria para o consumidor e cada vez um poder maior de escolha. Já prevejo vários novos viajantes graças à essa flexibilidade de passagens no Brasil! 🙂
Nós temos mais do que uma companhia aérea atuante no país, comece a usar a outra. Isso poderá gerar uma competição bem saudável e interessante para nós passageiros.
 

Resumão Egito

Em 12 dias no Egito, nós aprendemos, ouvimos e vimos muitas coisas.
 Vimos que apesar da miséria de muitos, haviam poucos pedintes, e aos poucos entendemos que para eles o trabalho enobrece o ser e que dinheiro nenhum vem em troca de nada. Para conseguir algum dinheiro sempre havia algum serviço ou produto em troca, nem que fosse uma foto ou um tutorial de como fazer um turbante, e isso se aplicava até para as crianças.

Nós aprendemos a barganhar como os egípcios (Papai Leo), compramos toalhas da forma mais inusitada de nossas vidas, acabamos com o estoque de Pashmina do Egito, nos sentimos ricos com o dólar 17 pra 1, e alguns até aprenderam a arte de comprar algo em TODAS as paradas (Ivana e Mamãe Úrsula).
Aprendemos a falar letras e números em egípcio e núbio com um professor local (alguns com direito até ao castigo durante a aula), aprendemos como se faz perfume, papiro, tapete, peças de alabastro… Assistimos aulas sobre chás e temperos, aulas de arqueologia, aulas de história, aulas de medicina, o que não faltou foram coisas novas aprendidas.

Aula de Árabe e Núbio em vila Núbia

Nadamos no Nilo, brincamos com jacaré, fizemos tatuagens, andamos perigosamente de camelo (Rosângela), vimos alguns casamentos, e descobrimos que os egípcios são muito parecidos com os brasileiros em simpatia, e que apesar das diversas mazelas que o país vive, assim como o nosso, não perde a alegria de viver. (Aprendemos que apesar de viverem em condições muito piores, não reclamam tanto quanto nós também)
Aprendemos a beber chá na mesma quantidade e forma que os egípcios, comemos na casa dos Núbios, tomamos o melhor ‘suco do manga’ do mundo, o ‘melhor’ suco de romã, o ‘melhor’ chá de hibisco… Comemos como os egípcios e passamos mal como NÃO egípcios (Leo e todos).
Dormimos em trens, em ônibus, em aviões, em cruzeiro, alguns até em pé (Ivana)… Voamos de balão, andamos de cavalo, charrete, carroça, tuc tuc, taxi, camelo, carruagem, só faltou o tapete voador… E aprendemos que o transito do Brasil não é o pior do mundo, mas que Deus sempre ajuda!

Entramos literalmente em sarcófagos (Kbçao), vimos o deserto do Saara, entendemos o que é ter um sol pra cada um, subimos e descemos pelos estreitos túneis de acesso às tumbas, ‘ajudamos’ a restaurar as paredes dos túmulos. Conhecemos igrejas, mesquitas, cemitérios, mais mesquitas…e quase decoramos a reza depois de ouvi-la 5x todos os dias por toda a cidade. Fomos no lugar onde Jesus se escondeu, no local onde Moisés ‘foi achado’, na primeira mesquita da África, na primeira construção do mundo, nos templos grandiosos do megalomaníaco Ramsés e muitos outros lugares incríveis. Aprendemos como se usa turbante, Khimar, Nigab…
Descobrimos como é ser famoso e tirar mil fotos com pessoas estranhas pelas ruas. Fomos escoltados por segurança particular, viaturas de policia, pelo exército… Aprendemos que até um calcanhar pode ser sensual, principalmente se você é brasileira. Recebemos algumas muitas ofertas generosas pela venda das esposas… E dos rapazes também (Rubert…rs)

 Conhecemos os lugares e construções mais incríveis do universo, uns nos fizeram rir, pensar, imaginar, viajar no tempo… Outros nos fizeram chorar (Vanessa), e alguns que simplesmente nos deixaram sem reação.
Mas apesar de estarmos em um país que nos surpreendia a cada minuto, as lembranças mais importantes que levaremos desses dias são as pessoas. Os nativos que conhecemos, os Brasileiros que esbarramos, os viajantes que nos acompanharam. Todos vocês são pessoas incríveis!
Essa mistura de Brasil com Egito, mistura de idades, jeitos, costumes e lugares que tinha tudo pra dar muito errado, mas que acabou dando super certo.
Obrigada a cada um, vocês tornaram nossa viagem inesquecível. Mash Mash!